Buscar no Cruzeiro

Buscar

Vacinação

Estado afirma ter enviado à Prefeitura doses suficientes para vacinação

Prefeitura de Sorocaba alegou ter suspendido a campanha por falta de vacinas, mas o governo estadual diz ter enviado quantidade necessária

25 de Junho de 2021 às 16:19
A Secretaria de Estado da Saúde afirma ter enviado doses suficientes para a continuidade da campanha de vacinação contra a Covid-19 em Sorocaba
A Secretaria de Estado da Saúde afirma ter enviado doses suficientes para a continuidade da campanha de vacinação contra a Covid-19 em Sorocaba (Crédito: Secom/ Sorocaba)

A Secretaria de Estado da Saúde afirma ter enviado a Sorocaba vacinas contra a Covid-19 suficientes para a continuidade da campanha, embora a Prefeitura tenha atribuído a suspensão da vacinação à falta de doses. Na cidade, a imunização parou na idade de 48 anos ou mais, sem comorbidades. Para esse público, as doses foram aplicadas na quinta-feira (24). Na noite do mesmo dia, o Executivo comunicou a interrupção da imunização. Desta forma, nesta sexta-feira (25), a ação não ocorreu. O Executivo reafirma precisar aguardar o envio de novas doses, para retomar a imunização. Também informa que a campanha recomeçará em breve. 

Nesta sexta-feira (25), a secretaria estadual afirmou que a Prefeitura retirou, pela manhã, 9,7 mil doses de imunizantes. Ainda segundo a pasta, o novo lote se somou a outras 11 mil doses entregues para o Executivo na terça-feira (22), para a continuidade da campanha. Em nota, a administração municipal confirmou o recebimento de 9.762 doses da vacina Pfizer. Disse, ainda, haver a previsão do envio de mais um lote de imunizante, nesta segunda-feira (28). 

Sobre a gestão das doses, a Prefeitura informou que, do total de 11.980 disponíveis na quinta-feira (24), pouco menos de três mil são para a primeira dose. Já as demais precisam ser reservadas para ações de segunda dose. "Diante disso, o município precisou aguardar o envio de novas doses para retomar a vacinação em massa por sistema drive-thru. Novas ações de imunização já deverão acontecer nos próximos dias, de acordo com o calendário estadual", destacou.

Nesta semana, Sorocaba vacinou, na terça-feira (22), pessoas de 52, 51 e 50 anos ou mais. Na terça (23), o público de 49 anos ou mais foi imunizado. Já na quinta (24), 6.072 pessoas de 48 anos ou mais tomaram as doses.

Conforme a secretaria, o município teria um saldo de 94,2 mil doses para utilização. Isto porque a própria municipalidade registrou, na plataforma VaciVida, a aplicação de 247,1 mil doses, do total de 341,4 mil recebidas até o início desta semana. De acordo com a Prefeitura, para facilitar o acesso da população à vacinação, não é exigido pré-cadastro dos dos munícipes no VaciVida. A digitação de cada ficha é feita pela própria Secretaria da Saúde (SES). Por isso, alega a municipalidade, há diferença entre o total de doses já aplicadas no município e o número informado no sistema. "Sendo assim, a digitação completa das aplicações acaba sendo feita posteriormente às ações de vacinação realizadas, o que gera esse descompasso momentâneo entre o número de doses realmente aplicadas no município e o que consta no sistema", completa. 

Continuidade da campanha 

Conforme a pasta estadual, "o avanço e a continuidade da campanha de vacinação dependem do envio de doses do governo federal, que tem retardado a liberação de vacinas". Consequentemente, o impasse impacta no ritmo de redistribuição aos municípios. "Como é de amplo conhecimento, doses da vacina da Janssen, por exemplo, previstas para chegar na semana passada, chegaram ao País somente nesta semana. As grades começam a ser distribuídas neste final de semana às 645 cidades (do Estado) de São Paulo", afirmou.

Apesar disso, a secretaria garante manter o envio regular dos imunizantes para todo os municípios. Diz, ainda, disponibilizar doses suficientes para evitar defasagens. "A secretaria tem enviado vacinas regularmente a todas as cidades do Estado assim que o Ministério da Saúde disponibiliza remessas para São Paulo. Todas as grades de vacinas são enviadas em quantidade idêntica para aplicação de primeira e segunda dose, a cada etapa", pontua. Também reforça ser de responsabilidade das cidades organizar as campanhas de vacinação, de acordo com a demanda e rede locais.