Sorocaba e Região

Santa Casa espera receber R$ 2 milhões para oncologia

A Santa Casa realiza 500 cirurgias oncológicas por ano, além de 11 quimioterapias e 8 mil sessões de radioterapia
Reunião tratou da importância dos investimentos na especialidade. Crédito da foto: Fernando Rezende (21/1/2021)

A Santa Casa de Misericórdia de Sorocaba poderá receber, por meio emendas parlamentares, cerca de R$ 2 milhões como forma de não inviabilizar o atendimento oncológico na unidade. A informação foi repassada nesta quarta-feira (20), após reunião realizada entre o gestor e presidente do Conselho de Administração da Irmandade Santa Casa de Sorocaba, padre Flávio Jorge Miguel Júnior, o prefeito Rodrigo Manga (Republicanos) e o deputado Rodrigo Moraes (Democratas).

“Levamos um ofício para o governador do Estado, lá no Regional, para ele poder rever essa verba. Aproveitamos a visita do deputado Rodrigo Moraes e ele vai fazer uma emenda extra, que o governador liberou, para a Santa Casa. E tem mais uma impositiva, de mais R$ 1 milhão. Com isso, no total, seriam R$ 2 milhões, suprindo as necessidades com relação à oncologia.

De acordo com o padre Flávio, o ato é uma maneira de reverter o corte em programas destinados às Santas Casas e que estariam em curso pelo Santo, em dois programas destinados a essas instituições. A Santa Casa, em se tratando de oncologia, realiza 500 cirurgias oncológicas por ano, além de 11 quimioterapias e 8 mil sessões de radioterapia. Conforme o padre Flávio, caso os cortes ocorram, de fato, os reflexos já seriam sentidos a partir do mês que vem.

Leia mais  Manchas chamam atenção de visitantes em lago no Campolim

Recurso para Covid

Durante coletiva de imprensa, na tarde de quarta-feira. Marco Vinholi, secretário de Desenvolvimento Regional, afirmou que nenhum valor foi retirado das Santas Casas, ao mesmo tempo em que disse que o montante estava sendo investido no combate ao novo coronavírus. “Nós não retiramos dinheiro das Santas Casas. Nós colocamos recursos Covid neste momento fundamental de enfrentamento da pandemia”, disse. (Marcel Scinocca)

Comentários