fbpx
Sorocaba e Região

Policlínica de Sorocaba está sem remédio específico para depressão

Pacientes afirmam que o medicamento Sertralina está em falta e que não sabem quando será normalizado
Policlínica está em remédio para depressão
Prefeitura diz que problema é causado por falta no fornecimento. Crédito da foto: Erick Pinheiro / Arquivo JCS (10/5/2019)

Pacientes diagnosticados com depressão e que retiravam gratuitamente o medicamento Sertralina na farmácia da Policlínica Municipal de Sorocaba não estão conseguindo mais pegar o remédio. Eles afirmam que o medicamento está em falta e que não sabem quando a entrega deverá ser normalizada.

A empregada doméstica, Maria Cristina Camargo, 43 anos, disse que foi diagnosticada com depressão depois que passou por consulta médica na Unidade Básica de Saúde (UBS) da Vila Hortência e desde então pegava o medicamento, gratuitamente, na farmácia da Policlínica. “Desde o início de agosto que não consegui mais retirar. A informação é que acabou e por enquanto não há uma data certa para a chegada de mais medicamentos”, diz.

Ela afirma ainda que uma caixa do remédio custa atualmente cerca de R$ 83 na farmácia tradicional e que dá para 90 dias. “O problema é que eu ganho R$ 1 mil de salário mensal e pago R$ 800 por mês de aluguel. Assim, com o que sobra do meu salário mensal se eu for comprar o remédio é um dinheiro que eu poderia gastar no supermercado ou na feira, por exemplo”, reclama.

Além disso, Maria Cristina afirma que a depressão é uma doença que precisa de tratamento e que por conta do estado emocional e psicológico do paciente é arriscado ficar sem tomar a medicação. “A gente ouve tanto falar que os pacientes depressivos chegam a cometer suicídio e que a depressão precisa de tratamento. E aí a gente fica sem conseguir pegar o medicamento, é complicado”, aponta.

Leia mais  Mulher aciona botão do pânico e ex-marido é detido em Sorocaba

Questionada, a Prefeitura de Sorocaba informou, por meio da Secretaria da Saúde (SES), que a falta da Sertralina se deve pela não entrega do atual prestador de serviço que atende o município. “Devido a isso, o Poder Executivo notificou a empresa e a mesma informou que diversos fabricantes deste medicamento estão com dificuldades na produção por causa da matéria-prima e que o problema ocorre no cenário nacional”, diz.

Segundo a SES, o medicamento está em falta desde o dia 17 de julho e a previsão para se normalizar é no início do mês de setembro. A SES não informou se outro tipo de medicamento para o tratamento de depressão poderia ser fornecido para a paciente enquanto a Sertralina está em falta na rede municipal de saúde. (Ana Cláudia Martins)

Comentários