Sorocaba e Região

Pandemia suspende a Romaria de Aparecidinha

É a primeira vez em 122 anos que o evento católico não será celebrado; mesmo assim fiéis nesta manhã seguiam a pé em direção ao santuário
Pandemia suspende a Romaria de Aparecidinha
Santuário Arquidiocesano Nossa Senhora da Conceição Aparecida, em Aparecidinha, não terá missa com público. Crédito da foto: Vinícius Fonseca

Pela primeira vez em 122 anos, a Romaria de Aparecidinha não será realizada na cidade. A procissão que aconteceria neste domingo (12) é o evento católico mais importante do calendário sorocabano.

A romaria é marcada sempre para o segundo domingo do mês de julho. Este ano, o ato de celebração da fé cristã precisou ser adiado por conta da pandemia do novo coronavírus. Apesar do adiamento, nesta manhã, por volta das 7h fiéis caminhavam sozinhos ou em pequenos grupos pela avenida Três de Março, no Alto da Boa Vista, sentido ao Santuário em Aparecidinha, percorrendo o mesmo caminho da tradicional romaria.

Tradicionalmente, a imagem da santa padroeira do Brasil é levada da Catedral Metropolitana de Sorocaba, na praça Coronel Fernando Prestes, até o Santuário Arquidiocesano Nossa Senhora da Conceição Aparecida. Todo o caminho é acompanhado por milhares de fiéis que, em um ato de fé, agradecem pelas graças alcançadas e renovam seus pedidos.

Condições favoráveis

De acordo com o arcebispo de Sorocaba, dom Júlio Endi Akamine, a mudança de data foi necessária diante do aumento no número de casos de pessoas infectadas com Covid-19. Até o momento, não há previsão para que a procissão seja realizada. “Ela foi adiada para um momento mais propício e seguro. Nós queremos que a romaria seja feita quando as condições forem mais favoráveis”, explicou o arcebispo.

O representante religioso explica que a procissão em homenagem à santa foi concebida, historicamente, durante um surto de outra doença, atualmente já controlada no Brasil. “A romaria começou como um ato de fé que pedia pelo fim de uma epidemia de febre amarela. Porém, na febre amarela o vetor é o mosquito, que nós podemos matar. Agora, nessa pandemia, nós somos o vetor”, relembrou.

Fé à distância

O adiamento da procissão não significará o fim da celebração da eucaristia. Para driblar a impossibilidade da reunião física, a Arquidiocese de Sorocaba transmitirá a missa deste domingo (12) nas redes sociais do Santuário de Aparecida.

A partir das 8 horas, dom Júlio Endi Akamine fica responsável pela realização da cerimônia. “As missas continuam sendo celebradas, as atividades presenciais que estão suspensas. Em nenhum dia nós deixamos de celebrar a eucaristia em favor do povo cristão”, enfatizou o representante religioso.

Leia mais  Número de óbitos por Covid-19 chega a 164 em Sorocaba

 

“Nós estamos transmitindo as missas pelas redes sociais, o que é uma novidade do nosso tempo. Se fosse em outras épocas nós não teríamos como fazer isso”, complementou.

Fiéis

Pandemia suspende a Romaria de Aparecidinha
Maria Aparecida e família vão acompanhar missa on-line. Crédito da foto: Vinícius Fonseca

Acompanhada do esposo, da filha e do neto, Maria Aparecida Trettel, 67 anos, foi de carro até a frente do santuário no bairro Aparecidinha. No local, realizou uma oração pedindo intercessão à santa para sua família.

Por conta da idade, a idosa esclarece que costuma realizar sua própria procissão um dia antes, já que não consegue mais realizar o tradicional percurso caminhando. “Por conta da pandemia, nós aproveitamos e fomos neste sábado. Amanhã [domingo] eu quero assistir cedo à missa on-line com o bispo. Nós fomos rezando o terço no caminho e terminamos já em frente a igreja”, relatou a devota.

Aos fiéis, o arcebispo de Sorocaba pediu que a população mantenha a fé, ainda que remota e virtualmente, esperando por um futuro mais próspero, quando a romaria poderá ser retomada sem colocar em risco a vida dos devotos. “A minha mensagem é: nós não deixamos de confiar em Deus, a nossa confiança acima de tudo está depositada nele, a Ele nós pedimos auxílio nesse momento. Nós continuamos empenhados na fé rezando e suplicando pela graça de Deus e pelo fim dessa pandemia”, rogou dom Júlio Endi Akamine. (Wesley Gonsalves)

Comentários