fbpx
Sorocaba e Região

Passeio guiado de bicicleta apresentou histórias e curiosidades do rio

Ao final do passeio, o grupo plantou uma copaíba no Jardim Botânico “Irmãos Villas-Bôas”
A ação integrou a programação do Dia da Árvore e do Dia Mundial Sem Carro e contou com a participação do secretário do Meio Ambiente, Maurício Mota, e de outras 24 pessoas. Crédito da foto: Divulgação / Secom

A bancária Renata Moltocaro Andreoli e sua filha Marina, de 10 anos de idade, estavam torcendo para que não chovesse na manhã deste domingo (22) e deu tudo certo. O tempo nublado colaborou e elas tiveram a oportunidade de participar do Tour do Rio Sorocaba, um passeio de bicicleta guiado e gratuito oferecido pela Secretaria do Meio Ambiente, Parques e Jardins (Sema), num trecho de ciclovia entre o Centro de Educação Ambiental do Rio Sorocaba (CEA Rio Sorocaba) e o Jardim Botânico “Irmãos Villas-Bôas”.

A ação integrou a programação do Dia da Árvore (21 de setembro) e do Dia Mundial Sem Carro (22 de setembro) e contou com a participação do secretário do Meio Ambiente, Maurício Tavares da Mota, e de outras 24 pessoas.

O objetivo foi de sensibilizar os participantes com relação ao rio Sorocaba, além de oferecer à população a oportunidade de conhecer os aspectos históricos e ambientais deste importante manancial e enxergar o rio de outra forma, além de estimular o uso de um meio de transporte alternativo.

O grupo percorreu o trecho urbano do rio, passando pela Praça da Biodiversidade, Parque das Águas até chegar ao Jardim Botânico. Crédito da foto: Divulgação / Secom

“Não somos ciclistas, mas eventualmente passeamos pela ciclovia aos domingos e fazemos passeios pela natureza, faz bem para recarregar as energias. Procuramos sempre aproveitar as oportunidades que a cidade oferece e me chamou a atenção o fato de ser um passeio guiado, achei que seria muito legal para ela (Marina) principalmente”, contou Renata.

Marina gostou do passeio de bike e uma das coisas que descobriu é que Sorocaba tem a Praça da Biodiversidade (aquela da famosa pá eólica).

Leia mais  'Pedala Rio Sorocaba' promove integração entre ciclismo e meio ambiente

 

“Eu sempre passava de carro ali e não sabia o que era exatamente. Gostei de saber que é um lugar que trata da biodiversidade e tem uma área alagada para os animais”, declarou a garota.

Rio despoluído

Renata conta que sabia da questão da despoluição do rio Sorocaba, mas não tinha conhecimento de alguns dados que foram passados ao longo do trajeto. “Fico feliz de ter um programa que passa pelos governos e que tem dado resultado. A gente vê que o rio está muito mais bonito do que já foi e o seu entorno também. Lembro quando era criança e não tinha quase árvores e hoje está tão bonito, daí vemos que é possível recuperar. Fico muito feliz, como sorocabana e como mãe, de ter lugares tão bonitos assim para desfrutarmos em Sorocaba”, completou.

O grupo percorreu o trecho urbano do rio, passando pela Praça da Biodiversidade, Parque das Águas até chegar ao Jardim Botânico. Em cada parada, o técnico da Sema Aldo Bittencourt abordou as questões ambientais e as curiosidades de cada local.

Ao final, o grupo ainda plantou uma copaíba próxima à escultura “Sobrevida” (2017), feita pelo artista Dimas Pires. Crédito da foto: Divulgação / Secom

 

Na Praça da Biodiversidade, as pessoas conheceram os ecossistemas e as espécies da flora e fauna de Sorocaba. No Parque das Águas, o tema foi a importância da várzea e o motivo das inundações no local em algumas épocas do ano.

Leia mais  Manaus é a porta de entrada para a exótica biodiversidade amazônica

 

No Jardim Botânico, Aldo apresentou as funções do Jardim Botânico, além de abordar os aspectos de sustentabilidade pensados na concepção e construção do espaço, como os telhados brancos para amenizar a absorção do calor, a utilização de tijolos de demolição e o piso intertravado para a absorção de água de chuva no solo.

Ao final, o grupo ainda plantou uma copaíba próxima à escultura “Sobrevida” (2017), feita pelo artista Dimas Pires, que está instalada em lugar de destaque no espaço ecológico. Para confeccionar a obra, o artista utilizou o tronco da árvore de copaíba centenária da Vila Barão, após sua queda.

A atividade contou com apoio do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) e da Urbes – Trânsito e Transportes. (Com informações da Secom)

Comentários

CLASSICRUZEIRO