Buscar no Cruzeiro

Buscar

Covid-19

Número de internados em UTI é o maior em 47 dias

25 de Maio de 2021 às 00:01
Marcel Scinocca [email protected]
Coronavírus em Sorocaba.
Coronavírus em Sorocaba. (Crédito: Arte JCS)

O número de moradores de Sorocaba internados em UTIs das unidades de saúde da cidade ontem (24), em função da pandemia, é o maior em 47 dias, segundo levantamento exclusivo realizado pelo jornal Cruzeiro do Sul. Na data, a cidade também registrou 16 mortes, 109 novos casos e 144 pessoas recuperadas da doença. As informações são apuradas com base em dados oficiais da Prefeitura de Sorocaba, divulgados pela Secretaria de Saúde da cidade (SES) a partir de março de 2020.

Pelos dados, 383 pessoas estavam em leitos Covid na cidade. Desse total, 186 estavam em UTI, 15 a mais que no domingo (23). Esse número só não é maior que o registrado em 8 de abril, quando 189 pessoas ocupavam leitos desse tipo na cidade. O recorde de pessoas em UTI ocorreu em 1 de abril, com 223 internações. Na primeira onda, o recorde ocorreu em 30 de julho, com 96 internações. Os dados mostram, portanto, que após atingir a segunda onda, os números sequer baixaram para o primeiro pico da pandemia, em 2020.

O recorde geral de pessoas internadas na cidade, incluindo enfermaria e UTI, ocorreu em 28 de março, pico da segunda onda, com 428 internações. Do total de internações desta segunda-feira, 220 tinham diagnóstico positivo da doença. Outras 163 estavam internadas sob suspeita de contaminação, sendo o maior número em 46 dias.

Novamente, com a alta nas internações, sete unidades de saúde com UTI se mantiveram com 100% de ocupação, sendo cinco da rede pública municipal. A Santa Casa tinha 92,72% de ocupação, com 51 dos seus 55 leitos de UTI ocupados. Adib Jatene e Conjunto Hospitalar de Sorocaba (CHS) tinha ocupação acima de 87%. Os números são um retrato das 17h da segunda-feira, momento em que dados foram coletados. Após isso, os dados podem variar, para mais ou para menos.

Outras informações

Com as 16 novas mortes registradas, os óbitos com a confirmação da doença aumentaram para 1.841. As novas vítimas, sendo oito homens e oito mulheres, tinham entre 32 e 70 anos. Duas delas não tinham fatores de risco para o novo coronavírus. Entre as demais, a maioria, sete, eram cardiopatas. A maior parte das mortes, 14, ocorreu na rede pública de saúde, sendo três em unidades de urgência e emergência. Os óbitos ocorreram entre 18 e 23 de maio. A cidade ainda tem dois óbitos em investigação

Com o novo grupo de recuperados, a cidade tem agora 56.416 pessoas nessa situação. Com relação aos casos confirmados com a doença, agora são 59.030. Ao menos 553 estavam em recuperação (isolamento domiciliar). Outras 733 aguardavam resultado de exames. (Marcel Scinocca)