Buscar no Cruzeiro

Buscar

Polícia

Cinco pessoas são presas por sequestro, cárcere privado e tortura em Tatuí

Grupo é suspeito de sequestrar e torturar um ajudante geral de 38 anos

24 de Junho de 2021 às 13:25
Da Redação [email protected]
O adolescente ficou à disposição da Justiça
Vítima conseguiu fugir da casa em que era mantida em cativeiro. (Crédito: Divulgação/PM)

A Polícia Militar prendeu quatro homens, entre 25 e 42 anos, e uma mulher, de 18, pelo sequestro, cárcere privado e tortura de um ajudante geral, de 38 anos. As detenções ocorreram nesta terça-feira (22), em Tatuí.

As equipes foram chamadas para atender ocorrência de pessoa em cativeiro, na rua Maria Conceição Teixeira, e, no local, encontraram a vítima que informou ter conseguido fugir dos criminosos, indicando a residência onde foi mantida. No imóvel, os policiais detiveram um dos autores e proprietário do local.

Em conversa com o ajudante, o homem passou detalhes do ocorrido. Ele contou aos PMs que foi capturado na última segunda-feira (21) e, no período que teve sua liberdade restringida, sofreu ameaças e agressões físicas dos criminosos.

Com as informações passadas pela vítima, os militares exibiram imagens de alguns suspeitos, as quais a vítima reconheceu como sendo os coautores do delito. Sendo assim, os PMs realizaram incessantes buscas para localizar os criminosos, conseguindo detê-los – parte deles em uma residência na Vila Angélica.

Na ação, além das prisões, foram apreendidos dois veículos – uma motocicleta e um carro, bem como um notebook, HD externo, uma espingarda de pressão, seis celulares e um carregador, uma faca e R$ 268,50 em espécie. Também foram recolhidos um tablete e dois pacotes de maconha.

Todo o material foi encaminhado para perícia e o grupo levado à Delegacia do Município, onde foi submetido ao reconhecimento da vítima.

Os cinco envolvidos foram indiciados e permaneceram detidos à disposição da Justiça, sendo o caso registrado como sequestro e cárcere privado, drogas para consumo pessoal sem autorização ou em desacordo e resistência e coação no curso do processo, já que um dos autores entrou em luta corporal com os militares para não ser detido.