Sorocaba e Região

Região de Sorocaba avança para a fase amarela do Plano São Paulo

A classificação é mais flexível do que a laranja, na qual a região está atualmente
Governo de SP estuda 'quarentena inteligente' a partir de junho
A região de Sorocaba saiu da fase 3 (laranja) do Plano São Paulo e avançou para a 2 (amarela). Crédito da foto: Vinicius Fonseca (25/5/2020)

As 48 cidades do Departamento Regional de Saúde de Sorocaba (DRS-16) avançaram para a fase 3 (amarela) do Plano São Paulo. A classificação é mais flexível do que a fase 2 (laranja), na qual a região está atualmente. O anúncio foi feito na tarde desta sexta-feira (19), pela secretária estadual de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen, durante a 22ª reclassificação do plano, em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo do Estado, na capital paulista. As novas regras entram em vigor a partir da próxima segunda-feira (22).

Segundo Patrícia, o avanço da regional de Sorocaba foi possível em razão da queda nos índices pandêmicos. Atualmente, a ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na região está em 71,1%. Já a quantidade de leitos disponíveis é de 13,1, para cada 100 mil habitantes. O total de novos casos, com base na mesma amostra populacional, é de 308,3, enquanto o número de óbitos é de 6,8. Já as internações somam 62,9.

A redução nos dados também foi registrada em todo o Estado. O índice de ocupação de leitos de UTI Covid é de 67,7%. Nas últimas semanas, as novas confirmações da doença caíram 14%. Já o percentual de óbitos teve diminuição de 7%. Na contramão, a quantidade de internações pelo novo coronavírus subiu 0,7%, nos últimos 15 dias, após cinco semanas seguidas de queda. Os dados foram apresentados pelo secretário estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn. Os registros, no entanto, conforme Gorinchteyn, podem estar represados, pois diversas cidades paulistas não seguiram o decreto estadual e decretaram feriado de Carnaval, entre o último sábado (13) e quarta-feira (17). Assim, podem não ter computado todos as informações referentes a esse período.

Leia mais  Fiscalização fecha quatro bares por falta de alvará em Sorocaba

Ainda na atualização desta sexta (19), a região de Presidente Prudente, então na fase amarela, passou para a 1 (vermelha), a mais restritiva. Já Franca saiu da vermelha e avançou para a laranja. “Tivemos duas regiões que apresentaram uma melhora significativa. A região de Franca, agora já com indicadores de fase laranja. Antes, estava no vermelho. E a região de Sorocaba, que estava na fase laranja, e, agora, apresenta indicadores de fase amarela”, pontuou Patrícia. No processo inverso, Barretos regrediu da classificação laranja para a vermelha.

Com essas mudanças, 69,5% da população paulista está em áreas classificadas na fase amarela; 21,7%, na laranja; e 8,8%, na vermelha.

De acordo com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), outras reclassificações podem ocorrer na próxima semana, tanto para evoluir, quanto rebaixar regiões. “Nós não vamos aguardar dez dias ou a quinzena. Faremos isso, sobretudo, em respeito à saúde, à ciência e à vida, o mais rápido possível”, justificou.

Vacinas

Na coletiva de imprensa, o presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, responsável pela produção da vacina Coronavac, em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, anunciou que, até o momento, 9,8 milhões de imunizantes já foram distribuídos para todo o Estado. De cada dez doses aplicadas em São Paulo, nove são da Coronavac, afirmou Covas.

No dia 17 de janeiro, data do envio da primeira remessa para os municípios, foram disponibilizadas seis milhões de doses. No dia 22 daquele mês, foram mais 900 mil. No dia 29, foi repassada nova remessa, com 1,8 milhão de vacinas. Já em 2 de fevereiro, foram distribuídas outras 1,1 milhão.

Além disso, de 23 de fevereiro a 4 de março, mais 3,4 milhões de doses serão entregues. Elas serão produzidas com insumos chineses recebidos nos dias 3 e 10 de fevereiro. A matéria-prima deveria ter chegado ao País em 6 de janeiro. Porém, informou Covas, devido a impasses diplomáticos entre Brasil e China, houve atraso.

Leia mais  Alto da Boa Vista recebe lançamento de empreendimento moderno

Entre os dias 3 e 31 de março, o governo pretende ter mais distribuído R$ 13,9 milhões de imunizantes. Sendo assim, até o final de março, a meta é entregar 27,1 milhões de doses. Em abril, mais 18,9 milhões. Desta forma, seria cumprida a primeira previsão de entregar, na primeira remessa, 46 milhões de doses. Posteriormente, de maio a agosto, na segunda fase, o total de doses encaminhadas as cidades será de 54 milhões. Sendo assim, entre a janeiro e agosto, o número de vacinas repassadas deve alcançar 100 milhões.

Número de vacinados

Em todo o Estado de São Paulo, até o momento, 1.932.017 pessoas já foram vacinadas. Desse total, 1.585.151 receberam só a primeira dose, enquanto as outras 346.805 tomara as duas. “A celeridade da vacinação está correndo de forma muito intensa em todo o território, e esses dados vêm corroborar para que possamos continuar vacinando”, destacou  Rejane de Paula,  coordenadora do departamento de Controle de Doenças, vinculado à Secretaria Estadual de Saúde, e responsável pelo acompanhamento do processo de imunização, ao anunciar as informações.

Leia mais  Veículo pega fogo na Vila Santana em Sorocaba

Fase amarela

Na fase amarela, comércios e serviços considerados não essenciais podem funcionar, porém, com restrições. Shoppings, galerias e semelhantes e comércio de rua podem operar por até 12 horas diárias. As atividades devem ser iniciadas após às 6h e encerradas antes das 22h. As praças de alimentação, especificamente, podem operar de acordo com a categoria do estabelecimento.

Já os bares e restaurantes podem funcionar durante dez horas por dia, dentro dos mesmos horários de abertura e fechamento. A mesma regra vale para academias de ginástica e centros esportivos, bem como para salões de beleza e barbearias. As academias devem agendar horário para os frequentadores e permitir apenas aulas e práticas individuais.

Eventos, convenções e atividades culturais também só podem durar até dez horas, seguindo os horários estabelecidos. Os organizadores devem, obrigatoriamente, controlar o acesso do público, agendar horário e demarcar assentos. O distanciamento mínimo deve ser respeitado nas poltronas e filas. Atrações com o público em pé seguem proibidas, assim como demais atividades que gerem aglomeração.

Todos esses locais devem operar com somente 40% da capacidade. Ademais, têm de adotar protocolos sanitários geral e específico contra a Covid-19.

Mudança em regra

A secretária Patrícia Ellen anunciou uma mudança em uma das regras para regiões na fase amarela. Agora, nas cidades que estiverem nesta classificação, os restaurantes podem vender bebidas alcoólicas até as 22h. Anteriormente, o limite era até as 20h. (Vinicius Camargo) 

 

 

 

 

 

 

 

Comentários