Buscar no Cruzeiro

Buscar

Internet

Tecnologia 5G deve chegar 100% a Sorocaba em 2025

Previsão é baseada cronograma da Agência Nacional de Telecomunicações

13 de Novembro de 2021 às 00:01
Vinicius Camargo [email protected]
5G deve oferecer internet mais rápida, com maior capacidade de transmissão de dados e estabilidade.
5G deve oferecer internet mais rápida, com maior capacidade de transmissão de dados e estabilidade. (Crédito: JOSEP LAGO / AFP)

A tecnologia 5G deve oferecer internet mais rápida, com maior capacidade de transmissão de dados e estabilidade. Estas são as três principais premissas do novo modelo de conexão, segundo especialistas. Segundo o cronograma da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), todas as cidades brasileiras devem ter o 5G até julho de 2028.

A implantação será realizada em etapas. Primeiramente, a tecnologia será instalada nas 27 capitais, até junho de 2022. Depois, até julho de 2025, todos municípios com mais de 500 mil habitantes, como é o caso de Sorocaba, receberão a conexão. Cidades com mais de 200 mil habitantes devem ser contempladas até julho de 2026; com mais de 100 mil habitantes, até julho de 2027; e, com mais de 30 mil, até julho de 2028.

O leilão das faixas foi concluído pela Anatel no dia 5 de novembro. As empresas vencedoras foram Vivo, Claro, TIM, Algar, Winity II Telecom, Brisanet, Consórcio 5G Sul, Cloud2u, Fly Link e Neko Serviços. Segundo Ellis Menasce, engenheiro eletrônico e diretor de negócios do Instituto de Pesquisa do Centro Universitário Facens, o 5G significa a quinta geração de tecnologia de comunicações, desde o 2G.

Segundo Menasce, a principal diferença entre a nova tecnologia e o 4G, a conexão mais rápida, até agora, é a velocidade. “A velocidade média da internet móvel 4G em 2018 era 19,67 megabits por segundo, diz o relatório da empresa Open Signal. Já o 5G pode chegar a até 100 vezes mais do que isso, 10 gigabits por segundo”, detalha.

Conforme Eloá Carolina Nava Cardoso Palma, coordenadora dos cursos de Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Ciência de Dados e Inteligência Artificial, Ciência da Computação e Sistemas de Informação da Universidade de Sorocaba (Uniso), esses números significam, basicamente, maior agilidade para downloads e uploads de arquivos. A especialista explica que a navegação do 4G pode chegar a 300 megabytes por segundo, em downloads, e 75 mb, em uploads. Por outro lado, o 5G atinge dez gigabits. “De forma resumida, baixar um filme de 60 minutos em alta definição, por exemplo, é um processo que leva até mais ou menos 6 horas. Com o 5G, levaria aproximadamente seis segundos”, exemplifica ela.

Além disso, de acordo com os especialistas, o 5G permite a conexão de maior número de dispositivos ao mesmo tempo, sem falhas na internet. “O 4G possibilita a conexão de até 10 mil dispositivos à rede por quilômetro quadrado. A cobertura do 5G é muito mais ampla, tendo capacidade de conectar cerca de 1 milhão de dispositivos no mesmo espaço”, esclarece Eloá. Neste sentido, o professor da Facens diz que isto é possível porque a tecnologia tem mais canais, conseguindo, assim, abrigar mais aparelhos. A estabilidade igualmente culmina na economia de bateria, “pois no 4G, os celulares buscam constantemente sinais mais estáveis, causando maior consumo de bateria”, informa a professora da Uniso.

A velocidade da conexão é mais um benefício. Segundo Eloá e Menasce, atrelada à estabilidade do sinal, agregará maior qualidade à comunicação em tempo real e o consumo de vídeos, áudios e jogos eletrônicos. “No 5G, o tempo entre a resposta real da rede é de 1 milissegundo, enquanto, no 4G, são 50 milissegundos”, diferencia.

Todos serão beneficiados

Menasce afirma que toda a população brasileira será beneficiada pelo 5G, em maior ou menos grau, nos âmbitos pessoal e profissional. Segundo ele, a nova conexão trará agilidade para a rotina das pessoas. “Poderemos ter videoconferências andando a pé ou de carro na rua sem queda de sinal, nem delay [atraso] na conversa, nem na imagem”, exemplifica.

Mas não são só os usuários de celulares os favorecidos. O professor Menasce destaca que os mercados baseados em internet também serão privilegiados. “Essas melhorias de conexão, velocidade e tempo de resposta devem facilitar o uso de tecnologias em carros autônomos, em linhas de produção automatizadas, em indústrias, por exemplo, e em telemedicina, com cirurgias feitas à distância, em tempo real, sem o delay conhecido no 4G”, elenca. Os setores de educação, com o ensino remoto, de streaming, jogos digitais, e as cidades inteligentes serão positivamente impactados.

Troca de celular pode ser necessária

O professor da Facens pontua que os usuários podem ter de trocar de celular, pois a maioria dos modelos atuais não está adequada ao 5G. Conforme ele, todas as grandes fabricantes já desenvolvem novos aparelhos atualizados, cujo valor não é muito superior aos praticados hoje em dia.

Futuro

A tecnologia não deve ficar restrita a celulares, computadores, tablets e televisões. No futuro, ela será amplamente incorporada ao dia a dia das pessoas, tornando tarefas rotineiras mais fáceis, de acordo com Menasce. “Poderemos andar em carros autônomos sem nos preocuparmos com o trajeto e executando tarefas do dia a dia tranquilamente, como se estivéssemos em casa. E, falando de casa, as conexões de equipamentos entre si irão facilitar muito nossa vida, automatizando tarefas simples, como ligar a cafeteira, pedir comida ao supermercado para repor estoque automaticamente, ligar e apagar luzes, ligar o ar condicionado, entre outras coisas”, afirma. (Vinicius Camargo)