Buscar no Cruzeiro

Buscar

Covid-19

Surtos de Covid fecham escolas estaduais em Sorocaba

De janeiro a maio, 73 pessoas receberam diagnóstico de contaminação, sendo 42 professores

09 de Junho de 2021 às 00:01
Marcel Scinocca [email protected]
A tradicional Escola Estadual Antonio Padilha é uma das unidades que está fechada na cidade.
A tradicional Escola Estadual Antonio Padilha é uma das unidades que está fechada na cidade. (Crédito: VINÍCIUS FONSECA / ARQUIVO JCS (6/11/2020))

Ao menos sete escolas estaduais foram fechadas para alunos por surto de Covid-19 nas últimas duas semanas em Sorocaba. De janeiro a maio, mais de 70 pessoas receberam diagnóstico de contaminação, a maior parte professores. Na rede municipal, pública e privada, ao menos 10 surtos foram identificados desde o início da pandemia. As informações são da Prefeitura de Sorocaba, Secretaria Estadual de Educação e da entidade que representa os professores do Estado.

De acordo com a Prefeitura de Sorocaba, oito surtos foram registrados em escolas particulares e dois em escolas públicas. “Diante da ocorrência de identificação de casos suspeitos e confirmados em ambiente escolar, a equipe de educação deverá entrar em contato e notificar imediatamente a equipe de Vigilância Epidemiológica, por meio de formulário, que já é de conhecimento das escolas. O Protocolo Covid-19 em Ambiente Escolar é enviado à instituição, com as orientações e medidas sanitárias a serem tomadas”, informa.

Diante da constatação de surto, O Executivo orienta o encerramento do atendimento ao público enquanto perdurar a transmissibilidade do mesmo, ou seja, 14 dias sem novos casos positivos, para posterior reavaliação. Denúncias para a Vigilância Epidemiológica podem ser feitas por meio do canal 156 ou pelo site da Prefeitura (www.sorocaba.sp.gov.br/atendimento).

Rede estadual

Segundo o Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp), sete escolas estaduais de Sorocaba estão fechadas neste momento em função de surtos de Covid: Antonio Cordeiro, Rosemary Moreira, Isabel Rodrigues, João Rodrigues Bueno, Rafael Orsi, Wanda Costa e Antonio Padilha.

De acordo com a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP), 73 casos foram registrados em escolas da cidade entre janeiro e maio deste ano. Do total de casos, a maior parte, 42, envolvia professores. Outros 19 casos se referiam a servidores estaduais. Há ainda, conforme o levantamento obtido pela reportagem, 11 casos confirmados em estudantes e um caso de uma pessoa que atuava para empresa terceirizada. O levantamento é realizado pela Comissão Médica da Educação da Seduc, por meio do Sistema de Informação e Monitoramento da Educação (Simed).

A Seduc reforçou que “as escolas são ambientes controlados e devem seguir os protocolos setoriais da Educação como uso constante e correto de máscara, distanciamento físico entre as pessoas, limite de presença de estudantes conforme o Decreto Estadual 65.384/2020, medição de temperatura, afastamento de casos suspeitos, confirmados, e seus contactantes”.

“A vacinação dos professores e profissionais da educação, iniciada em 10 de abril, também é uma forma de garantir ainda mais a proteção de todos os envolvidos nesse processo”. (Marcel Scinocca)