Buscar no Cruzeiro

Buscar

Cidades

Qualidade da água gera reclamação em Boituva

Município relata que os problemas são diversos, tanto da alteração do odor, quanto da cor e sabor

22 de Dezembro de 2021 às 00:01
Ana Claudia Martins ana.m[email protected]
Prefeitura notificou MP sobre os serviços da Sabesp, que capta água do rio Sarapuí.
Prefeitura notificou MP sobre os serviços da Sabesp, que capta água do rio Sarapuí. (Crédito: CÂMARA DE BOITUVA)

A Prefeitura de Boituva notificou o Ministério Público por conta da qualidade da água no município, que é atendido pela Sabesp. No documento, o município relata que os problemas são diversos, tanto da alteração do odor, quanto da cor e sabor. Questionada a respeito, a Sabesp informa que a empresa está trabalhando para readequação do processo de tratamento da água, além de realizar descargas e limpezas nas redes de distribuição.

Segundo a Prefeitura, a comunicação ao órgão estadual foi feita no último dia 17, após várias denúncias realizadas pelos moradores desde setembro de 2021 relatando problemas em relação a qualidade da água. A atual gestão informa ainda que a Prefeitura já se reuniu com os representantes da Sabesp e da Agência Reguladora dos Serviços Públicos do Estado de São Paulo (Arsesp) a fim de viabilizar soluções, sem sucesso.

“Por vezes está com coloração amarelada, amarronzada e o odor varia entre fétido e, aparentemente, excesso de cloro. No segundo caso, diversas pessoas têm passado mal nos banhos, com reações alérgicas, tanto nas vias respiratórias e olhos quanto na pele”, informa o município.

Conforme a Prefeitura, o primeiro relato foi no mês de setembro, quando a empresa foi notificada pela primeira vez. “Há de se considerar que mesmo antes desta primeira notificação, a Prefeitura já havia comunicado a gerência da Sabesp. Vale ressaltar, que foram, no mínimo, quatro notificações, além de inúmeras reuniões inclusive com membros técnicos de Botucatu. Ainda neste sentido, a Arsesp foi notificada e, inclusive, aconteceu reunião com representantes da Agência na última semana”, ressalta.

A Prefeitura ainda busca a revisão do plano de investimentos da Sabesp, no sentido de cobrar da empresa, o aumento de investimentos, de pontos de captação e perfuração de novos poços.

Ainda de acordo com a Prefeitura de Boituva, a Sabesp informa que os problemas na água são causados por conta do nível do rio Sarapuí, que está baixo. “E, por conta disto, há uma compensação no tratamento, que precisa ser adequado de acordo com as mudanças da qualidade da água captada.”

O município informa que “não há problemas no abastecimento, embora, eventualmente, em locais mais altos, algumas vezes, falte água”. “Após notificação da Prefeitura sobre o caso, a Sabesp se comprometeu a alterar os reservatórios que estavam com níveis baixos, o que dificultava a distribuição para estas moradias em locais mais elevados”.

Sabesp responde

A Sabesp informa que o principal manancial que serve Boituva, o rio Sarapuí, vem apresentando níveis instáveis e vazão abaixo do normal devido à falta de chuvas, provocando alteração brusca e substancial na característica da água bruta do manancial utilizado para captação de água. Essa condição da água captada tem demandado uma dosagem maior de cloro na Estação de Tratamento de Água.

Na segunda-feira (20), equipes da Sabesp estiveram em reunião técnica com profissionais da Prefeitura para os devidos esclarecimentos. “A empresa está trabalhando para readequação do processo de tratamento da água, além de realizar descargas e limpezas nas redes de distribuição. A Sabesp está monitorando com frequência a qualidade da água bruta e da água consumida pela população em Boituva, para garantir que a água distribuída esteja dentro dos padrões exigidos pela portaria GS/MS nº 888, de 4 de maio de 2021, do Ministério da Saúde”, informa. A Sabesp disse que no momento toda a cidade está abastecida, mas pede o uso consciente da água. (Ana Cláudia Martins)