Buscar no Cruzeiro

Buscar

Trânsito

Número de óbitos no trânsito tem queda de 7% em agosto na região

Em Sorocaba, os acidentes que resultaram em óbitos reduziram em 20% nos primeiros oito meses do ano

25 de Setembro de 2021 às 00:01
Jéssica Nascimento [email protected]
Se consideramos somente motociclistas, queda de óbitos na região foi de 63% em agosto.
Se consideramos somente motociclistas, queda de óbitos na região foi de 63% em agosto. (Crédito: FÁBIO ROGÉRIO (22/9/2021))

O número de óbitos em acidentes de trânsito apresentou queda de 7% na região de Sorocaba entre janeiro a agosto de 2021, se comparado ao mesmo período do ano passado, passando de 281 para 260 casos. Os números são do último relatório Infosiga SP, sistema do Governo do Estado gerenciado pelo programa Respeito à Vida e Detran.SP. Só em Sorocaba, os acidentes que resultaram em óbitos reduziram em 20% nos primeiros oito meses do ano, passando de 65 em 2020 para 52 em 2021.

Entre os números apresentados no relatório, um dado que chamou a atenção foi a queda de 63% nos óbitos de trânsito envolvendo motociclistas na região de Sorocaba durante o mês de agosto. Foram registrados 16 óbitos neste período do ano passado e 6 em agosto de 2021. Para o advogado especializado em trânsito, mobilidade e segurança, Renato Campestrini, o percentual apontado é significativo e seria necessário realizar um estudo mais aprofundado para apontar se isso tem relação direta com alguma ação realizada, ou se foi um fenômeno pontual.

“Durante o período indicado, tivemos reduções nas ações de fiscalização em decorrência da pandemia, um uso mais intenso da motocicleta para a atividade de delivery, até mesmo vários usuários do transporte coletivo migraram para as duas rodas como uma alternativa para se evitar a contaminação, portanto é necessário realmente uma avaliação mais aprofundada dos dados para entender como uma redução desse porte veio a ocorrer, a qual celebramos, mas precisamos entender qual foi o acerto ocorrido no período para replicar durante o restante do ano”, reforça.

Por outro lado, ao considerar os dados de agosto, o levantamento apresenta aumento de 4% nos acidentes de trânsito com vítimas na região, com 994 ocorrências em agosto de 2020 e 1.031 no mesmo mês em 2021. De acordo com o especialista, ao longo dos meses é possível observar uma tendência de alta no número de sinistros de trânsito sem óbitos. Não só na região de Sorocaba como também em outras do Estado. “Acreditamos que com a flexibilização das regras de trânsito, por força das alterações ocorridas no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), alguns comportamentos equivocados têm sido mais frequentes nas vias, como o manuseio do celular enquanto se dirige, o excesso de velocidade em até 20%, as conversões e retornos em locais proibidos e também a passagem no sinal vermelho do semáforo. São eventos que quando resultam em sinistros, podem causar danos materiais, mas não óbitos”, destaca ao dizer que esse acréscimo gera preocupação, já que os sinistros de trânsito são evitáveis.

Cuidados redobrados

E para evitar acidentes é preciso respeitar as regras de trânsito, de forma voluntária, a todo momento, destaca Campestrini. “Os estudos apontam que 90% dos sinistros de trânsito têm como causa a falha humana, portanto, a simples mudança de cultura e comportamento é o suficiente para vivenciarmos um trânsito mais seguro. E no caso dos motociclistas esses cuidados devem ser redobrados. “O excesso de velocidade, o avanço do sinal vermelho, o trânsito no chamado corredor com os demais veículos em movimento, e até mesmo a condução da motocicleta com o manuseio do celular podem ser elencados hoje como os principais fatores de risco que envolvem a condução da motocicleta”.

Já o instrutor especializado em trânsito do Sest/Senat, Jarbas Santos, elenca a pressa e o excesso de confiança como grandes fatores de risco no trânsito. “Essa combinação aumenta muito a probabilidade de ocorrer acidentes. Por isso é importante redobrar os cuidados. As pessoas têm que entender que o trânsito é um grande ecossistema, onde todos precisam respeitá-lo para que condutores e pedestres transitem e voltem para casa com segurança”.

É o que faz o Everton Oliveira, de 30 anos, que usa a motocicleta todos os dias para ir ao trabalho. Ao transitar pela cidade, ele busca sempre praticar a direção defensiva. “É preciso pilotar com atenção, para mim e para o próximo, porque você não sabe se na sua frente tem algum acidente, carros em alta velocidade e outros motociclistas”, destaca. Além disso, Oliveira ressalta ser muito importante realizar a manutenção da motocicleta. Segundo Everton, os motociclistas estão mais conscientes, apesar dos números de acidentes de trânsito ainda estarem altos. “Acredito que as rodovias e estradas ainda podem melhorar, principalmente em bairros periféricos. Volta e meia existem buracos e falta de conservação das vias públicas, onde lamentavelmente pode ocasionar vários acidentes”, avalia. (Jéssica Nascimento)