fbpx
Sorocaba e Região

Perturbação do sossego motiva 35 mil chamadas para a polícia neste ano

Aglomerações, música alta e veículos imprudentes são algumas das ocorrências no Éden e Habiteto
Perturbação do sossego motiva 35 mil chamadas para a polícia neste ano
No Éden, os motociclistas aproveitam os horários de entrada e saída dos alunos. Crédito da foto: Emidio Marques (17/9/2019)

Moradores de diversos bairros de Sorocaba reclamam de perturbação de sossego e dos transtornos causados por motocicletas barulhentas, manobras perigosas, carros de som e os bailes funk que começam de madrugada e só terminam pela manhã. Principalmente aos finais de semana, as chamadas ao Centro de Operações da Polícia Militar (Copom), pelo 190, são a maioria das reclamações dos moradores dos bairros do Éden e Ana Paula Eleutério (Habiteto), além de outros.

Segundo dados do 7º Batalhão de Polícia Militar do Interior (BPM/I), só este ano a polícia registrou, até o momento, aproximadamente 35 mil solicitações para atendimento de ocorrências de perturbação de sossego. E em 2018 foram cerca de 50 mil acionamentos.

O problema, segundo os moradores, é que a grande maioria das reclamações de perturbação de sossego não são atendidas. Mas, a PM afirma que o 7º BPM/I desenvolve ações e operações pontuais com vistas à manutenção da ordem pública, em especial relacionadas a aglomerações de pessoas, eventuais interdições de vias, veículos em direção perigosa, perturbação de sossego entre outras em bairros da zona norte de Sorocaba, incluindo o Habiteto e também no bairro do Éden.

Manobras perigosas

No bairro do Éden, no início da tarde de ontem, a reportagem do Cruzeiro do Sul flagrou uma verdadeira “arruaça” promovida por pelo menos três motociclistas que empinavam suas motos, em manobras arriscadas e perigosas, em frente à escola estadual Dr. Gualberto Moreira, que fica na rua Bonifácio de Oliveira Cassú.

Leia mais  Projeto de reforma administrativa está fora da pauta da Câmara

Segundo os moradores do bairro, que não quiseram se identificar por medo, a situação ocorre praticamente todos os dias em frente a unidade escolar, no horário das 12h15 até às 12h45. Conforme os estudantes começam a sair da escola, os motociclistas começam a aparecer. Alguns de chinelos, mas com capacetes, eles aceleram e empinar as motocicletas em frente ao portão principal da escola, mesmo com alunos entrando e saindo e atravessando a rua.

Em alguns momentos estão até três motociclistas, ao mesmo tempo, empinando as motocicletas enquanto carros, ônibus e vans escolares, além do ônibus do transporte coletivo, passam pela rua.

Por conta das manobras perigosas dos motociclistas, alguns veículos são obrigados a desviar e diminuir a velocidade. O mesmo tem que fazer os pedestres e alunos que atravessam a rua para entrar ou sair da escola.

Além disso, algum motociclista poderia facilmente cair ao fazer as manobras perigosas e se machucar ou ainda acabar sendo atropelado por algum veículo que seguia pela via logo atrás.

Ronda Escolar

Questionado, o 7º BPM/I disse que “em atenção ao bairro do Éden, especificamente na saída dos alunos da escola estadual Gualberto Moreira, a PM mantém o programa de Ronda Escolar em Sorocaba, nos períodos da manhã, tarde e noite, atendendo escolas estaduais, municipais e particulares. Em consulta aos bancos de dados disponíveis, não foi identificado registro de ocorrência no local informado, porém diante das informações trazidas, o policiamento no local será intensificado com foco nos problemas afetos à segurança pública”, diz.

Leia mais  Pacientes esperam ao sol para retirar remédios na Policlínica de Sorocaba

Enquanto a reportagem esteve em frente a escola nenhuma viatura da PM, da Guarda Civil Municipal (GCM) ou da Urbes esteve no local. Segundo o Código de Trânsito Brasileiro, o ato de empinar motocicleta é considerado manobra perigosa e caracterizado como infração gravíssima, que leva multa de R$ 293,47 acompanhada de 7 pontos na CNH.

No Habiteto, bailes incomodam

Já os moradores do Ana Paula Eleutério (Habiteto) reclamam dos bailes funk que ocorrem praticamente todos os finais de semana. Eles não quiseram ser identificados com medo de represálias e afirmam que acabam indo para a casa de parentes aos finais de semana porque não conseguem dormir por conta do barulho nas ruas.

Som alto, motos com escapamento aberto, veículos realizando manobras perigosas, tráfico de drogas, venda de bebidas alcoólicas falsificadas e até para pessoas com menos de 18 anos, o que é proibido por lei.

Perturbação do sossego motiva 35 mil chamadas para a polícia neste ano
No Habiteto os bailes começam depois das 4h e seguem até de manhã. Crédito da foto: Divulgação

Além disso, os moradores também reclamam da sujeira que fica nas rua, do cheiro de urina nas calçadas e que não conseguem mais dormir após às 4h quando os bailes começam e só terminam com o dia já claro. “Sem contar que se você precisar sair com o carro não tem como. Só depois das 8h30 quando acaba o baile. Os moradores são ameaçados quanto tentam pedir para baixar o som”, diz morador que pediu para não ser identificado.

Leia mais  Treminhão quebra e causa trânsito na Raposo Tavares, em Sorocaba

Eles afirmam também que viaturas da PM até circulam pelo Habiteto aos finais de semana, mas que elas vão embora por volta das 3h30 e os bailes começam logo após. “Eles ficam em bairros próximos como Vitória Régia 3 e Hebert de Souza até às 3h30, que é o horário que os policiais fazem ronda no Habiteto. Aí eles avisam nos grupos de WhatsApp e assim que os PMs vão embora, eles começam o baile às 4h até as 10h. A gente tem que levantar cedo para trabalhar sem ao menos ter conseguido dormir”, reclama outra pessoa que não quis se identificar.

Questionada, a PM disse que “o policiamento no bairro em questão tem sido intensificado, por meio de ações policias entre elas a realização de operação fiscalizadora, pontos de estacionamentos em locais estratégicos, com vistas a coibir delitos e aglomeração de pessoas. Nesse último final de semana, como resultado da produtividade obtida exclusivamente em operações extras, foram abordadas 395 pessoas, fiscalizados 160 veículos, resultando na autuação de 21 veículos, 6 remoções para o pátio, prisão de três pessoas sendo uma delas por tráfico de drogas e as outras duas por serem procuradas pela Justiça, foram apreendidas 235 gramas de drogas diversas sendo cocaína, crack e maconha”, diz. (Da Redação)

Comentários