Sorocaba e Região

Sessão que poderia cassar vice-prefeita teve público abaixo do esperado

O acesso à galeria do plenário foi controlado e permitida a entrada de, no máximo, 130 pessoas
Apesar do esquema especial, público foi abaixo do esperado
Viaturas da GCM se posicionaram em frente ao prédio da Câmara. Crédito da foto: Emidio Marques

Apesar de a Câmara de Sorocaba ter montado um esquema especial de acesso ao prédio para que o público interessado pudesse acompanhar a sessão extraordinária, que rejeitou o pedido de cassação da vice-prefeita Jaqueline Coutinho (PTB), o movimento de munícipes foi tranquilo e considerado abaixo do esperado nesta quarta-feira (10).

O acesso à galeria do plenário foi controlada e permitida a entrada de, no máximo, 130 pessoas sentadas. Já no saguão da Câmara foram colocadas 120 cadeiras, que ficaram a maior parte do tempo vazias.

Leia mais  Jaqueline Coutinho é mantida no cargo de vice-prefeita de Sorocaba

 

Desde às 6h, três viaturas da Guarda Civil Municipal estavam posicionadas em frente ao prédio do Legislativo, no acesso à entrada principal. Na entrada do Paço, na avenida Rudolf Dafferner, uma viatura da GCM também estava posicionada limitando o acesso de veículos ao estacionamento da Câmara. O acesso das pessoas interessadas em acompanhar a sessão foi feito pela entrada principal, mediante identificação do interessado e apresentação de documento. Em seguida, a pessoa recebia uma pulseira na cor branca, que dava acesso ao plenário.

Apesar do esquema especial, público foi abaixo do esperado
Galeria do plenário não chegou a ficar totalmente ocupada por munícipes. Crédito da foto: Emidio Marques

Por determinação do Corpo de Bombeiros, o número de pessoas dentro do prédio da Câmara seria limitado em 250, que é a capacidade máxima do local para garantir a ordem, a segurança e a integridade física dos presentes. No plenário também foi reservado 26 lugares para a atuação de profissionais de imprensa devidamente cadastrados, e identificados por meio de uma pulseira na cor amarela.

Dentro da Câmara, a segurança interna também foi realizada por homens da GCM, que não registraram nenhum incidente. Além do policiamento, a Câmara ainda contou com o sistema de videomonitoramento.

Um dia antes da votação, a vice-prefeita usou as próprias redes sociais para convidar os munícipes para o comparecimento na Câmara, mas praticamente nenhuma pessoas acompanhou a sessão do início ao fim nas cadeiras colocadas no saguão. A sessão extraordinária começou logo após às 9h e acabou logo após às 13h, totalizando cerca de quatro horas. (Ana Cláudia Martins)

Comentários

CLASSICRUZEIRO