Sorocaba e Região

Padrasto acusado de torturar enteada em Boituva é colocado em liberdade provisória

Menina de dois anos foi encontrada com marcas de mordidas e queimaduras
Audiência de custódia foi realizada no Fórum de Boituva. Crédito da foto: Reprodução / Google Street View

O padrasto preso acusado de torturar a enteada de dois anos em Boituva, na Região Metropolitana de Sorocaba, foi solto na tarde desta terça-feira (27).

Segundo a Polícia Civil, o homem, de 22 anos, teve a liberdade provisória definida em audiência de custódia realizada no Fórum de Boituva.

Leia mais  Polícia prende sobrinho de mulher encontrada morta em Itapetininga

 

Ainda na terça-feira, o acusado prestou depoimento na Delegacia de Boituva, mas o teor da declaração não foi divulgado.

A menina passou por exames no Instituto Médico Legal (IML) que comprovaram a presença de queimaduras de segundo grau na palma das mãos e mordidas espalhadas pelo corpo.

Relembre o caso

O padrasto foi preso na madrugada de terça (27), na Vila Ginasial. A Polícia Militar esteve no local após denúncias das agressões.

Além das marcas recentes, informações preliminares do IML apontam que a vítima tinha cicatrizes que indicavam outros episódios de agressão.

Comentários