Buscar no Cruzeiro

Buscar

Sorocaba

35 anos de zelo e amor pelos bichos

Associação Protetora dos Animais de Sorocaba (Spaso) comemora aniversário com feira de adoção

17 de Julho de 2021 às 00:01
Vinicius Camargo [email protected]
CÉLIO FAGUNDES (VICE-PRESIDENTE), ALEXANDER DE CAMPOS (VOLUNTÁRIO) E VANDERLEI MARTINEZ (PRESIDENTE).
CÉLIO FAGUNDES (VICE-PRESIDENTE), ALEXANDER DE CAMPOS (VOLUNTÁRIO) E VANDERLEI MARTINEZ (PRESIDENTE). (Crédito: FÁBIO ROGÉRIO (16/7/2021)

Pioneira no trabalho de resgate, proteção e adoção de animais, a Associação Protetora dos Animais de Sorocaba (Spaso) completou 35 anos de fundação ontem (16). A data será comemorada hoje (17) com uma feira de adoção. Fundada em 26 de julho de 1986, por um grupo de ativistas da causa animal, a entidade tem como principal missão lutar pelos direitos dos animais. Mais do que apenas resgatar e promover a adoção, a organização não governamental (ONG) visa conscientizar sobre a importância de respeitá-los e tratá-los dignamente.

A Spaso é a segunda associação atuante na causa animal da cidade, segundo o seu presidente, Vanderlei Martinez. Conforme ele, antes dela, foi fundada outra entidade, mas que funcionou só durante 32 dias. A Spaso surgiu com o objetivo de salvar a vida de animais. “Naquela época, em Sorocaba, ainda havia uma câmara de gás. Os animais que eram apreendidos e recolhidos pelo Poder Público eram encaminhados para essa câmara. Então, o nosso objetivo era resgatar e, depois, arranjar lares para eles”, conta.

Segundo ele, o local foi fechado a partir de mobilizações da entidade. “A militância da Spaso comoveu o Legislativo e a câmara de gás deixou de existir, por meio da criação de uma lei”, completa. Martinez informa que, atualmente, o foco da ONG é o resgate de cães e gatos vítimas de maus-tratos e/ou abandono. Mas o auxílio também se estende a cavalos e bovinos.

Após o resgate, os animais recebem atendimento veterinário. Posteriormente, são colocados para adoção responsável ou vão para lares temporários. Conforme Martinez, o alto número de pedidos de resgate de animais abandonados ou maltratados demonstra a importância do trabalho da associação. “Por dia, recebemos, em média, 25 pedidos de resgate, entre solicitações pelas redes sociais, pessoalmente e por telefone”, diz. Hoje, 78 cães e 160 gatos vivem na Spaso.

Segundo o presidente, apesar do alto número de atendimentos, a quantidade de ações também é grande. Mensalmente, informa ele, cerca de 20 animais conseguem um lar. Só de janeiro a julho deste ano, 140 ganharam uma família.

Martinez afirma que o trabalho da ONG vai além de resgatar, cuidar e incentivar a adoção. De acordo com ele, a associação batalha, por meio da conscientização ambiental, para preservar a vida dos animais. “Na década de 90, já lutávamos contra os abusos em circos e esportes cruéis, como rodeios e vaquejadas”, relata. Para tanto, a Spaso reforça à população e ao Poder Público que os animais têm direitos e merecem respeito. “Assim, não podem ser tratados como coisas. Proteger e amparar animais é investir em saúde pública”, considera.

O vice-presidente da Spaso, Célio Fagundes, diz que é dever de todos os cidadãos contribuir, de alguma forma, com a causa animal. Por isso, segundo eles, as ações da ONG visam a mudança de olhar e de comportamento quanto ao tema. “Não queremos apenas resgatar animais que as pessoas não querem mais. Queremos ser uma entidade que auxilia na criação de políticas públicas, no sentido da conscientização”, reforça.

Justamente por considerar o cuidado aos animais como responsabilidade de todos, Alexander de Campos ingressou na Spaso há oito meses, como voluntário. Apaixonado por animais, como ele se define, gostou tanto do trabalho que ficou. Hoje, atua no setor administrativo. “Faço o que posso. E, se cada um também fizesse o que pudesse, não veríamos mais notícias sobre animais mortos ou abandonados”, acredita.

Doações e voluntariado mantêm trabalho na sede

Entidade, no Jardim Itanguá, abriga 78 cães e 160 gatos. - FÁBIO ROGÉRIO (16/7/2021)
Entidade, no Jardim Itanguá, abriga 78 cães e 160 gatos. (crédito: FÁBIO ROGÉRIO (16/7/2021))

Com estrutura de dois mil metros quadrados situada no Jardim Itanguá, a Spaso depende de doações para se manter e continuar o seu trabalho. As instalações são compostas por canis e uma clínica veterinária popular. Há diversas formas de contribuir: financeiramente, com qualquer valor; com produtos, a exemplo de ração, medicamentos, óleo de cozinha usado, dentre outros; e por intermédio do voluntariado. As ajudas em dinheiro devem ser feitas via Pix: 54340435000104.

De acordo com Vanderlei Martinez, devido à pandemia de Covid-19, o auxílio é ainda mais essencial porque o trabalho da ONG está mais intenso. “A Spaso, mesmo em período de pandemia, com o aumento da demanda, mas com contribuições e recursos escassos, continua contribuindo para diminuir as dores que os animais passam”, destaca.

Feira de adoção

A Spaso promove hoje (17) uma feira de adoção no Pet Shop PetCamp, que fica na avenida Ipanema, nº 4.000, no Jardim Novo Horizonte, das 10h às 15h. Conforme o presidente da ONG, dez cães e dez gatos estão disponíveis. Para adotar um animal, o interessado deverá apresentar comprovante de endereço atualizado, RG, CPF e assinar termo de posse responsável. (Vinicius Camargo)

Galeria

Confira a galeria de fotos