Sorocaba e Região

Prefeitura retoma forma de divulgação de dados

A Prefeitura retomou ontem (6) a metodologia de divulgação de dados referente a pandemia feita durante 2020. A mudança ocorreu após críticas ao modelo adotado desde o dia 2, já no governo de Rodrigo Manga (Republicanos) e da ausência de informações. Durante o período, o governo deixou por exemplo, de fazer as artes com o principais dados sobre a situação. Essa divulgação ocorre desde março de 2020, quando teve início a pandemia e foi feita de forma ininterrupta, até então.

Na terça-feira (5), o Executivo divulgou uma nova arte com os dados. Saiu a tradicional tabela para dar lugar a círculos em uma espécie de constelação. A evolução dos casos confirmados, mortes, recuperados, em recuperação e internados também deixaram de ser publicadas no novo modelo. Ainda assim, em forma de arte e com dados retroativos, as informações deixaram de ser publicadas no site da Prefeitura de Sorocaba, em local específico, entre os dias 29 e 4 de janeiro.

Leia mais  Dupla é presa após furtar 20 kg de fiação de obra em Sorocaba

Toda a situação, chamou a atenção da promotora Cristina Palma, que acompanha a questão pandêmica da cidade. “Não é muito esclarecedora, de fácil visualização. Acredito que a forma de tabela, como padrão, é visualmente mais fácil de acompanhar“, disse ontem. A promotora, que está em recesso, afirmou ainda que entrou em contato com membros da Prefeitura para tratar da questão.

Cristina Palma sentiu falta de quadro de evolução dos casos, como ocorria até 2 de janeiro. De acordo com ela, o novo modelo era pouco informativo. Segundo ela, no material havia a necessidade constar dados mais precisos. “É de interesse da população e do Poder Público”, disse.

A reportagem apurou que a Prefeitura deixou de armazenar os boletins com a evolução dos casos e com o censo diário de ocupação de leitos, como era feito na área “coronavírus”. A última vez em que as informações foram armazenadas ocorreu em 2 de janeiro. A última consulta foi feita às 21h20 de ontem. (Marcel Scinocca e Jomar Bellini)

Comentários