Eleições 2020 Sorocaba e Região

Segurança pública requer investimentos

Novas tecnologias para aprimorar as operações também são necessárias, avalia especialista
Segurança pública requer investimentos
Trabalho conjunto entre a GCM, PM e Prefeitura está entre as propostas para reduzir ações de criminalidade. Crédito da foto: Vinícius Fonseca / Arquivo JCS (2/10/2020)

A segurança pública em Sorocaba precisa de melhorias, em alguns aspectos. Para tanto, o novo (a) prefeito (a) deverá focar em projetos e medidas para coibir a violência no município e garantir a segurança dos cidadãos, avalia Mauro da Costa Ribas Júnior, membro do Conselho Municipal de Segurança Pública (Comsep), da Comissão de Direito Militar e bacharel em Ciências Policiais e de Segurança Pública.

Modernizar os procedimentos de fiscalização e combate a crimes, ampliar os investimentos no setor, bem como estabelecer integração eficiente entre as forças de segurança são as ações mais necessárias, neste momento, aponta ele.

Pesquisas mostram que o cenário da segurança na cidade é positivo. Neste ano, Sorocaba registrou o menor Índice de Exposição a Crimes Violentos (IECV) desde 2014, segundo o Instituto Sou da Paz. No ranking da pesquisa, entre os 139 municípios analisados, a cidade ficou na posição de número 76. Além disso, conforme estatísticas da Secretaria de Segurança Pública (SSP-SP) e da Polícia Civil do Estado de São Paulo, os índices de homicídios, estupros, roubos e furtos caíram em 2019, na comparação com o ano anterior. Mesmo com a pandemia de Covid-19, que acarretou no isolamento social, até as estatísticas de violência doméstica tiveram redução de 63,34% neste ano, em comparação com o anterior, segundo registros da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM). Por outro lado, a quantidade de drogas apreendidas na região, entre janeiro e agosto, foi recorde dos últimos 20 anos, com mais de 30 toneladas. A continuidade dos pancadões, apesar das ações para combatê-los, é outro problema.

Trabalho conjunto

Uma das principais causas dessas ações criminosas é a falta do trabalho em conjunto entre a Prefeitura, as polícias Civil e Militar e a Guarda Civil Municipal (GCM), aponta Ribas Júnior. Para ele, a relação entre o Comsep, a administração municipal e as forças de segurança deveria ser estreitada. Dessa forma, haveria maior compartilhamento de informações e o trabalho em conjunto auxiliaria na definição de ações eficazes para a erradicação da criminalidade, considera. “Dessa forma, em um só conselho, a prefeitura conseguiria ter todas os panoramas e todas as visões da segurança pública”, afirma. Outra ação seria a descentralização das companhias da PM.

O investimento em tecnologias para aprimorar as operações de fiscalização e investigações é igualmente necessário. Hoje, a Polícia Civil já conta com a delegacia eletrônica, para o registro de ocorrências. Há, também, a possibilidade de se fazer denúncias por meio do WhatsApp. Porém, faltam recursos tecnológicos de inteligência, diz o especialista.

Na opinião de Ribas Júnior, é preciso, ainda, fortalecer a GCM, com a contratação de mais agentes, novas viaturas e mais treinamento. Com a ampliação do efetivo, a guarda poderia atuar, por exemplo, diretamente nas escolas, sugere. Um convênio entre o Executivo municipal e a PM, para a aplicação da Jornada Extraordinária de Trabalho Policial Militar (Dejem), também seria benéfico, diz ele. “(Neste programa), policiais que estão no seu horário de folga atuam em convênio com o município dentro dos grandes centros, reforçando o policiamento”, completa. (Vinicius Camargo)

Carlos Péper – (Solidariedade)

Segurança pública requer investimentos
Crédito da foto: Divulgação

Conhecer as necessidades da área, fortalecer as ações de segurança em parceria com as demais instituições de segurança existentes no município. Comprometer-se com apoio ao dependente químico, ampliando as iniciativas já existentes com novos projetos para recuperação, reintegração e convívio junto à sociedade e ao mercado de trabalho. Atuar com rigor no cumprimento do Estatuto da Criança e do Adolescente, coibir a venda de bebidas alcoólicas para menores de 18 anos. Desenvolver e implantar política de segurança preventiva. Instalar câmeras nos postos de observação nas ruas e avenidas. Humanizar o trânsito e seus agentes na zona urbana. Ouvir o Conseg, organizações e instituições existentes no município, para aplicar a mais eficaz solução. Temos que preparar a cidade para mais de 1 milhão de habitantes com mais investimento em segurança, compra de novos equipamentos, qualificação humana, valorizando a nossa GCM com justa remuneração e aumento do seu efetivo. Vamos requerer junto ao governo estadual a implantação de mais um batalhão da Polícia Militar. Promover a volta da Guarda Mirim.

