Buscar no Cruzeiro

Buscar

Estudo

Aulas remotas afetam mais alunos do 5º ano

Nas escolas estaduais, impactos negativos na aprendizagem são maiores no período inicial do fundamental

23 de Maio de 2021 às 00:01
Ana Claudia Martins [email protected]
Comparação foi com alunos que cursaram o mesmo período em 2019.
Comparação foi com alunos que cursaram o mesmo período em 2019. (Crédito: FÁBIO ROGÉRIO / ARQUIVO JCS (27/4/2021))

Estudo indica que o impacto na aprendizagem causado pela pandemia da Covid-19 é maior entre alunos dos anos iniciais do ensino fundamental, ao menos na rede pública estadual. A avaliação foi aplicada em estudantes do 5º e do 9º anos do ensino fundamental, e da 3º série do ensino médio, no início do ano letivo 2021 da Secretaria Estadual da Educação de São Paulo. Não há dados específicos da rede estadual de ensino em Sorocaba.

Já em relação aos alunos da rede municipal de ensino, a Prefeitura de Sorocaba informa que a Secretaria da Educação (Sedu) compreende que será possível um estudo sobre os impactos da pandemia na aprendizagem dos alunos somente quando houver o retorno das aulas presenciais.

Após a retomada das aulas presenciais, a Sedu informa que as escolas devem aplicar avaliações diagnósticas para verificar que aprendizagens foram consolidadas durante o período de ensino remoto e Atividades Não Presenciais (ANPs) na rede municipal de ensino.

O estudo

Em cada ano escolar, foram avaliados, aproximadamente, 7 mil estudantes da rede estadual, considerando uma amostra representativa e de diferentes perfis sociais e regionais do Estado, nos componentes curriculares de língua portuguesa e matemática. Aplicados em formato impresso e de forma presencial, os testes incluíam itens baseados nas escalas de proficiência do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb).

A pesquisa comparou a proficiência desse grupo de estudantes, que iniciam agora o 5º e o 9º ano do Ensino Fundamental e o 3º do Médio, com o nível atingido pelo grupo que concluiu as mesmas etapas em 2019. Assim, a rede estadual de São Paulo identifica quanto, em média, esses estudantes precisam avançar neste período letivo para alcançar o mesmo resultado de anos anteriores devido às perdas de aprendizagem causadas durante a pandemia.

Em relação aos resultados alcançados em 2019, as maiores diferenças na escala de proficiência foram verificadas no 5º ano do ensino fundamental, em matemática (em que os estudantes apresentaram 46 pontos a menos do que o resultado do SAEB 2019 -- queda de 19% na aprendizagem), e língua portuguesa (29 pontos a menos -- queda de 13%).

Para o 9º ano do ensino fundamental e o 3º do médio, porém, a defasagem foi menor, embora com perdas no aprendizado. Isso sugere, então, que o impacto da mudança para o ensino remoto foi maior entre os estudantes mais novos.

O secretário estadual da Educação, Rossieli Soares, comentou o resultado do estudo feito na rede estadual de ensino. “Diante desses dados, temos a convicção da importância do retorno às aulas para contribuir no processo de retomada de aprendizagem e para reduzir, aos poucos, todos os impactos causados pelo distanciamento social”, afirma.

Rede municipal

De acordo com a Sedu, o retorno às aulas presenciais na rede municipal de ensino de Sorocaba deve ser pautado em diversas diretrizes, dentre elas, realizar uma avaliação diagnóstica de cada criança. Ainda segundo a Sedu, paralelamente, a pasta está organizando a retomada do ensino presencial, de modo a avaliar e possibilitar atividades de recuperação contínuas e paralelas aos alunos da rede.