Buscar no Cruzeiro

Buscar

Vacinação

Prefeitura reforça campanha do Dia Nacional da Imunização para prevenir doenças

O município oferta 19 vacinas diferentes para a proteção de crianças, adolescentes e adultos

09 de Junho de 2021 às 15:55
Da Redação com Prefeitura de Sorocaba [email protected]
 Dia D de vacinação contra a gripe no Leme, na zona sul do Rio de Janeiro.
Dia D de vacinação contra a gripe no Leme, na zona sul do Rio de Janeiro. (Crédito: Tomaz Silva/Agência Brasil)

Com o objetivo de conscientizar a população sobre a importância de manter as vacinações em dia, no Dia Nacional da Imunização, celebrado em 9 de junho, a Prefeitura de Sorocaba, por meio da Secretaria da Saúde (SES), reforça a importância da imunização para prevenir doenças. O município oferta 19 vacinas diferentes para a proteção de crianças, adolescentes e adultos.

Atualmente, a cobertura vacinal de Sorocaba, em relação às principais vacinas do SUS, está com uma média de 83%, no período de janeiro a abril de 2021. Na cidade, para incentivar a vacinação, é feito o trabalho de “busca-ativa”, que é quando profissionais das Unidades Básicas de Saúde (UBSs) entram em contato com os pacientes, informando a necessidade da imunização de cada dose a determinada faixa-etária.

Para o médico e secretário da Saúde, Dr. Vinicius Rodrigues, a vacinação é essencial para a prevenção de doenças infecciosas, pois atuam, inclusive, na redução da morbidade. “Quem não se vacina fica suscetível às doenças para as quais aquela vacina oferece proteção. Se eu me vacino, estou me protegendo e também protegendo as pessoas que não estão vacinadas”, explica.

Vacinação contra a Covid-19

Em Sorocaba, 260.667 doses das vacinas contra a Covid-19 já foram aplicadas na população, o que equivale à imunização de quase 186 mil pessoas, entre a primeira e a segunda doses. O município segue o Plano Nacional de Imunização (PNI) e o cronograma de vacinação definido pelo Governo do Estado de São Paulo, respeitando os públicos prioritários da campanha.

A cidade já recebeu do Governo do Estado um total de 306.647 doses das vacinas contra a Covid-19, sendo 156.520 da AstraZeneca (Oxford) e 150.127 da CoronaVac (Sinovac).

A Secretaria da Saúde (SES) destaca a orientação sobre a necessidade de aplicação da segunda dose, pois os estudos demonstram que é possível atingir a eficácia máxima comprovada pela Anvisa de cada vacina com a aplicação das duas doses.

“Além do ‘Dia D’, realizado para vacinar os ausentes da segunda dose, a Prefeitura de Sorocaba se antecipou e promoveu duas ações de repescagem, com o objetivo de atender as pessoas que ainda não se tinham se imunizado com a segunda dose das vacinas contra a Covid-19”, destaca o secretário da Saúde.

Vacinação contra a gripe

A partir desta quarta-feira (9), a Prefeitura de Sorocaba, por meio da Secretaria da Saúde (SES), inicia a terceira etapa da vacinação contra a gripe. Além dos grupos anteriormente contemplados, deverão ser vacinadas pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, pessoas portadoras de deficiência permanente, forças de segurança e salvamento, forças armadas, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbanos e de longo curso, trabalhadores portuários, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas e população privada de liberdade.

Em Sorocaba, a vacinação ocorre em 27 Unidades Básicas de Saúde (UBSs), das 8h às 16h. Os públicos da primeira e da segunda etapas da campanha que ainda não se imunizaram, isto é, crianças de 6 meses até menores de 6 anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), indígenas, profissionais da área da Saúde, trabalhadores da Educação e idosos acima de 60 anos também podem procurar uma das Unidades Básicas de Saúde para garantir a vacinação.

Para as pessoas que já se vacinaram contra a Covid-19, uma ou duas doses, é necessário aguardar o intervalo de 14 dias para receber a aplicação da vacina contra a gripe. Até o momento, Sorocaba já imunizou 90.236 pessoas contra a gripe.

Conheça, abaixo, cada uma das 19 vacinas oferecidas pelo Calendário Nacional de Vacinação brasileiro:

BCG: A vacina protege contra formas graves de tuberculose, meníngea e miliar. A vacina é composta por uma bactéria viva atenuada e deve ser administrada uma dose única ao nascer.

Hepatite B – Imuniza contra a hepatite B. É composta por antígeno recombinante de superfície do vírus purificado. Deve ser administrada, por via intramuscular, uma dose ao nascer, o mais precocemente possível, nas primeiras 24 horas, preferencialmente nas primeiras 12 horas após o nascimento, ainda na maternidade.

