Sorocaba e Região

Prefeitura quer reavaliação de fase em Sorocaba para ampliar flexibilização

Jaqueline Coutinho vai apresentar estudo para enquadrar a cidade na zona 3, que permite a abertura de 40% do comércio
Atualmente Sorocaba está na fase 2, que permite abertura do comércio com 20% da capacidade. Crédito da foto: Fábio Rogério (18/5/2020)

A Prefeitura de Sorocaba, seguindo o plano do Governo do Estado de São Paulo de flexibilização das atividades econômicas, permitirá a reabertura de parte do comércio a partir da próxima segunda-feira, dia 1º de junho. A taxa de capacidade, porém, será de 20%, em virtude de a cidade ter se enquadrado na chamada zona 2 — matriz usada pelo Estado para classificar as cidades no processo de flexibilização e que permite somente esse índice em cada comércio.

Com essa zona poderão funcionar na cidade, por exemplo, imobiliárias, concessionárias de veículos, escritórios, comércio de rua e shoppings centers. Todos, entretanto, com apenas 20% da capacidade. Não houve definição sobre o transporte coletivo.

Conforme a prefeita de Sorocaba, Jaqueline Coutinho (PSL), a cidade deverá apresentar nesta quinta-feira (28) um estudo para viabilizar a possibilidade de se enquadrar na zona 3, que permite a abertura de 40% do comércio. “Colocaram na mesma vala Sorocaba, Ibiúna, Araçoiaba”, comentou. Ela apontou que as cidades possuem realidades, número de casos e estrutura hospitalar diferentes, por isso, deve concluir o estudo para contestar o Estado para a mudança de zona.

Leia mais  ‘Com taxa de isolamento em 48% não será possível flexibilização em SP’, diz Doria

 

A análise deverá ser concluída até às 12h. O estudo será realizado pelo Comitê de Enfrentamento do Coronavírus em Sorocaba, chefiado pelo médico Fernando Brum. A quantidade de leitos para Covid-19 na cidade e os números de casos são usados para a mudança de critério. “A priori, nós não estamos em uma situação desconfortável”, comentou a prefeita.

O resultado desse estudo, que levará em consideração dados da Secretaria de Saúde, será apresentado para o Governo do Estado e para a Secretaria de Desenvolvimento Social. “Respeitamos a hierarquia que existe no tocante às decisões administrativas até o limite”, disse. A prefeita não descartou judicializar a questão, caso o Estado não permita a mudança de zona para a cidade, mesmo com os dados. “Nada será feito em contrariedade à lei”, ressaltou.

Jaqueline Coutinho destacou também a questão da ampliação no número de leitos na cidade. O mesmo fez o secretário de Saúde Ademir Watanabe. “Esse número de leitos seria suficientes para fazer a primeira abordagem. E o foram até recentemente, quando a gente teve uma explosão muito grande no número de casos”, afirma. Conforme ele, após esse aumento, houve a contratação de novos leitos na Santa Casa e no Hospital Gpaci. “Hoje estamos com um quantitativo que achamos suficiente em UTI.”

Sorocaba flexibiliza e permite abertura de parte do comércio a partir de segunda
Segundo a prefeita Jaqueline Coutinho, a cidade apresentará hoje um estudo para viabilizar a possibilidade de se enquadrar na zona 3. Crédito da foto: Fábio Rogério (27/5/2020)

 

A sistemática para as internações usadas pela Secretaria de Saúde (SES) é a seguinte: pacientes leves e que eventualmente precisem de internação serão atendidos no hospital de campanha. Essa regra vale para casos suspeitos e confirmados de coronavírus. Já os casos moderados permanecem na Santa Casa. Os casos graves ficam nas UTIs da Santa Casa. “São suficientes? Esperamos que sim. Mas se não o forem, nós rapidamente iremos ampliar ainda mais esse número”, garantiu Watanabe.

Leia mais  Bolsonaro vai ao STF pedir flexibilização

 

Segundo o secretário de Saúde, há na cidade 608 recuperados. No momento em que ele apresentava esse número, Sorocaba tinha 694 casos confirmados. “Estamos no caminho correto”, disse.

Transporte coletivo

Conforme a prefeita, a operação do transporte coletivo também está em estudo e o resultado será apresentado nesta quinta-feira (28). Há a expectativa de que o percentual de passageiros aumente mais 20%.

Taxa de isolamento

Durante a coletiva de imprensa, a prefeita Jaqueline Coutinho, tendo o resultado de uma das taxas de isolamento mais baixas já registradas pela cidade, afirmou que tem dúvidas com relação à eficácia da métrica adotada pelo Estado. “Eu não confio nesse isolamento”, disse Fernando Brum, sobre a índice. Conforme ele, os dados são hipotéticos, sem ter como provar. Ele também afirmou ser contra o uso do índice como punição para as cidades.

Já o secretário de Saúde de Sorocaba pediu novamente para que a população de Sorocaba ajude no processo de isolamento social. “Isolamento social, uso de máscara e etiqueta social têm que continuar”, disse. “Continua tudo como está. Não é opinião, é pedido. Usem a máscara e evitem aglomeração.”

‘Pior ainda está por vir’, diz Watanabe

O secretário de Saúde Sorocaba afirmou ontem que o pior está por vir com relação à pandemia de coronavírus. Ele ainda projetou para a cidade um número de aumento nos casos confirmados na cidade até a sexta-feira, 5 de junho. “Estamos nessa curva exponencial, num crescimento muito intenso, onde provavelmente a gente tenha, em 5 de junho, 1.388 casos confirmados. É uma previsão”, afirmou.

Leia mais  Flexibilização de isolamento pode causar colapso na saúde, alertam especialistas

 

Ele também projetou 47 mortes até o dia 5 do mês que vem. Atualmente, a cidade tem 41 óbitos confirmados pela doença. “Acho que o pior ainda está por vir. Ainda estamos muito preocupados, não resta a menor dúvida”, comentou.

Ele também afirmou que o aumento previsto no número de casos se deve ao maior número de testes que estão sendo realizados na cidade. Watanabe também frisou sobre o processo de atendimento dos casos em que os pacientes apresentam síndrome gripal. De acordo com ele, o atendimento precoce ajuda a aumentar as chances de cura. (Marcel Scinocca)

Comentários