Buscar no Cruzeiro

Buscar

segurança escolar

Em 30 dias, 50 escolas serão vigiadas 24 horas

Assinatura do edital foi feita pelo prefeito Rodrigo Manga em ato público na escola municipal "Inês Rodrigues Cesarotti", no Jardim Bonsucesso, região do bairro Vitória Régia

27 de Abril de 2021 às 01:37
Cruzeiro do Sul [email protected]
Prefeito Rodrigo Manga fala sobre Complexo Hospitalar. Crédito da foto: Fábio Rogério (4/1/2021)
Prefeito Rodrigo Manga fala sobre Complexo Hospitalar. Crédito da foto: Fábio Rogério (4/1/2021) (Crédito: Prefeito Rodrigo Manga fala sobre Complexo Hospitalar. Crédito da foto: Fábio Rogério (4/1/2021))

Ao menos 50 unidades escolares de Sorocaba contarão com vigias 24 horas por dia. O ofício solicitando a publicação de edital do processo licitatório foi assinado nesta segunda-feira (26). A expectativa é de que o serviço já comece a operar em 30 dias.

A assinatura foi feita pelo prefeito Rodrigo Manga (Republicanos) em ato público na escola municipal “Inês Rodrigues Cesarotti”, no Jardim Bonsucesso, região do bairro Vitória Régia. Conforme o prefeito, somente no ano passado, ao menos 350 invasões foram registradas em escolas de Sorocaba.

Em 2021, foram mais de 150 registros. Apesar de admitir que a pandemia fez com o problema aumentasse na cidade, Manga disse que o problema existe há vários anos. O prefeito ainda disse que já houve assinatura de contrato para a reforma de todas as escolas municipais da cidade.

Respondendo ao Cruzeiro do Sul, Rodrigo Manga também comentou sobre o fato de o custo no projeto não estar no orçamento deste ano. “Não estava no orçamento, mas o valor que vamos gastar na contratação desses vigias é infinitamente menor do que é gasto para arrumar essas escolas. É um investimento inteligente que estamos fazendo”, comenta.

A Sedu informou que será investido um valor aproximado de R$ 5 milhões nesse programa. Serão instalados, inicialmente, 50 postos com quatro turnos de trabalho, somando 24 horas de segurança por dia e um total de 200 vigias.

Marcio Carrara, secretário de Educação, afirmou, que os postos/unidades não são fixos. Com isso, os vigias poderão ser enviados para unidades que possam estar apresentando situações de vandalismo, furto e invasão.

Conforme a Sedu, a vigência para essa primeira etapa de contratação do serviço será de seis meses, com posterior avaliação da administração quanto a prorrogações. O critério de escolha das unidades escolares segue um levantamento feito pelo observatório de segurança pública da Secretaria de Segurança Urbana.

Escolha simbólica

A escola escolhida para a assinatura do ato foi simbólica. Sem energia elétrica há vários dias, devido a furtos de cabos, servidores municipais, prefeitos, secretários municipais e vereadores estavam às escuras. O evento foi iniciado às 19h, apenas sob luzes das câmeras e celulares.

Quem passava pela rua Maria Moreno Trugillano nem notava que um evento com a presença do chefe do Executivo acontecia no local. A única luz indicativa era o giroflex de uma viatura da Guarda Municipal. Em um dos discursos, um dos parlamentares presente afirmou que a recuperação do cabos terá custo de R$ 36 mil.

Além dos vigias, a Prefeitura já deu início à criação do Centro de Operações Integradas (COI), sistema que unificará as informações coletadas por videomonitoramento, que serão compartilhadas com todas as forças de segurança pública do município.

Com esse projeto, serão utilizados equipamentos e sistemas analíticos, inteligentes e integrados, compostos de sensores perimetrais externos, sensores internos, softwares e câmeras em todos os próprios públicos de Sorocaba.

A intenção é começar com a implantação do sistema em 165 unidades escolares, no segundo semestre deste ano. Posteriormente, outras áreas, como Saúde, poderão ter o trabalho de inteligência. (Marcel Scinocca)