Buscar no Cruzeiro

Buscar

Programa 'Adote uma Praça' já tem 26 espaços públicos acolhidos na cidade

18 de Abril de 2021 às 00:01
Wilma Antunes [email protected]

Programa Adote uma Praça ganha simpatizantes Praça da Maçonaria recebe cuidados a cada 30 dias, informa Laelso Rodrigues. Crédito da foto: Fábio Rogério (8/4/2020)

O programa Adote uma Praça, regulamentado em 2019, já conta com 26 espaços públicos adotados por empresários, cidadãos, instituições e empresas. A iniciativa tem como objetivo oferecer oportunidade para que toda pessoa, empresa ou instituição, possa ajudar na conservação e manutenção de espaços públicos de Sorocaba.

Ao assinar o convênio, os participantes assumem o compromisso de cuidar do local adotado, mantendo o controle de plantas daninhas e demais espécies infestantes. Além de conservar os gramados limpos, assim como canteiros, bancos, passarelas e caminhos pertencentes à área.

Praça Santa Beatriz da Silva e Menezes, no Jardim Vera Cruz, é um dos locais 'adotados': cuidado e manutenção. Crédito da foto: Fábio Rogério.

Em contrapartida, têm o direito de instalar placas de identificação da adoção do espaço - seja de um parque, praça ou uma área -; colocar informe publicitário em bancos, lixeiras, playground e academia ao ar livre; urbanizar e decorar o espaço apresentado no projeto, com instalação de dispositivos para exploração publicitária; mesas, cadeiras e demais equipamentos autorizados no projeto, além de promover eventos, desde que sejam previamente analisados e autorizados pela Prefeitura.

O Conselho Maçônico de Sorocaba e Votorantim é responsável pela manutenção da Praça da Maçonaria, no Jardim Paulistano. A instituição participa do programa desde 2019 e escolheu o espaço como forma de preservar a memória da fraternidade na cidade. O presidente da Loja Maçônica Perseverança III e instituidor da Fundação Ubaldino do Amaral (FUA), Laelso Rodrigues, de 90 anos, diz que a manutenção é feita, em média, a cada 30 dias.

“Nosso objetivo é melhorar a praça cada vez mais e contribuir com o meio ambiente. Assim a população pode usufruir de um espaço mais bonito e receptivo”, conta o presidente Laelso. Por conta da pandemia do novo coronavírus, os serviços nas praças ficam limitados. Além disso, outra dificuldade é a remoção de plantas daninhas nas calçadas, visto que a Prefeitura não autoriza o uso de produtos químicos nessas áreas.

Mesmo com alguns impasses, Laelso vê a iniciativa com bons olhos. Para ele, é importante manter o trabalho comunitário, sobretudo em questões relacionadas ao meio ambiente e bem-estar. “Sabemos que o serviço de manutenção em praças não é fácil, ainda mais em períodos chuvosos. Mas a ação é muito importante para o desenvolvimento de trabalho social. Temos praças lindas na cidade, como é o caso da Kasato Maru. Queremos seguir o exemplo dela”.

Programa Adote uma Praça ganha simpatizantes Maury Vilela, de 81 anos, investe na Praça Santa Beatriz da Silva de Menezes. Crédito da foto: Fábio Rogério (8/4/2020)

O aposentado Maury Vilela, de 81 anos, também firmou parceria com a Prefeitura em 2019. Ele adotou a Praça Santa Beatriz da Silva de Menezes, no Jardim Vera Cruz, e cuida do espaço como se fosse o quintal de sua casa. Atento a cada detalhe e apaixonado pelas práticas botânicas, Maury escolheu a praça, como cidadão, para ter um espaço bonito e confortável no bairro onde mora. “Via que o pessoal aqui do prédio queria usar o espaço mas não podia. Não tinha nem banco, estava muito feio. Hoje é diferente, eles vêm aqui e aproveitam. Até missa já aconteceu na praça”, conta.

Quem passa pela praça se depara com pé de maracujá, acerola, manga, pitanga, amora, mamão e abacate. Maury teve o cuidado de colocar placas de identificação em todas as plantas - frutíferas ou não. Foi o aposentado que plantou tudo que há na praça. Ele diz que sente prazer em cuidar do espaço. “Tudo isso já é uma recompensa, é a minha satisfação pessoal, mesmo. Comprei 120 mudas de plantas, eu gasto aqui. Mas adoro ver a criançada brincando na praça, pessoas sentadas nos bancos conversando. Esse é o meu objetivo”, diz empolgado.

Já a área pública da rua Octaviano Gozzano, em frente a Construtora Planeta, no bairro Campolim, recebeu uma reforma da empresa. O presidente da Planeta, Ricardo Guimarães, de 53 anos, diz ter reconquistado e espaço ao adotar o local. A área se transformou em uma “pracinha”, onde as pessoas, geralmente, aguardam carros de aplicativo ou ficam depois do almoço, diz o empresário.

Programa Adote uma Praça ganha simpatizantes Construtora Planeta é parceira da Prefeitura no programa Adote uma Praça. Crédito da foto: Fábio Rogério (8/4/2020)

A construtora e a administração municipal firmaram parceria formalmente há três anos. “Fico feliz quando vejo duas pessoas aproveitando a sombra de uma árvore. Mesmo antes do programa ter sido criado, fazíamos algumas ações voluntariamente no entorno de empreendimentos. Isso favorece o convívio entre as pessoas e também a segurança”, conta. O espaço foi contemplado com projeto paisagístico, bancos, inserção de equipamentos urbanos e manutenção.

Placas que indicam a participação da empresa no programa foram instaladas na área pública. Mesmo com todo o investimento no local, Ricardo diz não esperar retorno financeiro. “O retorno que espero é de empatia com a sociedade. É muito importante esse lado humano de sentir as coisas. Para mim, isso basta”, diz orgulhoso.

Além da área pública do Campolim, a Planeta já havia adotado outra no Jardim Gonçalves, revitalizando o local com instalação de aparelhos de ginástica e pista de caminhada, plantio de árvores e fixação de bancos para descanso, além da reconstrução do paisagismo. O empresário diz que o foco é transformar estes locais em áreas agradáveis que possam ser utilizadas pela população, proporcionando mais opções de lazer e contato com a natureza. (Wilma Antunes - programa de estágio)