Professor Flaviano – (Avante)

Segurança pública requer investimentos
Crédito da foto: Divulgação

A demanda do setor é grande e sofre, de um lado, com a sobrecarga para suprir áreas de competência da Polícia Militar (Estado) e, de outro, a segurança comunitária e de nossos próprios, como as escolas invadidas constantemente. A GCM passa por falta de investimentos e de pessoal, melhor remuneração. Temos que avançar nas ações integradas e de inteligência de todas as forças. Cobrarei do governo estadual retomar as ações do Gabinete Metropolitano de Segurança Pública, de forma a integrar as forças regionais, ampliando a segurança e o combate à criminalidade, retomar o projeto da Muralha Eletrônica. Em nosso Plano de Governo, abordo a necessidade de trazer para Sorocaba novo Batalhão da Polícia Militar. A GCM precisa crescer pelo menos 20%, receber investimentos, inclusive em capacitação. Deve haver comunicação mais intensa entre PMSP, PF Forças Armadas e com os Conselhos de Segurança. Defendo maior integração dessas forças públicas com a Prefeitura. Vamos institucionalizar o Gabinete Sorocabano de Segurança Pública, e elaborar o Plano de Segurança Pública Municipal de Sorocaba.

Jaqueline Coutinho – (PSL)

Segurança pública requer investimentos
Crédito da foto: Divulgação

Como delegada aposentada com 28 anos de serviços prestados, conheço profundamente a área da segurança pública e tenho consciência da sua importância. Tanto que uma das minhas primeiras ações foi criar o Botão do Pânico para defender as mulheres vítimas de violência doméstica. Nesse ano à frente da Prefeitura de Sorocaba, investi em novas viaturas e armamentos de qualidade para a Guarda Civil Municipal. Nossa prioridade é continuar valorizando a GCM, restruturando o plano de carreira e abrindo concurso público para aumentar o contingente e ter mais guardas nas ruas. Com essas melhorias, vamos intensificar a atuação da Guarda, criando bases de apoio da GCM em todas as regiões da cidade, com o objetivo de oferecer um atendimento mais eficiente e ágil para a população.Também investiremos em mais tecnologia para inibir crimes em tempo real, ampliando o monitoramento digital em vias públicas estratégicas e nas portas das escolas. Além disso, vamos fortalecer as relações com as Polícias Civil e Militar para otimizar os recursos e reduzir a criminalidade em Sorocaba.

Leandro Fonseca – (Democratas)

Segurança pública requer investimentos
Crédito da foto: Divulgação

Estive no batalhão da Polícia Militar da nossa cidade para ouvir e entender o que Sorocaba precisa. Junto com o meu futuro secretário, o coronel Abreu, trabalharemos para reorganizar o sistema, levando as companhias de volta à ruas, perto do povo. Criaremos bases policiais nas regiões que mais precisam da presença da PM. Iremos investir na segurança pública com tecnologia e inteligência. Implantaremos o Copom nos moldes de São Paulo, que distribuirá as ocorrências de forma homogênea, integrando todas as forças de segurança e de saúde, incluindo Defesa Civil e assistência social, para que o atendimento emergencial à população seja de excelência. Quase 90% das ligações do 190 hoje não são emergências policiais. Vamos otimizar para a polícia trabalhar com as ocorrências que dizem respeito somente à segurança. Quanto à Guarda Civil Municipal, vamos colocar o número certo de pessoas, de acordo com o tamanho de nosso município. Daremos uma sede para a GCM, para que os guardas tenham treinamentos específicos. A GCM é fundamental para nossa cidade, temos que fortalecê-la.

