Sorocaba e Região

Prefeitura de Sorocaba destina cerca de R$ 3 milhões para Santa Casa

Com a verba, a unidade de saúde comprará equipamentos cirúrgicos, hospitalares e de informática
Em ato simbólico, Rodrigo Manga entrou cheque para padre Flávio e para a gestora de Divisão em Saúde da Prefeitura, Ana Paula Diegues. Crédito da foto: Fábio Rogério (8/4/2021)

A Prefeitura de Sorocaba destinou cerca de R$ 3 milhões para a Santa Casa de Misericórdia de Sorocaba, por meio de emendas impositivas. O anúncio sobre o repasse dos recursos foi feito pelo prefeito Rodrigo Manga (Republicanos), na tarde desta quinta-feira (8), em cerimônia no hospital. Com a verba, a unidade de saúde comprará equipamentos cirúrgicos, hospitalares e de informática.

As emendas somam R$ 2.792.600,13. Segundo Manga, neste momento, o Executivo repassará R$ 1.230.112,50 para o hospital. Em um ato simbólico, o chefe do Executivo entregou um cheque nesse valor para o gestor da Irmandade da Santa Casa, padre Flávio Jorge Miguel Júnior. De acordo com o prefeito, o restante (R$ 1.562.487,63) será liberado em, no máximo, 45 dias.

A distribuição dos recursos foi definida a partir das principais necessidades da Santa Casa. Conforme padre Flávio, grande parte dos recursos será aplicada no centro cirúrgico, pois o espaço demanda melhorias urgentes. Do total, R$ 600 mil vão para aquisição de novos instrumentos cirúrgicos. Ainda de acordo com ele, o centro existe há mais de 30 anos, sendo considerado antigo. Por isso, precisa ser modernizado. Além disso, completa, há poucos materiais, e alguns também são ultrapassados, enquanto outros estão quebrados. Padre Flávio afirma que os materiais mais modernos devem contribuir para agilizar as operações.

Leia mais  Hospital Oftalmológico de Sorocaba inaugura Departamento de Olho Seco

A verba igualmente será utilizada para a compra de 85 computadores e 35 notebooks (R$ 439.930); duas refrigeradoras de medicamentos (386.934), oito ventiladores pulmonares (R$ 481.128); uma incubadora e três berços aquecidos para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal (R$ 83.426); dez monitores de multiparâmetros (R$ 199.689), dois refrigeradores de leite materno (R$ 3.200); 29 camas hospitalares (R$ 668.385); e 20 suportes para saco hamper (R$ 16.153).

 Emendas

Conforme Manga, as emendas liberadas para o hospital foram pedidas pelos vereadores em exercício no ano de 2019. Elas foram aprovadas, mas, devido a problemas, não chegaram a ser repassadas. Desde aquele ano, o dinheiro estava contingenciado no Fundo Municipal.

Comentários