Buscar no Cruzeiro

Buscar

Sorocaba

Instituto Maria Claro completa 28 anos de fundação e altera nome

Antes, a entidade chamava-se Creche Especial Maria Claro; nesta nova fase, instituição quer aprimorar o seu trabalho

17 de Junho de 2021 às 15:21
Da Redação [email protected]
O Instituto Maria Claro  atende 150 crianças e adolescentes com deficiências múltiplas
O Instituto Maria Claro atende 150 crianças e adolescentes com deficiências múltiplas (Crédito: Divulgação)

O Instituto Maria Claro, de Sorocaba, que atende crianças e adolescentes com deficiências múltiplas, completou 28 anos de fundação, em maio deste ano. Em comemoração ao 28º aniversário, a entidade alterou a sua nomenclatura. Anteriormente, chamava-se Creche Especial Maria Claro. Segundo a Organização Não Governamental (ONG), a mudança foi adotada porque o conceito de creche não se aplica à entidade. Nesta fase, a instituição também pretende implementar novas ações para aprimorar o seu trabalho. 

Atualmente, a ONG atende 150 crianças e adolescentes, dos seis meses aos 16 anos de idade. Oferece, gratuitamente, tratamentos em áreas como fisioterapia, psicologia, fonoaudiologia, hidroterapia e terapia ocupacional. Uma das principais frente de trabalho da entidade é o desenvolvimento de crianças com deficiência de 0 a cinco anos, por meio do Programa de Estimulação Precoce (PEP).

Além do auxílio aos assistidos, a entidade dá suporte às famílias deles, especialmente, aquelas em situação de vulnerabilidade social. Os familiares recebem atendimento psico-social.

Hoje, 63 profissionais atuam diretamente no instituto, sendo a maior parte parte nos atendimentos de saúde e educação. Além disso, 60 voluntários colaboram com a instituição.

Um dos tratamentos oferecidos pela entidade é a fisioterapia  - Divulgação
Um dos tratamentos oferecidos pela entidade é a fisioterapia (crédito: Divulgação)

Recursos

O Instituo Maria Claro se mantém com recursos financeiros provenientes de órgãos públicos, por meio de convênios com prefeituras. Também angaria verba via doações, realização de eventos e venda de produtos.

Por conta da pandemia de Covid-19, o instituto precisou suspender os eventos e, consequentemente, as arrecadações diminuíram. Por isso, de acordo com a presidente da entidade, Lilia Antunes Grosso, nesta nova etapa, a meta é desenvolver ações diferenciadas para a captação de verba. Tudo com o objetivo de melhorar o serviço prestado. "Queremos abranger novos meios, como as redes sociais, Nota Fiscal Paulista e, principalmente, acessar as empresas. Também queremos incentivar para que mais pessoas sejam contribuintes de forma recorrente para garantir um fluxo sustentável de recursos para o Instituto”, elenca Lilia.

Lilia: objetivos são adotar novas ações para a captação de recursos, dobrar o número de atendidos e inserir novos tratamentos  - Divulgação
Lilia: objetivos são adotar novas ações para a captação de recursos, dobrar o número de atendidos e inserir novos tratamentos (crédito: Divulgação)

Ainda segundo a presidente, outro objetivo é ampliar o trabalho da instituição, sobretudo, para atender mais pessoas. “Nosso grande projeto é dobrar o número de crianças que atendemos até 2023, passando de cento e cinquenta, para trezentas crianças, além de introduzir novas terapias no instituto”, pontua ela. (Com Inaiê Mendonça/ Agência Focs/ Jornalismo Uniso)