Maria Lúcia – (PSDB)

Segurança pública requer investimentos
Crédito da foto: Divulgação

Os quatro anos de desgoverno fizeram Sorocaba parar. Nossa cidade tem pressa para garantir segurança para a população. Para isso, vamos prevenir e combater à criminalidade, drogas e violência no município, ampliando as ferramentas de segurança, com tecnologia e treinamento humano. Irei implantar um sistema integrado de monitoramento com câmeras residenciais e mais iluminação nos bairros com maior incidência de ocorrências policiais. Vamos buscar investimentos do Estado e do governo federal para atender as demandas de instalação de iluminação pública. Vou modernizar e ampliar a Guarda Civil Municipal, com equipamentos e tecnologia e instalar uma nova central 156, com uso de dados geolocalizados para um atendimento mais rápido. Mais bases comunitárias móveis nos bairros. Vou resgatar o diálogo com o Gabinete de Gestão Integrada, Ministério Público, Poder Judiciário, Câmara Municipal, Consegs e a integração entre as Polícias; aumentar o investimento em tecnologia e inteligência. Vou intensificar campanhas de orientação e prevenção ao consumo de drogas e álcool.

Raul Marcelo – (Psol)

Segurança pública requer investimentos
Crédito da foto: Divulgação

Propomos um Centro Integrado de Monitoramento que integre o SAMU, o Departamento de Trânsito, a Defesa Civil e as polícias Civil e Militar. Essa é a melhor forma de concentrar os esforços na solução de problemas na área de segurança e de outras políticas, como saúde, mobilidade, entre outras. Esse espaço servirá para acompanhar ao vivo centenas de câmeras instaladas pela cidade. Defendemos a GCM ativa e fixa nas escolas. Cada escola contará com o apoio de uma equipe de nossa Guarda Municipal. Preservar o patrimônio público e assegurar a ocupação desse espaço com tranquilidade e segurança pela comunidade, inclusive aos finais de semana, como opção de lazer e cultura. Hoje o efetivo da GCM é de apenas 385 servidores, número que pretendemos ampliar nos próximos 4 anos via abertura de concursos. Por fim, defendemos a imediata criação da Patrulha Maria da Penha, uma equipe especialmente montada para atender os casos de violência contra a mulher, atuando em sintonia com as polícias estaduais e com os órgãos e entidades de preservação da segurança das mulheres.

Renan Santos – (PDT)

Segurança pública requer investimentos
Crédito da foto: Divulgação

Aumentar o efetivo da GCM e investir em formação continuada são ações essenciais para garantir a segurança da nossa gente. Pretendo implantar um programa de prevenção à criminalidade nos bairros, de forma intersetorial, nos moldes dos Territórios da Paz. Vou integrar as áreas da saúde, assistência social, emprego, educação, cultura e esportes para prevenção à dependência química e ao tráfico. Quero criar uma central unificada de monitoramento da cidade, em parceria com entidades de classe e iniciativa privada, assim como o Sistema Muralha Eletrônica nas saídas da cidade, para identificar carros envolvidos em delitos. Fortalecer a parceria com a PM, por meio do Convênio de Atividade Delegada é necessário. Firmar convênio com o setor empresarial para monitorar os centros comerciais com câmeras e botão de pânico, em contato com a GCM, está previsto em meu plano de governo. Os “pancadões” serão combatidos com operações policiais, além da promoção de eventos culturais voltados para a juventude, em locais seguros e sem causar impacto aos bairros residenciais.

Rodrigo Manga – (Republicanos)

Segurança pública requer investimentos
Crédito da foto: Divulgação

Temos muito a avançar na área da segurança pública. Dentro do nosso projeto de Cidade Inteligente, a começar pela instalação do COI (Centro de Operações Integradas), com ferramentas digitais para integrar informações e unificar o trabalho das forças de segurança e de fiscalização de condutas e do trânsito, além de firmar parcerias com associações comerciais e industriais. O objetivo central é combater a criminalidade. Ao mesmo tempo, devemos ampliar o número de agentes, desde a Defesa Civil, que age preventivamente, até o efetivo da GCM, promovendo capacitação contínua e valorização dos agentes. Para responder às demandas do setor, vamos restaurar o Gabinete de Gestão Integrada de Segurança Municipal. Isso permitirá a visão ampla das necessidades e uma gestão eficiente. Estou certo de que, tanto um maior investimento em recursos humanos, quanto em recursos técnicos, serão necessários. Sorocaba, com mais de 680 mil habitantes, tem 365 GCMs, enquanto Jundiaí, com 354 mil, possui 383 efetivos. Aqui, temos menos de 30 viaturas, enquanto Barueri tem 150 novinhas.

Segurança pública requer investimentos

Segurança pública requer investimentos

Comentários