Sorocaba e Região

Secretário da Cultura Werinton Kermes pede exoneração do cargo

O pedido deve-se ao fato de Kermes poder se dedicar à sua defesa em razão da operação Casa de Papel
Secretário da Cultura, Werinton Kermes, pede exoneração. Crédito da foto: Erick Pinheiro/Jornal Cruzeiro do Sul

Depois da investida da Polícia Civil e Ministério Público de São Paulo com a operação Casa de Papel na Prefeitura de Sorocaba nessa segunda-feira (8) e que envolveu três secretarias municipais, o secretário da Cultura (Secult), Werinton Kermes, decidiu pedir a exoneração do cargo na tarde desta terça-feira (9). A carta com o pedido foi entregue ao prefeito José Crespo (DEM), que aceitou. São investigadas pela polícia as secretarias da Cultura e Turismo; Comunicação e Eventos; Licitações e Contratos.

De acordo com a solicitação, a iniciativa deve-se ao fato de Kermes poder se dedicar à sua defesa, em razão da operação e, ainda, segundo o documento, para que os fatos sejam apurados com total isenção.

De acordo com Kermes, vários projetos estão previstos para ocorrer durante este ano de 2019. “Agradeço pela atenção e à oportunidade a mim concedida de atuar em prol da Cultura do município”, afirma na carta.

Leia mais  Obesidade pode causar transtornos emocionais

Kermes divulgou também ao jornal Cruzeiro do Sul os projetos idealizados por ele à frente da Cultura. Conforme relatado, estão a criação de um cineclube municipal; a realização de sessão de cinema nos bairros; uma competição de dança de rua; a ampliação do evento Cultura Zen; a realização do Festival Nacional de Curtas Metragens de Sorocaba e do Festival de Teatro Amador.

Apresentou ainda outras ações previstas para este ano, como uma nova edição da Maratona Fotográfica de Sorocaba; a ocupação dos espaços de publicidade dos pontos de ônibus com imagens e informações sobre a história de Sorocaba; intervenções urbanas, com poemas em faixas de pedestres e arte nas janelas e portas da antiga Estação Ferroviária; a criação do Coral Jovem de Sorocaba; a primeira edição do Salão de Humor de Sorocaba; e a realização de aulas de teatro no Teatro Municipal “Teotônio Vilela”.

Leia mais  Guerra declarada aos canudinhos

Além disso, informa que estão previstos no cronograma da Secult a Semana do Tropeiro, com homenagem a Vera Job; a Festa Junina com atrações musicais da Secretaria da Cultura às quartas-feiras; a programação especial de aniversário de Sorocaba; Natal na Praça; e a tradicional Cantata de Natal.

Por fim, relata a previsão de instalação do Museu do Tropeiro, no Parque dos Espanhóis, espaço que era utilizado pelo Projeto Guri; e programação extensa sobre a Consciência Negra, com mostras, festivais e palestras,  em novembro. (Da Redação)

 

Crédito da imagem: Divulgação

 

Transcrição da carta entregue ao prefeito pelo secretário da Cultura pedindo a exoneração:

“Para que eu possa me dedicar a minha defesa e os fatos sejam apurados com total isenção, decidi pedir demissão do cargo de secretário da Cultura de Sorocaba. Desta forma, também deixo o chefe do executivo municipal à vontade para prosseguir com os projetos previstos para a pasta.

Seguro de não ter agido de forma ilícita, coloco-me à disposição das autoridades, me dispondo a quebrar meu sigilo bancário e fiscal para comprovar que jamais fiz da carreira pública um meio de enriquecimento.

Profundamente abalado com a operação realizada na data de ontem (segunda-feira – 8), sigo sereno em relação a apuração dos fatos e esclarecimento da verdade.
Agradeço pela atenção e a oportunidade a mim concedida de atuar em prol da Cultura do município.

Apresento votos de elevada estima.”

 

Comentários