DTP+Hib+HB (Penta) – Vacina utilizada no combate à difteria, tétano, coqueluche, Haemophilus Influenzae B e hepatite B. Devem ser administradas, por via intramuscular, três doses, aos dois, quatro e seis meses de idade, com intervalo de até 60 dias entre as doses e mínimo de 30 dias.

Poliomielite 1,2,3 (VIP – inativada) – A vacina é administrada em três doses e é composta pelo vírus inativado tipos 1, 2, e 3 no combate à poliomielite. A primeira dose dever ser administrada aos dois meses, a segunda aos quatro e a terceira dose aos seis meses de vida da criança. A orientação é aplicar em intervalo máximo de 60 dias e mínimo de 30 entre uma e outra, por via intramuscular.

Pneumocócica 10 valente (Pncc 10) – Vacina administrada no combate a pneumonias, meningites, otites e sinusites pelos sorotipos que compõem a vacina. O esquema vacinal consiste na administração de duas doses e um reforço. A primeira deve ser administrada aos dois meses de idade, a segunda aos quatro e o reforço aos 12 meses. A administração é realizada por via intramuscular.

Rotavírus humano G1P1 (VRH) – Protege contra a diarreia causada pelo rotavírus. Devem ser administradas duas doses, aos dois e quatro meses de idade, por via oral.

Meningocócica C (conjugada) – Protege contra a meningite meningocócica tipo C. Devem ser administradas, por via intramuscular, duas doses, aos três e cinco meses de idade e um reforço aos 12 meses.

Febre Amarela (atenuada) – Protege contra a febre amarela. Deve ser administrada, por via subcutânea, uma dose aos nove meses de vida e uma dose de reforço aos quatro anos de idade.
Poliomielite 1 e 3 (VOP – atenuada) – A vacina protege contra o poliovírus tipo 1 e 3 e é administrada como reforço, por via oral, sendo o primeiro realizado aos 15 meses e o segundo aos quatro anos de idade.

Difteria, Tétano, Pertussis (DTP) – Esta vacina protege contra a difteria, tétano e a coqueluche e é administrada como reforço, por via intramuscular, sendo o primeiro realizado aos 15 meses e o segundo aos quatro anos de idade.

Sarampo, Caxumba, Rubéola (SCR) – Composta pelo vírus vivo atenuado do sarampo, caxumba e rubéola. A primeira dose deve ser administrada, por via subcutânea, aos 12 meses de idade e o esquema de vacinação deve ser completado com a administração da vacina tetraviral aos 15 meses de idade (corresponde à segunda dose da vacina tríplice viral e à primeira dose da vacina varicela).

Sarampo, Caxumba, Rubéola, Varicela (SCRV) – Vacina composta pelo vírus vivo atenuado do sarampo, caxumba, rubéola e varicela. Corresponde à segunda dose da vacina tríplice viral e deve ser administrada aos 15 meses de idade por via subcutânea.

Hepatite A (HA) – A vacina que combate a doença de mesmo nome é um antígeno do vírus da hepatite A, inativada. Deve ser administrada uma dose aos 15 meses de idade por via intramuscular.

Varicela – Composta do vírus vivo atenuado da varicela. Deve ser administrada, por via subcutânea, uma dose aos quatro anos de idade. Corresponde à segunda dose da vacina varicela, considerando a dose de tetraviral aos 15 meses de idade.

Difteria, Tétano (dT) – Vacina que protege contra a difteria e o tétano. Deve ser administrada, por via intramuscular, a partir de sete anos de idade. Se a pessoa estiver com esquema vacinal completo (três doses) para difteria e tétano, administrar uma dose a cada 10 anos após a última dose.

Papilomavírus humano (HPV) – Vacina responsável por combater o Papilomavírus Humano 6, 11, 16 e 18 (recombinante). Devem ser administradas, por via intramuscular, duas doses, com intervalo de seis meses entre as doses, nas meninas de 9 a 14 anos de idade (14 anos, 11 meses e 29 dias) e nos meninos de 11 a 14 anos de idade (14 anos, 11 meses e 29 dias).

Pneumocócica 23-valente (Pncc 23) – Esta vacina é indicada no combate a meningites bacterianas, pneumonias, sinusite etc. Deve ser administrada, por via intramuscular, uma dose a partir de cinco anos de idade, naqueles sem comprovação vacinal com as vacinas pneumocócicas conjugadas.

Influenza – Vacina que protege contra a influenza. Deve ser administrada, por via intramuscular, uma ou duas doses durante a Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza, conforme os grupos prioritários definidos.

Covid-19 – Vacina que protege contra a Covid-19. Deve ser administrada, por via intramuscular, duas doses durante a Campanha Nacional de Vacinação contra a Covid-19, conforme os grupos prioritários definidos.