Sorocaba e Região

Programa espera regularizar 17,5 mil casas em Sorocaba

Programa Casa Digna foi lançado em solenidade no Jardim Josane, região de Aparecidinha
Programa Casa Digna foi lançado ontem em solenidade no Jardim Josane, região de Aparecidinha. Crédito da Foto: Marcel Scinocca (11/1/2021)

Ao menos 17,5 mil unidades residenciais de Sorocaba, sem regularização fundiária, passarão por processo de urbanização até o final de 2024. A estimativa é do secretário de Habitação e Regularização Fundiária da Prefeitura de Sorocaba, Tiago da Guia. As declarações foram dadas durante o lançamento do programa Casa Digna, realizado ontem (11) à noite, no jardim Josane, na região do Aparecidinha.

São diversos pontos e núcleos identificados e que precisam de regularização em todas as regiões de Sorocaba, mas parte deles, precisam de um processo de urbanização. “Na verdade, alguns núcleos são próprios para a regularização fundiária e outros que não estão com infraestrutura. Nesses, nós vamos atrás de recursos para urbanizar esses espaços para que se tornem propícios para a regularização fundiária”, disse Tiago.

“Nós estimamos que seja um terço desses núcleos que não tem processo de urbanização. Inclusive, na sexta-feira (8), nós fomos em um dos pontos, no Vitória Régia. É um núcleo de extrema importância. É grande e não tem nenhuma urbanização”, comenta. Ainda de acordo com o secretário, em determinado momento, o governo municipal vai depender da celeridade dos cartórios para efetivar o processo.

Leia mais  Governo do Estado anuncia mais 20 leitos de UTI para Sorocaba

O prefeito Rodrigo Manga (Republicanos) lembrou que a cidade possui várias regiões com o problemas de invasão, por exemplo. “Infelizmente, viraram favelas. Agora, com essa urbanização, vamos dar condições de moradias dignas”, afirma. Ainda de acordo com ele, a fiscalização será intensificada para que as ocupações irregulares não ocorram novamente.

O programa

O programa Casa Digna Sorocaba foi lançado na solenidade na escola Escola Municipal Ronaldo Campos de Arruda. No evento, foi realizada a entrega inicial de títulos de posse de imóveis a 40 famílias do bairro de Aparecidinha. Conforme Manga, a grande dificuldade estava no número de profissionais da pasta. Entretanto, houve um acordo com universidades da cidade para a realização de parceria em torno do projeto de regularização.

Dona Josefa Maria de Jesus Silva, de 74 anos, foi a primeira beneficiada do programa. “É muito importante. É uma coisa que a pessoa precisa. Paguei aluguel por 12 anos. Depois comprei um lote da minha vizinha e agora estou recebendo o documento. Estou muito satisfeita”, comemorou logo após receber a documentação. Até o final do programa, a expectativa é regularizar 50 mil imóveis na cidade.

A cerimônia contou com a participação especial da Banda Regimental do Comando de Polícia do Interior (CPI-7). (Marcel Scinocca)

Comentários
Assuntos