Sorocaba e Região

Obras do BRT impactam arborização de vias em Sorocaba

Na região da Itavuvu, 70 árvores foram retiradas; palmeiras-imperais da General Carneiro correm risco
Obras do BRT impactam arborização de vias
31 palmeiras imperiais estão plantadas no canteiro central da General Carneiro. Crédito da foto: Emidio Marques / Arquivo JCS (18/03/2011)

Prestes a completar um ano, as obras de implantação do BRT (ônibus de trânsito rápido) estão promovendo a retirada de árvores em Sorocaba. As intervenções do projeto começaram em setembro do ano passado na avenida Itavuvu. No local, ainda estão sendo realizadas as obras do Corredor Itavuvu e do Terminal Vitória Régia, na zona norte.

Somente naquela região, a Secretaria do Meio Ambiente, Parques e Jardins (Sema) autorizou a retirada de 70 árvores. A ordem foi dada à concessionária BRT Sorocaba, empresa responsável pela implantação do novo sistema de transporte.

O fato é comprovado por uma placa que foi afixada no canteiro central da avenida em junho deste ano. O aviso informa que a empresa deverá fazer a compensação ambiental por meio da doação de 383 árvores. Porém, na placa não há informações de onde tais árvores serão plantadas e nem quando.

Corredor oeste

Situação semelhante deverá ocorrer, em breve, também durante as obras de implantação do Corredor Oeste. Mais especificamente nas avenidas General Carneiro e Armando Pannunzio. Nas vias serão instaladas nove estações do BRT, uma estação de integração e o Terminal Nova Manchester.

A questão é que na General Carneiro, por exemplo, existem atualmente 31 palmeiras-imperiais. Elas foram plantadas no local há cerca de 20 anos, durante o governo do ex-prefeito Renato Amary.

Na época, inclusive, houve polêmica em torno do plantio das palmeiras-imperiais. Elas foram compradas com dinheiro público, cujo valor não foi divulgado pela administração municipal na ocasião. A maioria das palmeiras foi adquirida já adultas e o transporte e o plantio provocaram uma operação especial.

Desde então, as palmeiras-imperiais chamam a atenção de quem passa pelo local pela beleza e pela grandiosidade. Elas ultrapassam 10 metros de altura.

Avenidas com árvores

Além disso, as avenidas General Carneiro e Armando Pannunzio possuem outras árvores espalhadas por seus canteiros centrais. Exatamente onde as estações do BRT devem ser instaladas, já que o projeto prevê estações no canteiro central das avenidas onde o sistema está sendo implantado. O que é o caso das avenidas Itavuvu, General Carneiro e Armando Pannunzio, por exemplo.

Obras do BRT impactam arborização de vias em Sorocaba
Trecho da avenida General Carneiro, em Sorocaba. Crédito da foto: Emídio Marques (4/9/2019)

Sobre a retirada das palmeiras-imperiais da General Carneiro, a Prefeitura informou ao Cruzeiro do Sul que no Corredor Oeste o impacto inicial atinge “apenas quatro palmeiras-imperiais”. Já o BRT obteve junto aos órgãos competentes as licenças ambientais e compensatórias para as supressões necessárias ao longo dos corredores.

Replantio

Contudo, a administração municipal disse que ainda não está definido no caso da retirada das palmeiras-imperiais se elas serão replantadas em outro local público ou se serão simplesmente descartadas. “Ainda não há definição exata, pois os projetos das estações estão sendo revisados na tentativa de deslocá-las e evitar a retirada das palmeiras”, diz.

Também não foi informado, no caso das obras no Corredor Oeste, quais serão as compensações ambientais que a Concessionária BRT Sorocaba deverá fazer na região oeste por conta da supressão das quatro palmeiras. Sobre as demais árvores dos canteiros centrais das avenidas General Carneiro e Armando Pannunzio não foi divulgado quantas serão retiradas.

Já o Consórcio Sorocaba informou que a empresa obteve junto aos órgãos competentes uma Licença Municipal Prévia e Instalação (LMPI) e um Termo de Compensação e Recuperação Ambiental (TCRA), e que estes documentos são embasados nas legislações e normas vigentes.

“Eles determinam as ações necessárias para cada caso, onde cada indivíduo arbóreo tem uma previsão: manter ou remanejar ou suprimir e compensar, dependendo de cada situação”, diz. A concessionária ainda informa que segue as determinações e previsões destes documentos, mas não especificou quais são as ações propostas.

No caso das 70 árvores que estão sendo suprimidas no Corredor Itavuvu, a Sema afirma que as mudas doadas serão plantadas ao longo do canteiro central da avenida, e que a Concessionária BRT também firmou termo para realizar plantios de mais mudas em áreas públicas a serem definidas pela Sema.

Sistema prevê 64 km de corredores de ônibus

O Sistema BRT prevê a construção de 68 km de corredores, sendo aproximadamente 34 km nos 3 corredores (Itavuvu, Ipanema e Oeste) e aproximadamente 34 km nos corredores estruturais (Sul, Leste, Aproximação Centro/Norte, Área Central e Ligação General Osório).

Além de 28 estações, serão 4 pontos de integração, 3 terminais integrados, 96 pontos de paradas requalificados e 1 garagem. O novo sistema permitirá ainda a integração com os terminais Santo Antônio e São Paulo, com as seis áreas de transferência e a integração temporal entre diferentes linhas. (Ana Cláudia Martins)

Comentários