Sorocaba e Região

Obra do BRT deixa trânsito lento na Itavuvu

Urbes pede paciência de motoristas, pedestres e ciclistas que usam a via de acesso à zona norte
Obra do BRT deixa trânsito lento na Itavuvu
Com uma das faixas interditada, lentidão fica maior durante os horários de pico. Crédito da foto: Fábio Rogério

Motoristas, pedestres, ciclistas, passageiros de ônibus e comerciantes sentem os efeitos do impacto causado pelas obras para implantação do Sistema BRT no trecho inicial da avenida Itavuvu, a partir da confluência com a avenida Ipanema até a rua Anselmo Rolim. Principalmente nos horários de pico, o trânsito ficou mais lento nesse trecho devido à redução de três para duas faixas de trânsito em condições de serem usadas. Uma das faixas, em cada sentido da via, está demarcada com sinalização de canteiro de obras.

A Urbes — Trânsito e Transportes, empresa pública da Prefeitura de Sorocaba, informa que as obras para a implantação do Sistema BRT, a exemplo de qualquer obra viária, exigem interferências no trânsito: “A Concessionária BRT Sorocaba trabalha de forma a reduzir ao máximo os transtornos, no entanto alguma interferência sempre será necessária.”

O reflexo das obras atinge outras ruas. Na sexta-feira, o vendedor Sérgio Bessani, de 57 anos, precisou deixar o carro estacionado numa travessa da Itavuvu para ir a pé a uma agência bancária da avenida Ipanema. “Piorou bastante, quando o ônibus para, trava o trânsito.” O ônibus, por ser veículo de grande porte, ocupa o espaço das duas faixas de trânsito. Quando para no ponto de ônibus, o fluxo fica parado e quem segue atrás tem que acionar boa dose de paciência. “Aqui fica ruim para melhorar, vamos ver se melhora”, disse Bessani.

Leia mais  Missa homenageia juiz Roberto de Morais Aguiar

A doméstica Creusa Maria Batista, de 50 anos, espera o ônibus da linha Imperatriz todos os dias a partir das 17h, no retorno para casa, e tem observado que, após o início das obras na Itavuvu, o coletivo tem atrasado até meia hora devido ao trânsito mais lento em comparação com períodos anteriores às obras. Ela quer saber qual é a relação entre custo e benefício das obras: “Não adianta fazer só na Itavuvu, para mim não resolve.”

Os comerciantes Silvio Alves, de 53 anos, e Rosa de Camargo, de 57 anos, estão preocupados com os efeitos no volume de vendas. Alves disse que as vendas no seu estabelecimento tiveram queda de 30% ante o período anterior às obras. A redução para duas faixas destinadas ao fluxo de veículos na via eliminou a possibilidade de estacionamento de veículos e isso reduz a circulação de pessoas.

Leia mais  Obras do BRT interditam avenida Itavuvu nos próximos dias
Obra do BRT deixa trânsito lento na Itavuvu
Além da sinalização que organiza a via, agentes de trânsito orientam os motoristas. Crédito da foto: Fábio Rogério

Alves acha que não precisaria ser fechado o acesso de retorno para a pista bairro/centro existente defronte à Unidade de Pronto Atendimento (UPH) localizada no início da Itavuvu. “Quem precisa retornar tem agora que dar uma volta enorme”, comparou, referindo-se à necessidade de transpor a avenida Ipanema e contornar várias ruas nessa manobra. Um retorno como esse pode ser feito em até 15 minutos durante horários de pico da manhã e do fim da tarde. Para Rosa, devido às obras “o barulho está infernal”.

Ciclistas, que antes usavam a ciclovia no canteiro central da avenida, agora têm que circular pela calçada para garantir deslocamento com segurança em razão do grande volume de veículos. “Sem condição, tenho que ficar andando pela calçada”, disse o zelador Marcelo Santos, de 33 anos, que há quatro anos usa a Itavuvu com a bicicleta para se deslocar entre a casa e o trabalho.

A Itavuvu é uma das principais vias públicas de Sorocaba. Corredor de ligação da área central à zona norte, região mais populosa da cidade e é corredor de acesso, por exemplo, à multinacional Toyota.

Leia mais  Empresas e sindicato acertam transição na linha de Salto de Pirapora

O que diz a Urbes

Os trabalhos na avenida Itavuvu prosseguem até o início do próximo ano e a orientação aos motoristas é sempre optar pelas vias paralelas ou outras rotas alternativas. Como ocorre em qualquer local em obras, a Urbes solicita a compreensão e paciência das pessoas que trafegam pela avenida Itavuvu, ressaltando que as obras agora são justamente para, em breve, garantir mais mobilidade e fluidez ao trânsito em toda a cidade.

“Durante o período das obras, todos os que possam, devem evitar a avenida Itavuvu, principalmente em horário de pico”, orienta a empresa pública por meio de nota.

Além da sinalização que organiza a via, agentes de trânsito orientam os motoristas para reduzir a lentidão. A Urbes acrescenta que todo condutor que infringe leis de trânsito está passível de ser autuado: “O cumprimento às normas de trânsito e a colaboração com os demais que compartilham a via são essenciais para reduzir os efeitos provocados por pontos de vias em obras.” (Carlos Araújo)

Comentários

CLASSICRUZEIRO