Sorocaba e Região

Pedestres enfrentam risco de atropelamento em avenidas

Novos Pontos de Ônibus
Pedestres enfrentam risco em avenidas
Na Washington Luiz, pedestres caminhavam no asfalto. Crédito da foto: Emidio Marques

Obras de paradas de ônibus para o sistema BRT (ônibus rápidos que seguirão por corredores exclusivos) em calçadas de duas avenidas de grande movimento em Sorocaba colocam os pedestres em risco de atropelamento, já que eles têm que trafegar pela via, ao lado dos carros. Na avenida Comendador Pereira Inácio a obra é feita há cerca de 15 dias na calçada ao lado da entrada da Etec Rubens de Faria e Souza. Já na avenida Washington Luiz a obra é no trecho logo após o cruzamento com a Pereira Inácio. Em ambos os locais, os pedestres são obrigados a passar pela rua. Na manhã de ontem, por volta das 11h, várias pessoas passavam pela avenida em um estreito corredor, demarcado com sinalizadores, enquanto funcionários concretavam a calçada. Idosos, adultos e até crianças caminhavam ao lado dos veículos.

Embora haja o corredor montado com sinalizadores, as pessoas passam muito próximas dos veículos na rua, e bem perto dos trabalhadores, que manipulam máquinas e ferramentas. No momento em que a reportagem esteve no local, por exemplo, um trabalhador usava uma barra de ferro comprida, que poderia atingir algum pedestre distraído no corredor. A cena chamou a atenção de outro funcionário que avisou o colega sobre o fato.

Leia mais  Acidente na Raposo Tavares deixa uma vítima fatal em São Roque

Já na Washington Luiz a situação estava ainda mais perigosa para os pedestres, por volta das 11h30. Não havia trabalhador na obra e um trecho da calçada estava totalmente impedido para passagem dos pedestres. Com isso, eles eram obrigados a trafegar alguns metros pela rua, ao lado dos carros, sem qualquer sinalização, até poderem acessar novamente a calçada. No local até havia uma faixa laranja, que deveria ser para montar corredor aos pedestres.

O autônomo Ricardo de Oliveira, 45 anos, passou ontem pelo corredor de cones na Pereira Inácio e disse que achou perigoso. “A gente tem que passar pela rua, bem ao lado dos carros, dá um pouco de medo de algum motorista menos avisado não perceber e ocorrer um acidente. Espero que logo a calçada esteja pronta e sela liberada”, diz.

O aposentado Genaro de Freitas, 80 anos, entretanto, mesmo andando com a ajuda de uma bengala disse que achou seguro andar pelo corredor. “É temporária essa situação, só até a calçada ficar pronta”, diz.

Leia mais  Líder indígena da Amazônia realiza sonho de ter prótese

Já Ricardo Pereira, 49 anos, teve que caminhar pelo asfalto na Washington Luiz e achou falta da sinalização tanto para pedestres como para os motoristas. “Está perigoso esse trecho, não dá para passar pela calçada que está tomada pela obra e não tem nada para facilitar a passagem das pessoas”, reclama.

Parada de ônibus

Pedestres enfrentam risco em avenidas
Na Pereira Inácio, pessoas passavam ao lado da obra. Crédito da foto: Emidio Marques

A Secretaria da Mobilidade e Acessibilidade da Prefeitura e o BRT Sorocaba informaram, em nota, que o trabalho nas avenidas é para instalação de paradas e abrigos de ônibus “padrão BRT Sorocaba no Corredor Estrutural Sul”. Apesar das reclamações em contrário, alegaram que “esse trabalho é realizado com a máxima atenção ao trânsito, tanto valorizando a segurança dos pedestres como alertando os veículos. Nessa fase da obra, a sinalização e a estrutura implantadas direcionam os pedestres para o trajeto alternativo mais seguro”. Informaram que o corredor com sinalizadores foi criado para isolar e garantir a segurança dos pedestres. Na nota, o BRT Sorocaba informou que, na avenida Washington Luiz, no final da manhã de ontem não havia passagem exclusiva para pedestres porque “foi necessário preparar o local para descarregamento de material. A adequação foi providenciada no período da tarde”. (Ana Cláudia Martins)

Comentários