Covid-19 Sorocaba e Região

Prefeitura de Sorocaba pretende comprar 300 mil doses de vacina

Cidade ocupa a segunda posição na lista de negociações com Johnson & Jonhson
Prefeitura de Sorocaba pretende comprar 300 mil doses de vacina
A vacina Janssen é aplicada em dose única. Crédito da foto: Scott Olson / Getty Images / AFP

A Prefeitura de Sorocaba pretende comprar até 300 mil doses de vacina, com recursos próprios e por meio de parceria com a iniciativa privada.

A cidade já se prepara para tal aquisição e atualmente ocupa a segunda posição na lista de negociações da compra da vacina Janssen, do grupo Johnson & Jonhson, atrás somente do município de São Paulo.

Além da Janssen, que é aplicada em dose única, a Prefeitura de Sorocaba solicitou orçamento para outras empresas do segmento.

Investimentos a partir de R$ 5 milhões

Desse total de 300 mil doses pretendidas por Sorocaba, na primeira compra, de 50 mil a 100 mil doses seriam destinadas a profissionais da Saúde e da Educação, estimando um investimento a partir de R$ 5 milhões.

Questionada a respeito, a Prefeitura de Sorocaba informa que enviou à Câmara, na quinta-feira (11), em caráter de urgência, um projeto de lei que ratifica o protocolo de intenções com a finalidade de adquirir vacinas, medicamentos, insumos e equipamentos na área da Saúde, para combater a pandemia da Covid-19.

Leia mais  MP arquiva inquérito sobre compra de material escolar em Tatuí

“Caso o protocolo de intenções seja efetivado, o mesmo será convertido em um contrato de consórcio público. Desta maneira, o consórcio terá personalidade jurídica de direito público, adquirindo natureza autárquica”, informa a prefeitura. Porém, não foi informado prazo para a efetiva compra das vacinas.

Consórcio público

Dentre os embasamentos para o envio da proposta à Câmara, está a Lei nº 534, de 2021, sancionada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, na quarta-feira (10), que facilita a compra de vacinas pela União, pelos governos estaduais e municipais, e também pela iniciativa privada.

O ato é ainda apoiado pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP), entidade que representa nacionalmente os municípios. A FNP lidera e apoia a formatação de consórcio público, com iniciativa e manifestação de interesse de 1.703 municípios que também almejam agilizar a imunização de suas respectivas populações.

“Entendemos que há urgência na necessidade de vacinação, não só para frear um iminente colapso generalizado na saúde em nível nacional, como também para retomarmos, o quanto antes, a atividade econômica, a geração de empregos e renda, além do convívio social”, disse o prefeito Rodrigo Manga.

Leia mais  Operação contra pancadões autua 21 veículos em Sorocaba

Vacina Janssen

O grupo Johnson & Johnson, que produz a vacina Janssen, informa que seu imunizante recebeu autorização para uso emergencial da União Europeia na quinta-feira (11), para pessoas a partir de 18 anos. A vacina é desenvolvida pelo braço farmacêutico da empresa, a Janssen.

A subsidiária da Johnson & Johnson informa que pediu à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) uma reunião no dia 16 de março no qual vai pedir autorização para uso emergencial da vacina no Brasil.

A partir de abril

A empresa informa ainda que começará a realizar entregas de sua vacina contra a Covid-19 na segunda metade de abril, e que está comprometida a entregar 200 milhões de doses do imunizante ao bloco europeu e também para Noruega e Islândia, ainda em 2021.

O grupo lembra que, nos testes de fase 3, a vacina demonstrou 67% de redução dos casos de doenças com sintomas da Covid-19 nos participantes que receberam o imunizante, em comparação com o grupo que tomou um placebo.

Leia mais  Quatro municípios da RMS registram a variante de Manaus

A vacina é ainda 85% eficaz na prevenção de casos mais graves em todas as regiões estudadas e mostra proteção contra hospitalização e morte relacionadas à doença a partir de 28 dias após a vacinação, diz a empresa. (Ana Cláudia Martins)

Comentários