Buscar no Cruzeiro

Buscar

Vacinação

Dose adicional para paulistas adultos começa a ser aplicada

Não há informação sobre o atendimento desse público em Sorocaba

18 de Novembro de 2021 às 00:01
Ana Claudia Martins [email protected]cruzeiro.com.br
Quem tomou Coronavac poderá ser imunizado com dose da Pfizer, Janssen ou Astrazeneca no reforço.
Quem tomou Coronavac poderá ser imunizado com dose da Pfizer, Janssen ou Astrazeneca no reforço. (Crédito: JOEL SAGET / AFP)

O governo estadual anunciou ontem (17) que a partir de hoje (18) toda a população adulta do Estado poderá se vacinar com a dose adicional contra a Covid-19. Até o fechamento desta edição, não havia informação sobre o atendimento desse público em Sorocaba.

A nova orientação do Plano Estadual de Imunização (PEI) segue a diretriz do Programa Nacional de Imunização (PNI), do Ministério da Saúde, e vale para todas as pessoas que tomaram as duas doses há pelo menos cinco meses, ou seja, quem completou seu ciclo vacinação até o mês de junho.

O anúncio sobre as mudanças na aplicação das vacinas contra a doença foram divulgadas na última terça-feira (16). A dose adicional era recomendada apenas a quem tinha mais de 60 anos de idade, aos profissionais da saúde e imunossuprimidos, com um intervalo de seis meses. Com a mudança, 710 mil pessoas em todo o Estado já estão aptas a receber a dose adicional do imunizante contra a Covid-19 hoje. Até o momento, 3,6 milhões de pessoas já tomaram a dose adicional e outras 2,4 milhões com esquema completo já podem receber a dose de reforço.

Quem tomou Coronavac poderá ser imunizado com dose da Pfizer, Janssen ou Astrazeneca no reforço. Para aqueles que receberam a Pfizer, a dose de reforço poderá ser da Astrazeneca ou Janssen. Quem tomou Astrazeneca poderá ser imunizado com Pfizer no reforço. E no caso dos vacinados com a Janssen, será necessária uma segunda dose da mesma vacina e após cinco meses uma terceira dose da Pfizer.
“Neste momento podem se vacinar quem tomou a segunda dose entre janeiro e junho, pois já estão com intervalo de cinco meses. Assim, em dezembro, quem tomou a segunda dose em julho já poderá receber a dose adicional”, destacou Regiane de Paula, coordenadora do PEI.

Importante destacar que os imunizantes disponíveis na rede pública de saúde são seguros, eficazes e podem ser utilizados nesta estratégia vacinal. Assim, em São Paulo o imunizante para a dose de reforço será aquele que estiver disponível no posto de saúde: Pfizer, Coronavac e até mesmo Astrazeneca.

Ainda seguindo o Governo Federal, quem tomou a dose única da vacina da Janssen deverá tomar uma segunda dose após oito semanas e, após cinco meses de completar o ciclo vacinal, já poderá receber a dose de reforço. O Estado de São Paulo, porém, não conta com estoque deste imunizante e aguarda o envio de doses do Ministério da Saúde para definir a adesão às novas diretrizes com relação a esta vacina.

Importância da segunda dose

O governo estadual reforça a importância da população completar o ciclo vacinal para garantir a imunização contra a Covid-19. Embora na última semana São Paulo tenha registrado uma redução de 7,5% dos faltosos, ainda há 4,9 milhões de pessoas que ainda precisam tomar a segunda dose da vacina nos 645 municípios do estado: 2,8 milhões de doses da Pfizer; 1,1 milhão de Astrazeneca e 895,1 mil de Coronavac.

“É fundamental ressaltar que apenas com o esquema vacinal completo a população estará protegida. Estamos intensificando a comunicação com as prefeituras e com a população buscando conscientizar sobre a necessidade de completar o esquema vacinal. O maior número de faltosos está entre os adolescentes que não retornaram aos postos para a vacinação”, alertou Regiane. (Ana Cláudia Martins)