Sorocaba e Região

Pacientes apontam falta de bolsas de colostomia

Pacientes apontam falta de bolsas de colostomia
Pelo menos 315 pacientes atendidos pelo SUS estão com dificuldades para conseguir. Crédito da foto: contagem.mg.gov.br

Pacientes ostomizados de Sorocaba e região reclamam da falta de bolsas de colostomia, que eles costumam receber, gratuitamente, do Conjunto Hospitalar de Sorocaba (CHS), por meio do governo estadual. Eles afirmam que desde novembro do ano passado as bolsas estão em falta, e que novos pacientes não conseguem mais se cadastrar para aderir ao benefício.

A reclamação dos pacientes ostomizados é constante para a presidente da entidade Instituto Brasileiro de Apoio e Pesquisas a Pacientes Oncológicos (Ibrapper) de Sorocaba, Cleide Machado, sobre a falta das bolsas de colostomia. Ela afirma que a entidade, por meio de doações, consegue ajudar alguns pacientes que necessitam das bolsas, mas o Ibrapper não possui quantidade suficiente para atender a todos. “Nós recebemos bolsas de colostomia, de vários tipos, mas não é suficiente para atender a todos. E por isso sempre pedimos a colaboração das pessoas para que façam doações para a entidade”, disse Cleide.

Leia mais  Abordagem social atende 19 pessoas em situação de rua

Ela afirma ainda que atualmente pelo menos 315 pacientes, somente de Sorocaba, que são atendidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) estão com dificuldades para conseguir as bolsas, porque o CHS não tem mais feito entregas para os pacientes ostomizados. “Temos pacientes não só de Sorocaba, mas também de outras cidades da região que estão na mesma situação”, destaca Cleide.

No início do mês, a questão da falta de bolsas de colostomia para os pacientes ostomizados é divulgado na Câmara de Sorocaba, pelo vereador Dylan Dantas (PSC). Ele afirma que acionou o Ministério Público solicitando a realização de um inquérito civil para apurar a falta de fornecimento de bolsas de colostomia para ostomizados, principalmente no Conjunto Hospitalar de Sorocaba (CHS). “Pedi também a proposição de Ação Civil Pública contra o governo do Estado, para que seja forçado o fornecimento constante e ininterrupto”, afirma o vereador.

Na representação, Dantas ressaltou a obrigatoriedade do fornecimento por parte do Estado. “No que diz respeito ao município de Sorocaba, o CHS faz a prestação das bolsas, porém, na senda do governo do Estado de São Paulo, vem deixando de prestar as bolsas para os já cadastrados e negando fornecimento aos novos ostomizados, devendo tal situação ser rechaçada e ser restabelecido o fornecimento”, aponta.

Leia mais  Idosos de 72 anos ou mais recebem a 2ª dose nesta sexta em Sorocaba

O vereador afirma que a representação já foi aceita e espera que o envio de bolsas de colostomia para os pacientes ostomizados seja normalizado.

O Cruzeiro do Sul questionou o governo estadual a respeito, que enviou a seguinte nota: “O Conjunto Hospitalar de Sorocaba (CHS) informa que atende mais de mil pacientes ostomizados mensalmente, fornecendo cerca de 15 mil itens/mês para assisti-los, como bolsas, resinas, entre outros. O abastecimento e atendimento estão regulares para os pacientes já assistidos pelo serviço. Em eventual indisponibilidade momentânea de algum modelo de bolsa, são viabilizados itens adaptáveis com orientação por equipes de Enfermagem quanto ao uso e manuseio correto, sem prejuízos na sua utilização, com segurança e assistência garantida.” (Ana Cláudia Martins)

Comentários