Sorocaba e Região

Pandemia altera celebrações do Dia da Consciência Negra

Vários eventos foram cancelados e outros serão realizados de forma virtual
Pandemia altera celebrações do Dia da Consciência Negra
José Marcos de Oliveira. Crédito da foto: Divulgação

O Dia Nacional da Consciência Negra, que é celebrado nesta sexta-feira (20), existe desde 2003. A data foi institucionalizada como feriado municipal em Sorocaba no ano de 2007. O presidente do Conselho Municipal de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra de Sorocaba, José Marcos de Oliveira, afirma que a programação comemorativa para reflexão da data este ano ocorre de forma virtual, por conta da pandemia da Covid-19.

Segundo ele, desde o último dia 16, uma jornada de debates sobre a data ocorre pela página do Facebook do Conselho. Ontem, às 19h30, foi realizada uma live na rede social sobre o tema “O empoderamento da mulher negra”, com Eliane Dias e Kátia Campos.

Já a missa ecumênica para celebrar a data ocorre nesta sexta, às 9h, também de forma virtual. O evento será transmitido da Capela de João de Camargo: o ex-escravo, a quem são atribuídos muitas curas, milagres e bênçãos. Nhô João de Camargo, como era chamado, tem muitos fieis e devotos na região.

Leia mais  Podcast Conexão Eleitoral: Uma análise comunicacional dos jingles dos candidatos

“A tradicional Feira Crespa e a Marcha da Consciência Negra, em função da pandemia, foram canceladas. Esperamos que em janeiro próximo, no dia 20, possamos fazer a 3ª Marcha de Combate à Intolerância Religiosa”, afirma Oliveira.

O presidente do Conselho afirma que, mais do que nunca, a data é necessária e que apesar da atuação da entidade há 14 anos, a manutenção do feriado da Consciência Negra é importante para a reflexão do que ocorre todo ano com a população negra e o racismo que ainda persiste na sociedade brasileira. “Ao logo dos últimos anos, o Conselho recebeu o total de 11 denúncias de racismo na cidade, e ele ocorre nas escolas, nas lojas, nos supermercados, no ambiente de trabalho, entre outros locais”, destaca. “Precisamos de mudança na atual legislação municipal, cujo projeto de lei já está protocolado na Câmara e aguardando ser apreciado, para que o Conselho possa dar maior suporte e estrutura para o combate ao racismo”, aponta Oliveira.

Leia mais  Panetone Solidário beneficia entidades

Já a presidente do Movimento das Mulheres Negras de Sorocaba (Momunes), Mazé Lima, destaca a data, neste momento de eleição municipal, a reflexão para a falta de representatividade da população negra sorocabana nas políticas públicas e também em cargos eletivos, como vereadores e até chefe do Executivo. “A reflexão é muito importante porque está sendo muito questionado, por exemplo, a existência de políticas públicas para negros, como cotas, programas e projetos de saúde e de educação, entre outros, especificamente para a população negra, que é mais de 50% no Brasil”, afirma.

Pandemia altera celebrações do Dia da Consciência Negra
Mazé LIma, do Momunes. Crédito da foto: Erick Pinheiro / Arquivo JCS

Mazé disse ainda que o Momunes nasceu com uma proposta de trabalho cultural da população negra sorocabana e acabou se transformando em um trabalho social. “Trabalhamos a questão do combate ao racismo institucional e estrutural com as crianças em três creches e também com mulheres negras vítimas de violência, e ainda nas casas de acolhimento, já que as crianças negras são as menos adotadas”, lamenta.

Leia mais  Eleitores escolhem hoje prefeitos e vereadores

Atividades comemorativas

Diante das medidas de prevenção e combate à Covid-19, a Secretaria da Cultura (Secult) e a Secretaria da Cidadania (Secid) estão transmitindo na internet as atividades comemorativas do dia da Consciência Negra. O cronograma completo pode ser conferido através do link: https://bit.ly/3nybREC (Ana Cláudia Martins)

Comentários