Sorocaba e Região

Sorocaba tem 88 áreas de risco mapeadas

Locais são propícios a alagamentos, inundações e deslizamentos. Sistema de aviso à população é por SMS
Alagamento na rua João Gabriel Mendes com av. Dom Aguirre. Crédito da foto: Emídio Marques (9/1/2020)

Sorocaba possui, atualmente, 88 áreas de risco que são monitoradas pela Prefeitura. As informações são do próprio Executivo e foram divulgadas no final do ano passado, após pedido de levantamento feito pelo Cruzeiro do Sul. A cidade possui seis tipos de risco. Levantamento realizado em novembro pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP) aponta falhas com relação ao gerenciamento de prevenção de desastre. A Prefeitura de Sorocaba contesta.

Conforme a Secretaria de Segurança Urbana (Sesu) dessas 88 áreas de risco mapeadas, 41 são locais propícios a alagamentos, 21 têm possibilidades de inundação e há ainda 26 pontos com risco de deslizamento. Ao TCE, a Prefeitura de Sorocaba apontou áreas com os seguintes riscos: riscos biológicos, riscos hidrológicos, riscos geológicos, riscos meteorológicos, riscos climatológicos e riscos tecnológicos. Entretanto, a Prefeitura de Sorocaba não retornou sobre quantos serias os números com relação aos demais risco.

Leia mais  Fuvest aplica o vestibular para 3.203 em Sorocaba

Ainda de acordo com a Prefeitura de Sorocaba, a Defesa Civil da cidade, por meio da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, disponibiliza sistema de Avisos e Alertas à Desastres por meio de SMS, número 40199. E foi essa informação que a o Executivo repassou ao TCE, afirmando que o município mantém a população informada sobre áreas de risco com SMS / aplicativo de mensagens, Rádio TV, site da Prefeitura e redes sociais. A reportagem pediu acesso ao histórico desse trabalho, mas não recebeu retorno.

No levantamento realizado pelo TCE, consta que Sorocaba não possui cadastro da lista de fornecedores para coleta e distribuição de suprimentos de ajuda humanitária para o caso de desastre. “Próprios municipais como escolas são estudados e catalogados conforme suas características e possibilidades para utilização em caráter de abrigo, conforme especificidade de cada evento de desastre e sua aproximação/acessibilidade à população”, garante o município.

Sorocaba, segundo o Tribunal, não possui cadastro dos locais para abrigo à população em situação de desastre junto à Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil. Sobre esse ponto, a Prefeitura de Sorocaba, mais uma vez, contrariou o TCE e afirmou que o processo de cadastro dos abrigos mantém-se em periódica atualização junto à Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil (Cepedec).

Leia mais  Zoológico Quinzinho de Barros passará por revitalização

Ao TCE, a Prefeitura de Sorocaba afirmou também que o município dispõe de sinal, dispositivo ou sistema de alarme para desastres e que utiliza sistema de alerta para desastres. O Cruzeiro quis saber como funcionam, onde estão instalados, quem opera, se já foram usados, quando, e quando foram instalados. Em resposta, o Executivo afirmou que o sistema de aviso hoje praticado é por meio do SMS, que em tempo, dispara avisos e informações pertinentes à população (meios e orientações de como se proteger, condições do tempo, tipo de evento), bem como as redes sociais da Defesa Civil e comunicação da Prefeitura. “A Defesa Civil dispõe de veículos viaturas caracterizadas de porte utilitário e caminhonete, e realiza o atendimento emergencial 24 horas por dia por meio do número 199”, conclui. (Marcel Scinocca)

Comentários