Sorocaba e Região

Reverendo Matheus Benevenuto comemora 90 anos de vida

Desde muito pequeno, Matheusinho, como era chamado, se dizia vocacionado para seguir o ministério
Reverendo Matheus Benevenuto Júnior e a companheira de vida, Zilá. Crédito da foto: Luiz Setti (27/7/2015)

Nascido em 1931, em Rio Claro, o reverendo Matheus Benevenuto Júnior completa 90 anos de idade hoje (21). Sua trajetória começa em 1952, quando cursou o Seminário Presbiteriano de Campinas até o ano de 1956. Ele veio para Sorocaba em dezembro de 1958, a convite do então presidente do Conselho da Igreja Presbiteriana de Sorocaba, Paulo Breda Filho, para assumir um pastoreado, que perdurou por 42 anos. Tempo depois, recebeu o título de pastor emérito.

Desde muito pequeno, Matheusinho, como era chamado, se dizia vocacionado para seguir o ministério. Cresceu orientado para essa vocação e a exerceu em sua plenitude. Ainda menino, foi acometido por uma meningite. A penicilina acabara de chegar ao Brasil em um avião fretado vindo dos Estados Unidos. Para não perder o remédio, muito caro à época, os médicos resolveram aplicá-lo em Matheusinho. O menino se curou, mas ficou surdo em um dos ouvidos. Uma sequela de gripe fez com que ele perdesse o que restava de audição no segundo ouvido. Então, Matheus passou a usar um ouvido biônico.

Leia mais  Conselho Tutelar identifica pai que obrigou filho a comer maconha

O garoto cresceu e, enquanto cursava Teologia, atuava como líder da mocidade presbiteriana e em campos missionários avançados no sertão do Paraná. Após se formar, atuou por dois anos como missionário em trabalho social na congregação da Igreja da Lapa, em Perus, com operários e metalúrgicos.

Matheus se casou com a professora de música Zilá Rodrigues Alves em 1957, filha e neta de pastores evangélicos. Tiveram, já em Sorocaba, seus quatro filhos: Noemi, Zilma, Luiz Álvaro e Andreia.

A atuação do reverendo foi muito importante para diversas instituições da cidade. Ele foi membro da Loja Maçônica Perseverança III e do conselho editorial do jornal Cruzeiro do Sul. Dirigiu o Grupo de Escoteiros Baltazar Fernandes por mais de 30 anos e recebeu as comendas mais altas do escotismo no Brasil.

Leia mais  Votorantim inicia vacinação em pessoas entre 85 e 89 anos na praça Lecy de Campos

Atuou no Rotary Club de Sorocaba, foi professor do instituto de formação da Associação Cristã de Moços (ACM) e do Seminário Presbiteriano de Campinas. Lutou pela construção do novo Hospital Evangélico de Sorocaba, onde foi capelão desde 1959 até meados de 2012, em um trabalho pautado no atendimento com base na fé cristã. Também foi presidente da Associação Evangélica Beneficente, mantenedora do Hospital.

Após crises cardiocirculatórias, recolheu-se em sua residência para cuidar da própria saúde e de sua esposa acamada. Zilá é a sua grande incentivadora, apoiadora e companheira de vida.

Entusiasta da história e atuação da igreja na história de Sorocaba, Matheus desenvolveu pesquisa sobre o cemitério protestante de Ipanema e se tornou membro do Instituto Histórico e Geográfico de Sorocaba.

Hoje, com 90 anos, tem quatro filhos, cinco netos e três bisnetos. Matheus é um pastor que vive o evangelho a todo tempo e em todos os lugares. Cativou inúmeros amigos e admiradores com sua benevolência e foi homenageado com um título de Cidadão Sorocabano.

Leia mais  Urbes revoga licitação para sistema Integrabike

Por todos esses motivos, hoje é dia de agradecimento. Ele será bastante festejado hoje, recebendo muitos parabéns da comunidade e a atenção especial da família. (Wilma Antunes, programa de estágio – Supervisão: Aldo Fogaça)

Comentários