Sorocaba e Região

Romaria de Aparecidinha reúne fiéis no 1º dia do ano em Sorocaba

Imagem de Nossa Senhora Aparecida é levada até a Catedral Metropolitana, no Centro
A tradicional romaria homenageia Nossa Senhora Aparecida. Crédito da foto: Fábio Rogério

 

Atualizado às 16h – A Romaria de Aparecidinha, como tradicionalmente ocorre no primeiro dia do ano, foi realizada nesta quarta-feira (1º) e atraiu ao menos cinco mil pessoas segundo a Guarda Civil Municipal. Nesta data, os fiéis católicos trazem a imagem de Nossa Senhora Aparecida do Santuário de Aparecidinha até a Catedral Metropolitana, na praça Coronel Fernando Prestes, no Centro.

O ato começou às 5h, quando uma missa foi celebrada na paróquia de Nossa Senhora Aparecida. Na sequência, os devotos seguiram em romaria pela ruas do bairro, até vencer o trecho de terra batida, chegando no asfalto da avenida Três de Março. O caminho é o oposto do realizado em 14 de julho, quando a imagem deixou a praça central com destino ao bairro. O evento é o mais importante do calendário religioso da cidade.

Pelo caminho, a solidariedade esteve presente. Água e alimentos foram distribuídos em vários pontos do percurso de 16 quilômetros. Banana era um dos itens oferecidos. “É para dar força para o pessoal que está caminhando. Tinha bastante gente que dá água. Quisemos variar”, conta Eduardo Nomura, analista bioquímico. Ele já participou da romaria por quatro anos seguidos e é a primeira vez que faz a distribuição. O agente de viagem Hamilton Nakama também não participou da romaria para fazer a distribuição de alimentos durante o percurso.

A dona Olga de Barros, de 79 de anos, do Central Parque, firme com seu terço, participa do evento há 50 anos, fazendo os dois percursos, do centro para o bairro e do bairro para o centro. “Venho mais para agradecer, mesmo”, conta sobre graças alcançadas para duas irmãs, sendo que uma delas um câncer curado, segundo a aposentada.

“A gente vem para agradecer pelo ano que passou e pelo ano que está começando”, comenta o engenheiro Jefferson Gonçalves. “Pedimos pela saúde da família, pelos amigos”, diz a professora Madalena Gonçalves.

Abrindo caminho para a imagem de Nossa Senhora Aparecida, com uma bandeira, seguiu durante boa parte do trajeto o autônomo José Domingos Alves. “Enquanto Deus me der saúde, estarei na estrada”, diz. Ele participa da romaria desde quando era criança. “Não pesa, não cansa. Precisa só ter fé”, diz. Uma das motivações estava junto com ele, a neta Geovana Vitória, de sete anos e que nasceu prematura. “Participarei até Deus permitir”, garante.

E a cada momento, a multidão aumentava. Julieta Nogueira, de 67 anos, moradora da rua Yashica, por onde a romaria passa, sempre espera a imagem para fazer a caminhada, O motorista aposentado Benedito Rodrigues da Cruz, de 67 anos, da mesma rua, também engrossou o número de romeiros. Tem sido assim nos últimos 46 anos. Na lista de graças alcançadas, a preservação da vida em assaltos e acidentes. “Ela — Nossa Senhora Aparecida — intercedeu por minha vida muitas vezes”, afirma.

Ao retornar à avenida São Paulo, uma parada na Paróquia Santo Antônio. Mais à frente, hora da tradicional visita aos pacientes da Santa Casa de Misericórdia. Lá, recebida pelo presidente do Conselho de Administração da Santa Casa, padre Flávio Jorge Miguel Júnior, a imagem percorreu os quartos. Funcionários e voluntários também foram abençoados.

Missa

A emoção marcou a chegada da imagem de Nossa Senhora Aparecida na Catedral Metropolitana, por volta das 10h25, antecedida pela imagem de São Benedito. Dentro da Catedral, já ocupando praticamente todos os assentos, centenas de pessoas recepcionaram a imagem, que seguiu para altar ao cântico de “Caminhado com Maria”, e ao som de muitos aplausos.

Durante a missa, o arcebispo de Sorocaba, Dom Julio Endi Akamine, destacou o amor por Nossa Senhora Aparecida, citando o sacrifício da procissão, que já dura 121 anos. “O motivo é muito simples: ela é a mãe de Deus. Nós amamos Nossa Senhora porque ela nos dá amor”, argumenta.

“A fé, a esperança e devoção foram renovadas nesta data. Demostramos, de fato, nosso amor a Nossa Senhora”, disse ao Cruzeiro do Sul, após a missa, o arcebispo Dom Julio, que já convidou para a próxima romaria, no segundo domingo de julho.

“Para a Catedral Metropolitana é um momento muito solene. Solene e ao mesmo tempo muito encantador e também marcado pelo cansaço da procissão”, diz o pároco da Catedral Metropolitana de Sorocaba, padre Tadeu Rocha Morais. A missa foi acompanhada pela prefeita Jaqueline Coutinho, sem partido, e seu namorado, o vereador Hudson Pessini (MDB).

Por conta da romaria, algumas vias de Sorocaba foram interditadas. Crédito da foto: Fábio Rogério

Trânsito e público

Por conta da romaria, algumas vias de Sorocaba foram interditadas para a passagem dos romeiros. O percurso foram acompanhado pelos agentes de trânsito da Urbes, pela Guarda Civil Municipal (GCM) e pela Polícia Militar (PM). Além das vias Três de Março, Engenheiro Carlos Reinaldo Mendes, Yashica, São Paulo, a romaria passou pela ponte Francisco Delosso e rua Quinze de Novembro em direção à Catedral. Segundo a GCM, cinco mil pessoas participaram do evento.

 

Comentários