Sorocaba e Região

Mutirão de castração de cães e gatos é retomado em Sorocaba

Programa estava suspenso há um ano, por conta da pandemia de Covid-19
O lançamento do mutirão de castração foi nesta quarta-feira (1). Crédito da foto: Fábio Rogério

Após um ano suspenso por conta da pandemia de Covid-19, o mutirão de castração de cães e gatos foi retomado em Sorocaba. O lançamento da edição de 2021 ocorreu na praça Portal do Éden, situada no bairro homônimo, na zona industrial, na tarde desta quarta-feira (3). A solenidade contou com a presença do prefeito Rodrigo Manga (Republicanos), do secretário municipal do Meio Ambiente, Proteção e Bem-Estar Animal, Antonio Prieto Neto, do presidente da Câmara de Vereadores, Cláudio do Sorocaba I (PL), do parlamentar João Donizeti (PSDB), líder de governo no Legislativo e presidente do Conselho Municipal de Proteção e Bem-Estar Animal (CMPBEA), e de Eduardo Roberto Abdala Santos, representante do Conselho Municipal de Desenvolvimento do Meio Ambiente (Condema). Na ocasião, Manga anunciou, ainda, a construção de um Centro de Castração no município, enquanto Prieto Neto divulgou a criação do projeto PET Solidário.

A meta, por meio da iniciativa, é castrar dois mil animais, por mês. O serviço estava interrompido desde março de 2020. O programa é desenvolvido pela Prefeitura.

O mutirão foi iniciado na região de Brigadeiro Tobias, onde aconteceu na segunda (1) e na terça-feira (2). Contudo, o lançamento oficial ocorreu nesta quarta (3). No Éden, as cirurgias prosseguem até sexta-feira (5). As inscrições para os moradores dos bairros da região interessados em castrar os seus animais foram abertas na semana anterior, de 24 a 26 de fevereiro, e já foram encerradas. Ao todo, foram 606 cadastros. O serviço é gratuito. Para participar, os tutores precisam apenas apresentar comprovante de endereço atualizado, RG e CPF.

Leia mais  Estado de São Paulo volta para a fase vermelha; Veja as regras

No local, os donos recebem uma senha. Em seguida, os animais passam por triagem. Depois, são submetidos à cirurgia. Por fim, recebem os cuidados pós-operatórios. Os medicamentos para o tratamento pós-cirúrgico também são disponibilizados gratuitamente. Os procedimentos são realizados por veterinários de uma clínica médica contratada pela administração municipal.

Nesta edição, há uma novidade. Além de castrados, os cachorros e gatos também são microchipados. O objetivo da medida, informa Prieto Neto, é monitorar a situação de abandono de animais na cidade. Por meio dos dispositivos, que conterão todas as informações sobre os pets, a Prefeitura poderá identificar os tutores de animais abandonados e responsabilizá-los pelo ato. Em caso de fuga, igualmente será possível devolvê-los aos proprietários, detalha o secretário.

Já a intenção da castração é frear o aumento populacional de animais e a consequente elevação no número de abandonos, bem como garantir a saúde deles e da população, afirma Prieto Neto. A cirurgia, destaca ele, impede o desenvolvimento de doenças, como câncer de mama, nas fêmeas, e de próstata, nos machos, e a possível transmissão de outras patologias para os humanos. “Quando cuidamos do bem-estar dos animais, também cuidamos do bem-estar da população”, completou.

As próximas regiões a receber o mutirão serão as dos bairros Carandá e São Bento, nos dias 29, 30 e 31 de março. Para essa etapa, as inscrições ainda não foram abertas. O cronograma completo não está definido, mas a intenção é atender uma região por mês, diz o secretário municipal.

Leia mais  Com fim de megaferiado, veja o que volta a funcionar em Sorocaba

O coordenador de projetos Amauri Annibal, 55 anos, levou o seu cão, o poodle Snoopy, de 9 meses, para ser castrado. O tutor decidiu submeter o seu animal de estimação ao procedimento, principalmente, para prevenir doenças. Além disso, mora em um condomínio onde há diversas cadelas. Desta forma, quer evitar que Snoopy cruze. “É importante para preservar a saúde dele”, considera Annibal. Ele já castraria o cachorro uma clínica particular. Os valores pesquisados estavam entre R$ 160 e R$ 200. Quando soube do mutirão no bairro onde mora, se inscreveu e não gastou nada.

Amauri: a castração é uma forma de cuidar da saúde de Snoopy. Crédito da foto: Fábio Rogério (03/03/2021)

A operadora de máquina Bruna Rodrigues, 34 anos, também aproveitou a oportunidade e economizou. Ela igualmente pretendia pagar pela operação do vira-lata Jack, de 11 meses. Segundo Bruna, na rede privada, os preços vão de R$ 300 a R$ 400. Jack, conta, fica sozinho por longos períodos. Por esse motivo, é agitado. Devido à inquietude, o cão urina em todos os ambientes do apartamento dela. Em pesquisas, Bruna descobriu, entre os benefícios da cirurgia, a possibilidade de auxiliar a acalmar os animais domésticos. Por isso, para tentar mudar o comportamento de Jack, ela o castrou. “Ele terá menos riscos de pegar doenças e também será bom para a saúde dele, pois ficará mais tranquilo”, pontua.

Bruna aproveitou o mutirão para castrar Jack gratuitamente. Crédito da foto: Fábio Rogério (03/03/2021)

Cuidados

Animais de todas as idades podem ser castrados. Porém, o ideal é que eles passem pela cirurgia após os seis meses de vida. Nessa fase, os cachorros e gatos, normalmente, já tomaram todas as vacinas e estão com o sistema imunológico fortalecido, explica Prieto Neto. Além desse cuidado, outros são necessários antes do procedimento.

Previamente, o animal deverá ficar em jejum completo (água e comida) por seis horas. Os cães devem ser levados ao mutirão com coleira, guia ou caixa de transporte. Se for bravo, deve estar, também, com focinheira. Já os gatos devem ser levados em caixas de transporte, com segurança.

Leia mais  Prefeitura confirma cepa 'da África do Sul' e indústria deve paralisar parcialmente

Caso o tutor leve mais de um animal, a orientação é ir acompanhador de alguém para ajudá-lo. O cuidador igualmente deve levar uma proteção para o animal usar após a castração, como roupa pós-cirúrgica ou colar elisabetano.

 Centro de Castração

Na ocasião, Manga também anunciou a criação de um Centro de Castração, no Jardim Zulmira, na zona oeste. A unidade de saúde animal deve ser inaugurada no segundo semestre deste ano, provavelmente, em setembro. No centro, os animais passarão pela cirurgia e também poderão ficar internados e serão medicados após a operação.

A estimativa, destacou Prieto Neto, é de que seis mil animais, entre cães e gatos, sejam cadastrados anualmente no local.

 PET Solidário

O secretário Prieto Neto divulgou, ainda, o início do projeto PET Solidário. Por meio do programa, o Executivo vai arrecadar sacos de ração, para ampliar o estoque de alimentos da administração municipal. Posteriormente, os produtos serão enviados para protetores de animais e Organizações Não Governamentais (ONGs) desse ramo da cidade.

O trabalho será efetuado pela pasta do Meio Ambiente, Proteção e Bem-Estar Animal, em parceria com o respectivo Conselho Municipal e a Câmara. (Vinicius Camargo)

Comentários