Sorocaba e Região

Oitiva da comissão processante que investiga Crespo tem três ausências

Uma delas está com problemas médicos. Único a depor foi o servidor Raphael Pironi
Único a depor foi o servidor Raphael Pironi de Sousa. Crédito da Foto: Erick Pinheiro/Arquivo JCS (12/6/2019)

A Comissão Processante que investiga o prefeito José Crespo (DEM) no caso de supostas irregularidades no voluntariado de Tatiane Polis na Prefeitura de Sorocaba precisará reagendar metade dos depoimentos previstos para esta quarta-feira (12). Três pessoas faltaram, sendo que uma delas está com problemas médicos.

Leia mais  Câmara aprova abertura de investigação contra Crespo e Jaqueline

 

A primeira a depor seria a servidora Jéssica Pedrosa, que atua no sexto andar da Prefeitura de Sorocaba, mas está fora do país. A justificativa à Comissão é que a viagem estava agendado antes da oitiva. O secretário Luiz Alberto Fioravante está em férias, também fora do país. Ele não avisou a Comissão Processante da viagem.

Outro depoente, João Batista Sigilo Pellegrinni, só poderá depor após 90 dias. Ele sofreu um infarto do miocárdio e segue sob cuidados médicos. Os 90 dias, entretanto, extrapolam o tempo regulamentar da Comissão, que termina em 5 de agosto, segundo o relator, vereador Hudson Pessini (MDB), relator da Comissão.

O único a depor foi o servidor Raphael Pironi de Sousa. Em sua oitiva, ele disse que o voluntariado de Tatiane Polis começou na Prefeitura de Sorocaba em dezembro de 2018. Pironi afirmou que viu poucas vezes a ex-servidora no período e ainda negou ter recebido ordem ou ter visto ela dar ordem para outros servidores. O servidor também negou ter presenciado qualquer negociação para que Tatiane Polis trabalhasse em uma empresa que detém contrato com o Executivo.

Raphael Pironi disse ainda não ter entregue dinheiro ou envelope com dinheiro para a então voluntária da Prefeitura de Sorocaba. Ele também negou que Tatiane Polis tivesse estrutura para trabalhar no Paço Municipal.

“O depoimento da testemunha que foi ouvida hoje, o Raphael Pironi, esclareceu de forma muito objetiva os fatos, contrariando tudo aquilo que vem sendo afirmado na denúncia”, avaliou Marcio Leme, advogado de defesa do prefeito José Crespo.

Os depoimentos de Fioravante e Jéssica Pedroso foram remarcados para 26 de junho. O caso de Pellegrinni, com os problemas médicos, ainda será avaliada com a defesa do prefeito. “Estão prorrogando prazo e está atrapalhando a Comissão”, criticou Silvano Junior (PV), que preside os trabalhos. Nesta quinta-feira (13) ocorre uma nova rodada de oitivas. Na lista, entre outros, o empresário Luis Carlos Navarro Lopez. (Marcel Scinocca)

Comentários

CLASSICRUZEIRO