Buscar no Cruzeiro

Buscar

Educação

Deputados e vereadores lamentam decisão contra modelo cívico-militar

Tia de um aluno da escola municipal Matheus Maylasky, Kelen Pavani, disse que a decisão foi uma "arbitrariedade sem tamanho"

20 de Maio de 2021 às 01:44
Cruzeiro do Sul [email protected]
Opiniões de parlamentares e tia de aluno divergem da decisão da Justiça sobre a escola cívico-mitliar
Opiniões de parlamentares e tia de aluno divergem da decisão da Justiça sobre a escola cívico-mitliar (Crédito: Montagem de fotos)

Deputados estaduais e vereadores lamentam decisão judicial que suspendeu a implementação de escola cívico-militar na cidade. O deputado estadual Tenente Coimbra (PSL), autor do projeto de lei que institui a implementação das escolas cívico-militares na rede pública estadual de ensino, criticou a suspensão da escola cívico-militar em Sorocaba: “A consulta pública teve 82% de votos a favor, mas eles não estão preocupados com a vontade popular, estão a serviço de quem?”, questiona.

Presente no lançamento oficial na cidade, o deputado disse que o funcionamento da unidade no município “é um marco de seu mandato”. “Tenho certeza que a escola cívico-militar na cidade irá transformar a vida de todos da região de Sorocaba”, destaca Coimbra.

O deputado estadual Douglas Garcia (PTB) disse que a implantação da escola cívico-militar em Sorocaba foi suspensa pela primeira instância, e que é possível recorrer da decisão. “O vereador Dylan Dantas (PSC), coordenador municipal das escolas cívico-militares, está em contato com a Prefeitura e haverá recurso. Não vamos desistir! Sorocaba e muitas cidades do Brasil precisam desse modelo, que é um sucesso”, aponta.

O vereador Dylan Dantas afirma que assim que soube da suspensão tomou providências a respeito. “Acionei minha equipe jurídica, bem como o jurídico da Prefeitura e estamos tomando as medidas cabíveis. Iremos recorrer da decisão e estou confiante de que o TJSP, como da outra vez, trará decisão justa e favorável ao Pecim na cidade, visto que essa iniciativa possui amplo apoio popular”, disse.

O vereador Vinícius Aith (PRTB) lamenta “a falta de coerência desse movimento nocivo de esquerda, que, intencionalmente, prejudica a educação no país".

"A esquerda morre de medo de disciplina e ordem. Para esse grupo, quanto mais violência e mais doutrinação nas escolas melhor! Recebemos centenas de questionamentos de pais querendo saber como fazer para matricular os filhos na escola cívico-militar, mas querem tirar essa opção da população”, disse o vereador.

O pastor e vereador Luís Santos (Republicanos) também lamentou a decisão judicial. “É lamentável a decisão da Justiça em suspender a implantação em Sorocaba da primeira escola cívico-militar do Estado”.

Tia de um aluno da escola municipal Matheus Maylasky e integrante de um grupo de mães de alunos, que apoiam a implementação de escola cívico-militar na cidade, Kelen Pavani, disse que a decisão foi uma “arbitrariedade sem tamanho”. (Da Redação)