Sorocaba e Região

Prefeitura de Sorocaba discorda de pesquisa feita pelo Conselho de Educação

Governo pretende adotar conteúdo pedagógico do Sesi na rede municipal de ensino
André Gomes é titular da Secretaria de Educação de Sorocaba. Crédito da foto: Erick Pìnheiro

A Prefeitura de Sorocaba, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Sedu), declarou discordar do resultado da pesquisa realizada pelo Conselho Municipal de Educação sobre a utilização do conteúdo pedagógico do sistema Sesi nas escolas da rede municipal no próximo ano letivo. De acordo com o secretário André J. Gomes, a pesquisa feita pelo Conselho não contempla a totalidade das unidades escolares – são 151 e 92 delas foram consultadas.

“Trata-se de um levantamento subjetivo e parcial, sem qualquer indicação da metodologia utilizada e da veracidade da amostra, concentrando em sua quase totalidade na opinião dos entrevistados a respeito do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) e não sobre a qualidade do sistema de ensino do Sesi. Uma verdadeira ofensa à inteligência vigente e à seriedade dos institutos de pesquisa em atividade”, afirmou o secretário.

Segundo o Conselho, 93% dos professores entendem que o sistema didático do Sesi não atenderia aos preceitos do Projeto-Político-Pedagógico

A consulta pública feita pelo Conselho Municipal de Educação de Sorocaba (CMESO), que tabulou os resultados, aponta que 96% dos professores da rede municipal de ensino e 96% dos Conselhos Escolares, que responderam a pesquisa, são contrários à adoção do sistema Sesi de ensino, anunciado pela Secretaria da Educação (Sedu). O CMESO consultou 1.659 pessoas, entre professores, equipe gestora e Conselho de Escola, de 92 unidades (61%), entre escolas municipais e Centros de Educação Infantil (CEIs), no período de 31 de outubro a 30 de novembro, de um total de 151 escolas da rede municipal. Além disso, segundo o Conselho, 93% dos professores entendem que o sistema didático do Sesi não atenderia aos preceitos do Projeto-Político-Pedagógico (PPPs) das suas escolas.

Quando analisados por segmento, a pesquisa aponta que entre os professores das escolas de ensino fundamental 92% se mostraram não favoráveis. Já nos Centros de Educação Infantil, 98% não são favoráveis à substituição do PNLD. O relatório do CMESO também foi encaminhado ao Ministério Público e o parecer sobre a consulta pública será votado na próxima reunião do Conselho, marcada para amanhã.

Apresentação do material

Para o presidente do CMESO, o fato das escolas consultadas afirmarem que não participaram das discussões quanto à adoção de material didático do Sesi na rede municipal de ensino, fere o princípio da gestão democrática do ensino público, assegurado pela Constituição Federal, pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional e pelos Planos Nacional e Municipal de Educação.
Em nota, o secretário de Educação, André J. Gomes contesta e afirma que “a Sedu está realizando reuniões em todas as escolas da rede para apresentar o material e tem encontrado inúmeras pessoas a favor do sistema didático do Sesi, bem como vários pais de alunos têm se manifestado pela adoção do material nas escolas municipais”.

Leia mais  A importância da pós-graduação na docência da Educação Infantil

 

Segundo o presidente do CMESO, a Sedu recusou-se a divulgar a consulta pública, no Jornal do Município ou por e-mail às escolas da rede municipal, mesmo com a solicitação do Conselho. A Sedu justifica afirmando que o Conselho não observou os prazos devidos à pasta para fazer a divulgação da pesquisa na rede, tendo se antecipado na divulgação. (Da Redação)

Comentários