Buscar no Cruzeiro

Buscar

Dia Mundial Sem Carro

Data visa discutir alternativas ao transporte individual

22 de Setembro de 2021 às 00:01
Marina Bufon [email protected]
 As ciclovias são fundamentais para a viabilidade da bicicleta.
As ciclovias são fundamentais para a viabilidade da bicicleta. (Crédito: FÁBIO ROGÉRIO / ARQUIVO JCS (13/8/2021))

Deixar o carro de lado e utilizar a bicicleta como meio de transporte tem uma série de benefícios. Pelo menos é assim que o gerente administrativo Vitor Hugo Rossi, de 28 anos, avalia esse hábito, adquirido com mais afinco no ano passado, com a pandemia de Covid-19. Hoje, dia 22 de setembro, é comemorado o Dia Mundial Sem Carro e o ciclista elenca os motivos pelos quais praticamente substituiu seu veículo pela “magrela”.

“Para mim, são três principais pontos: saúde, meio ambiente e economia. Saúde, pois qualquer atividade física, por menor que seja, tem benefícios imensuráveis; meio ambiente, pois evita a geração de gases pela combustão; e, por fim, economia, por conta do preço da gasolina e manutenção do carro”, avaliou o morador de Pilar do Sul, na Região Metropolitana de Sorocaba (RMS).

Apesar de morar a apenas um quilômetro do trabalho, ele também desvia do “trânsito” da cidade. “Acho que andar de bike é mais rápido do que de carro por conta do trânsito. Como ‘substituí’ o carro, tento andar sempre com o capacete e as sinalizações devidas e me comportar como um automóvel”, complementou.

O “Dia Mundial Sem Carro” foi criado, em 1997, na França, quando o mundo já sofria com as consequências relacionadas à poluição e ao trânsito causados pelos automóveis. O principal objetivo, segundo o professor Dr. Nobel Penteado de Freitas, coordenador do curso de Ciências Biológicas e do Núcleo de Estudos Ambientais da Universidade de Sorocaba (Uniso), era criar um debate sobre os problemas vividos e fomentar o debate e a proposição de soluções alternativas.

“Os veículos, especialmente os de transporte individual, tiveram importante papel no processo de desenvolvimento industrial da humanidade, pois passaram a ser considerados como o grande sonho de consumo de grande parte das pessoas e promoveram forte desenvolvimento econômico em várias partes do mundo. Mas este processo, símbolo de status pessoal, de proporcionar comodidade para as pessoas em seus deslocamentos, acabou se tornando um grande problema para a mobilidade urbana e a poluição ambiental”, iniciou.

Diante disso, o uso da bicicleta, que sofreu um boom após Covid-19 nas cidades da RMS, tornou-se um importante objeto na discussão dessas soluções alternativas. No entanto, é necessário o desenvolvimento de políticas públicas que incentivem o seu uso com segurança.

“A substituição de transportes individuais ou coletivos pelo uso de bicicletas é extremamente importante para se aumentar a mobilidade nos centros urbanos, bem como para diminuir poluição nas cidades. Além disso, o uso deste modal de transporte acaba promovendo uma melhor qualidade de vida para seus usuários, bem como um ganho em saúde pública, promovida por mais pessoas realizando exercícios físicos e pela melhoria da qualidade do ar. O aumento de ciclistas em uma cidade deve ser acompanhados de ações de proteção a estes usuários, especialmente pela implantação e manutenção de ciclovias”, finalizou Freitas.

Segundo a Prefeitura de Sorocaba, será realizada, hoje (22), uma blitz educativa na Avenida Dom Aguirre, próximo ao Parque das Águas, no Jardim Abaeté, das 9h às 11h, com o objetivo de explicar a importância de se manter o distanciamento de 1,5m dos ciclistas, o que acaba colaborando para um trânsito mais seguro na cidade.

Além disso, por volta das 10h, o grupo -- formado pela equipe de Educação para o Trânsito da Urbes, da Secretaria de Meio Ambiente, Proteção e Bem-Estar Animal (Sema), da Secretaria de Esportes e Lazer (Semes) e do grupo de ciclistas Amigas do Pedal -- realizará um plantio de árvores próximo ao bolsão de estacionamento do Parque das Águas.

Integrabike ainda não tem data para voltar

A Integrabike, como o próprio nome diz, é um serviço de compartilhamento de bicicletas de Sorocaba, primeiro gerido pela Tembici durante quatro anos (de 2016 até outubro de 2020) e, depois, pela Urbes - Trânsito e Transportes, quando foi aberta licitação para um novo sistema, que ainda não está em funcionamento na cidade.

Segundo a Urbes, a atual administração municipal “optou por trabalhar na abertura de um novo edital para o sistema Integrabike, prevendo um modelo mais moderno de serviço, com uma série de inovações em relação ao sistema anterior, inclusive com a possibilidade de parceria com a iniciativa privada”.

O documento está em fase final para abertura do edital. Por fim, a pasta informou que as bicicletas “terão outras modernidades, além das especificações previstas, como design ergonômico e durável, câmbio manual, tecnologia de empréstimo e devolução, sistema antifurto, entre outras”. (Marina Bufon)