Buscar no Cruzeiro

Buscar

Covid-19

Casos da Delta aumentam 54,11% na cidade

29 de Setembro de 2021 às 00:01
Ana Claudia Martins [email protected]
Agora são 131 casos confirmados. Nenhum na fase de transmissibilidade, afirma a Prefeitura.
Agora são 131 casos confirmados. Nenhum na fase de transmissibilidade, afirma a Prefeitura. (Crédito: AGÊNCIA BRASIL)

Sorocaba teve aumento de 54,11% nas confirmações de casos da variante Delta. Segundo a Prefeitura, foram confirmados mais 46 novos casos da Delta na cidade. Com isso, o total passou de 85 na semana passada para 131 ontem.

Até o momento, houve uma morte confirmada pela variante Delta na cidade. Foi uma mulher, de 20 anos, que faleceu em uma unidade de saúde em Iperó, mas que morava em Sorocaba.

De acordo com a Prefeitura, não há casos na fase de transmissibilidade. Quase a totalidade dos novos casos de Covid-19 confirmados na cidade já são da variante Delta. Porém, o fato não está representando até o momento aumento de novas internações e nem de óbitos pela doença na cidade.

Para os especialistas, a variante Delta realmente se replica em maior quantidade e mais precocemente no organismo. Pelo menos é o que apontam as pesquisas feitas até o momento sobre a questão. O que significa que a variante parece mesmo ser mais transmissível que as demais, porém, isso não significa que a Delta efetivamente seja mais agressiva e mortal do que as demais variantes do coronavírus.

A Delta foi detectada pela primeira vez em dezembro de 2020 em pacientes na Índia, e já foi identificada em vários países. Porém, no Brasil, a variante ainda não se mostrou tão agressiva como em outras partes do mundo.

Infectologista comenta

A médica infectologista Rosana Maria Paiva dos Anjos, especialista em Saúde Pública e docente na Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde (PUC-SP), afirma que a variante Delta é, aparentemente, mais contagiosa do que a cepa original do coronavírus. Mas, até o momento, pelo menos no Brasil, ela não tem se mostrado mais agressiva, como ocorreu em outros países.

“A preocupação da variante Delta é por ela ser mais transmissível, por exemplo, do que as variantes anteriores. Porém, aqui no Brasil ela não demonstrou ainda um comportamento mais agressivo como ocorreu em outros lugares”, destaca a médica.

A infectologista acredita ainda que no Brasil, uma possibilidade é o fato da população, por exemplo, ter tido contato com a variante de Manaus [que ficou conhecida como Gama, identificada em janeiro de 2021], antes da Delta. E isso, talvez, pode ter amenizado um pouco a questão da agressividade da Delta”, aponta.

Rosana Paiva afirma ainda que a variante Delta não tem se mostrado muito diferentes das outras variantes do coronavírus. “A vacinação é importante, mas as pessoas precisam manter os cuidados básicos, como o uso de máscara, álcool gel e o distanciamento social”, destaca. (Ana Cláudia Martins)