Buscar no Cruzeiro

Buscar

Região

Polícia investiga desaparecimento de mulher em Itapetininga

Susana Dias Batista, de 47 anos, foi vista pela última vez por volta das 14h20 de quarta-feira (17), no centro da cidade

18 de Novembro de 2021 às 12:24
Vinicius Camargo [email protected]
Susana Dias Batista, de 47 anos, estava desaparecida desde a tarde de quarta-feira (17)
Susana Dias Batista, de 47 anos, estava desaparecida desde a tarde de quarta-feira (17) (Crédito: Reprodução/ Facebook/ Susana Dias)

Atualizada às 14h20

A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Itapetininga investiga o desaparecimento da gerente de uma loja de máquinas e ferramentas Susana Dias Batista, de 47 anos. Ela está desaparecida desde a tarde de quarta-feira (17). Foi vista pela última vez por volta das 14h30, no centro da cidade. A família registrou boletim de ocorrência. 

Segundo a filha de Susana, na tarde de quarta-feira (17), ela saiu da loja onde trabalha para ir almoçar em casa. Antes, foi a uma locadora de vans no centro. “A equipe da loja iria para Sorocaba hoje (quinta-feira, 18). Então, ela passou para fazer a cotação para a viagem”, conta. Após sair do local, não foi mais vista. 

Susana dirigia uma caminhonete da empresa, uma Wolkswagen Saveiro vermelha, que foi localizada em uma avenida da cidade, perto de um hospital particular. “O carro foi encontrado todo aberto, em cima de uma guia", diz a filha. Conforme o boletim de ocorrência do caso, um funcionário de outra empresa viu o veículo e ligou para o local onde Susana trabalha. Um colega de trabalho tentou falar com ela pelo telefone, mas não conseguiu. Então, foi até o lugar e achou o veículo abandonado. Na sequência, acionou a Polícia Militar. Os PMs entraram em contato com familiares, que conseguiram rastrear o celular dela . 

De acordo com o BO, o rastreamento indicou a passagem de Susana por uma farmácia na Vila Aparecida. Depois, seguiu para o centro, onde fica a locadora. Em seguida, o sinal de rastreio sumiu. Ainda segundo o BO, a DIG encontrou um vídeo de câmera de segurança que mostra ela estacionando em frente à farmácia. O registro também a retrata sendo abordada por dois homens, ao sair do local. 

Conforme o registro policial, posteriormente, o GPS do aparelho de Susana voltou a funcionar e indicou a localização dela em uma rodovia da região. Na sequência, a filha diz que o último rastreamento apontou a passagem por Alambari. A cidade fica a cerca de 20 quilômetros de Itapetininga.

As linhas de investigação da polícia são de desaparecimento, sequestro e cárcere privado, mas ainda não há nenhuma suspeita do que pode ter ocorrido. Já foi realizada perícia na caminhonete e colhidos os depoimentos dos familiares. Além disso estão sendo feitas buscas nos locais onde Susana passou e onde o veículo foi encontrado, bem como a identificação de pessoas que tiveram contato com ela antes do desaparecimento e poderão ser arroladas como testemunhas. Para os trabalhos, a DIG conta com o apoio da Polícia Militar e da Guarda Civil Municipal (GCM). A família e amigos também participam das buscas. 

Segundo a filha, Susana nunca havia sumido. Ela é branca, magra, tem cabelos pretos e compridos, olhos castanhos e 1,59 metro de altura. Quando desapareceu, usava calça jeans e blusa branca. Quem tiver qualquer informação pode entrar em contato pelo telefone (15) 99803-9605, com a filha. “Se alguém viu ou souber de alguma coisa, entre em contato, pelo amor de Deus”, apela a filha.