Buscar no Cruzeiro

Buscar

Acervo

Secretário de Educação responde questões sobre retorno às aulas

04 de Junho de 2020

https://www.facebook.com/jornalcruzeiro/videos/919215575246707/

 

As atividades escolares da rede municipal de ensino não devem ser retomadas no curto prazo, de acordo com informação divulgada pelo titular da Secretaria de Educação, Wanderlei Acca, ontem (4), ao jornal Cruzeiro do Sul. O secretário municipal afirmou que aguarda novas orientações do Governo do Estado para planejar o retorno dos alunos às instituições de ensino que compõem a rede da Prefeitura. As aulas estão paralisadas desde o dia 23 de março, por conta da pandemia do novo coronavírus.

Acca participou de uma entrevista ao vivo na página oficial do Cruzeiro do Sul no Facebook (acesse pelo QR Code ao lado) para prestar contas sobre a situação do retorno parcial dos professores às escolas, falar da entrega do Cartão Merenda Social e atualizar pais e alunos sobre a retomada das aulas. “A data possível para o retorno (dos estudantes) é a partir do mês de agosto. Um retorno parcial dos alunos, em torno de 20%. Não é uma data oficial, é uma previsão que nós temos”, conjecturou o educador.

Assim como no caso dos professores, o retorno dos 61 mil alunos da rede municipal será condicionado ao respeito do limite de 20% da lotação das escolas. Conforme divulgado, cada turma frequentará as atividades apenas uma vez por semana.

A declaração do secretário se deu no mesmo dia em que a Secretaria Estadual de Educação (Seduc-SP) recuou no anúncio da reabertura das escolas estaduais. Inicialmente, o Governo do Estado havia declarado que as atividades seriam retomadas em julho, mas informou ontem (4) afirmou que não há uma data oficial para a retomada.

O secretário também informou que o Poder Executivo vai providenciar Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para os servidores que retomarem as atividades presencialmente. Conforme ele, a Sedu recebeu ontem (4) as máscaras de proteção e álcool gel que serão disponibilizados nas instituições de ensino.

Retorno e reposição

Uma das preocupações da municipalidade diante do retorno das atividades, conforme o responsável pela Sedu, será o de retomar o ritmo de aprendizagem dos estudantes que estão há quase três meses longe das carteiras escolares. “Essas crianças que estão paradas precisam de uma atenção muito especial, será uma fase de readequação da sala de aula e do convívio da escola”, disse.

Sobre a possível reposição presencial do período letivo perdido por conta da pandemia do novo coronavírus, o secretário respondeu que a situação está sendo estudada pela equipe pedagógica da Sedu, para que o aluno tenha as aulas repostas quando voltar à escola.

Atualmente, a pasta disponibiliza atividades lúdicas em seu site, e por intermédio da programação da TV Câmara, canal oficial do Poder Legislativo. Porém, segundo Acca, essas atividades não são consideradas como reposição de aula, ou de carga horária. “Elas servem para que os alunos não percam o elo com a escola”, diferenciou.

Cartão Merenda Social segue indefinido

O benefício do Cartão Merenda Social continua sem data para ser entregue às famílias de alunos que integram o grupo de vulnerabilidade social do Cadastro Único (CadÚnico) e Bolsa Família. Conforme divulgado pela Secretaria de Educação (Sedu), questões administrativas do Poder Executivo teriam ocasionado a demora na entrega do benefício.

O vale-alimentação para 9.843 alunos da rede municipal foi anunciado pela Prefeitura em 17 de abril. O benefício será entregue por meio de um cartão magnético abastecido com o valor de R$ 56, a um custo mensal de R$ 551.208,00. O investimento total é de R$ 1.653.624,00. Por conta do atraso, a pasta pretende realizar o pagamento retroativo dos meses de abril e maio nas próximas semanas, e quitar a terceira parcela ainda no mês de junho. Inicialmente, o projeto previa o pagamento de três parcelas ao longo dos 90 dias de duração do programa.

Em entrevista ao jornal Cruzeiro do Sul, o secretário de Educação, Wanderlei Acca, adiantou que o Cartão Merenda está em processo de produção. “O processo de contrato já foi finalizado, mas eu não posso precisar para você dentro de quanto tempo ele será entregue. Já foi autorizada a confecção desses cartões. Houve alguns atrasos burocráticos na produção, mas os alunos com direito ao benefício receberão o primeiro e o segundo mês juntos“, garantiu. Ele disse que a pasta não descarta a possibilidade de prorrogar o programa.

Assim que finalizados pela empresa responsável, os cartões magnéticos serão disponibilizados pela Sedu às escolas. Elas ficarão responsáveis pela entrega do vale-alimentação aos responsáveis dos alunos que integram o CadÚnico. (Wesley Gonsalves)