Sorocaba e Região

Rede de proteção à mulher tem acolhimento e assessoramento em Sorocaba

Uma importante conquista da cidade é o plantão de monitoramento à vítima via celular
‘Botão do pânico’ muda para ‘Protege Mulher’ e não precisa ser reinstalado
Aplicativo é para mulheres com medidas protetivas da Justiça. Crédito da foto: Secom Sorocaba

Sorocaba tem uma rede pública de proteção à mulher, que desenvolve ações de prevenção e combate à violência. Esta rede, em sua maioria vinculada à Prefeitura, envolve a Guarda Civil Municipal (GCM), o Centro de Referência da Mulher (Cerem), o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (CMDM), a Coordenadoria de Desenvolvimento Social da Mulher (Secid) e afins.

Uma importante conquista da cidade é o plantão de monitoramento à vítima via celular, ferramenta que ficou conhecida como Botão do Pânico e foi renomeada recentemente como Protege Mulher. Para ter direito a ele, a mulher vítima de agressão precisa ter feito Boletim de Ocorrência e solicitar a medida protetiva de urgência. O pedido é encaminhado ao juiz e, tendo a medida judicial em mãos, a vítima precisa comparecer ao Cerem, onde é feito o cadastro. O Protege Mulher funciona no celular, então é necessário um aparelho com no mínimo uma configuração 5.0 e internet.

No Cerem, que é a principal porta de entrada aos atendimentos à mulher, há o grupos de acolhimento inicial, onde as vítimas (ou qualquer outra mulher que tenha dúvidas) recebem orientações acerca dos tipos e graus de violência e é ofertado o acompanhamento, objetivando o rompimento do ciclo da violência por meio do autofortalecimento. As mulheres atendidas são convidadas a serem palestrantes em locais como empresas e escolas, onde fazem a
divulgação da Lei Maria da Penha e da rede de proteção municipal. O Cerem fica na avenida Pres. Juscelino Kubitscheck de Oliveira, 440. O telefone é (15) 3235-6770.

A rede de proteção também engloba os Centros de Referência e Assistência Social (Cras) e Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas); Casas Abrigo; Centro Especializado de Reabilitação do Autor em
Violência Doméstica (Cerav), mantidos pelo Centro de Integração da Mulher (CIM Mulher); e atendimentos de saúde.

Além dos serviços ligados à Prefeitura, tem ainda o Juizado Especial Criminal e de Violência Doméstica Familiar, a Patrulha da Paz (parceria do Juizado da Mulher com a Polícia Militar) e a Delegacia de Defesa da Mulher de Sorocaba, que fica na rua Caracas, 846 (atrás da pista de caminhada do Campolim). O telefone é (15) 3232-1417.

Outro canal de atendimento de casos de violência contra a mulher é o Disque-Denúncia: 180.

Comentários