Sorocaba e Região

Secretaria da Educação de Sorocaba avalia efeito de atividades à distância

O objetivo da pesquisa é obter um panorama do envolvimento das crianças neste novo modelo pedagógico
Sedu avalia efeito de atividades à distância
Implantação das ANP’s na rede municipal começou em 1º de julho. Crédito da foto: Reprodução / Instagram

A Secretaria da Educação (Sedu) de Sorocaba está preparando uma pesquisa para conhecer e avaliar o impacto e o resultado da proposta de atividades não presenciais (ANP’s) na rede municipal de ensino. As atividades começaram somente em 1º de julho em toda a rede, que atualmente conta com aproximadamente 60 mil estudantes.

Porém, a Sedu ainda não sabe exatamente como os alunos estão participando das atividades não presenciais, já que cada unidade escolar escolheu os canais digitais que mais se adequam à sua comunidade e a proposta pedagógica. “Sedu, por meio do Comitê de Avaliação e Acompanhamento das ANP’s (CAC), enviou pesquisa para as instituições com a finalidade de diagnosticar o início das atividades e obter essas informações”, afirma a pasta municipal.

Segundo a Sedu, o objetivo da pesquisa é obter um panorama do envolvimento das crianças neste novo modelo pedagógico. “As escolas entraram em contato com os alunos e familiares, realizando o processo de acolhimento e reaproximação. Para os estudantes que não têm acesso à tecnologia digital, as escolas oferecem as atividades impressas”, aponta a Sedu.

Carga horária

Ainda conforma a pasta, os professores estão realizando as mediações necessárias, mesmo que de modo remoto. A Sedu explica ainda que as atividades não presenciais contarão como carga horária letiva, e que a proposta delas faz parte do processo de manutenção do envolvimento dos estudantes com parte do ambiente de aprendizado.

Cada escola contatou pais e responsáveis pelas crianças para disponibilizar os materiais utilizando meios de comunicação digitais (redes sociais, blogs e aplicativos de mensagem). Além disso, os conteúdos virtuais também foram impressos para atendimento daqueles alunos que não possuem acesso às tecnologias.

Segundo o Gestor de Desenvolvimento Pedagógico da Sedu, Gilmar Piccin, essas atividades variam de escola para escola, mas estão focalizadas nos aspectos pedagógicos de leitura; de vídeo, no passo a passo de brincadeiras e letras de músicas, por exemplo.

Leia mais  Educação a distância: flexibilidade no ensino faz com que estudantes escolham essa opção

 

“Algumas unidades imprimem o mesmo conteúdo disponibilizado nas redes sociais, de forma que todos os alunos estão envolvidos nas mesmas atividades. Em outros casos, a equipe gestora produz kits impressos com cronogramas diários, imagens e atividades para entregar em mãos para os pais e responsáveis”, contou.

O coordenador diz, também, que as atividades não presenciais seguem a proposta curricular para cada etapa / ano e que, neste momento, estão voltadas para a reaproximação, acolhimento e avaliação diagnóstica de cada estudante. “Os professores acompanham as atividades, o envolvimento e a participação dos alunos, oferecendo um retorno aos estudantes e familiares”, reforçou.

A Secretaria da Educação reforça que tem atuado em diálogo com as orientações da Secretaria Estadual da Educação, com a previsão de retorno presencial para setembro, desde que atendidos os critérios legais estabelecidos para tal. (Ana Cláudia Martins)

Comentários