fbpx
Sorocaba e Região

‘Multa moral’ alerta motoristas sobre vagas preferenciais em Sorocaba

Ação, que fez parte da Semana da Inclusão, mostrou problema causado por estacionamento irregular
‘Multa moral’ alerta sobre vagas preferenciais
Cadeiras de rodas com ocuparam vagas de uso comum para chamar atenção de motoristas sobre essa prática. Crédito da foto: Fábio Rogério (23/9/2019)

Quem esteve na manhã desta segunda-feira (23) na rua da Penha e à tarde no shopping Pátio Cianê encontrou certa dificuldade para estacionar em determinadas vagas que deveriam estar livres, mas foram ocupadas por cadeiras de rodas. Nas cadeiras podiam ser encontrados alguns recados como “Precisei usar sua vaga, mas volto logo”, “Já volto” e “Respeite o direito dos outros”.

A ação — que teve o objetivo de promover uma “multa moral” para conscientizar sobre as vagas preferenciais — fez parte da abertura da Semana Municipal da Inclusão e de Luta da Pessoa com Deficiência, que segue até o dia 29 com diversas atividades.

A programação de abertura da Semana também contou com a Caminhada da Inclusão, oficina de pintura em tela inclusiva e workshop sobre inclusão. Foram iniciadas também duas exposições sobre o tema: uma na Biblioteca Municipal e outra no Smart Mall da Facens, no Pátio Cianê.

‘Multa moral’ alerta sobre vagas preferenciais
Crédito da foto: Fábio Rogério (23/9/2019)

 

Na rua da Penha

A ação educativa sobre as vagas nos estacionamentos, intitulada “Esta vaga não é sua nem por um minuto!”, começou por volta das 7h30, na rua da Penha. A atividade, que contou com apoio da Associação Comercial de Sorocaba (Acso), teve orientação de uma agente de trânsito da Urbes e distribuição de folhetos informativos do projeto “Multa moral”.

Esse projeto já aconteceu em diversas cidades do Brasil e chegou a Sorocaba por iniciativa do blog Acessibilidade na Prática, mantido pela arte-educadora e ativista Alessandra Costa. Conforme ela, o intuito não é só conscientizar os motoristas infratores, mas também envolver a sociedade na fiscalização das vagas reservadas. Alessandra lembra que a campanha educativa “Multa moral” é lei em Sorocaba (nº 9.230). Foi criada em julho de 2010 por iniciativa do vereador Marinho Marte.

‘Multa moral’ alerta sobre vagas preferenciais
Alessandra: envolver a sociedade. Crédito da foto: Fábio Rogério (23/9/2019)

 

A pedagoga Ângela Maria de Moraes foi uma das pessoas que passaram pelo shopping e ao tentar estacionar viu que a vaga estava ocupada por uma cadeira de rodas. Ela elogiou a ação. “Muitas pessoas colocam na vaga preferencial, né? Eu nunca me senti bem, achei interessante essa iniciativa para a pessoa se colocar no lugar deles”.

‘Multa moral’ alerta sobre vagas preferenciais
Célia: reclamações recorrentes. Crédito da foto: Fábio Rogério (23/9/2019)

Vagas para estacionar

Célia Regina Barbosa, vice-presidente da Associação dos Deficientes da Região de Sorocaba (Aderes), diz que a maior parte das reclamações que a entidade recebe é sobre vagas para estacionar. “Uma vez uma pessoa que ocupava a vaga disse que não estava estacionado, apenas parado ali”, recorda. Outro erro comum que se comete é estacionar nas faixas zebradas, ao lado da vaga preferencial.

A professora Flávia Alessandra Ferreira, que faz parte do projeto Anjos sobre Rodas e da Aderes, explica que essa faixa zebrada também pertence ao deficiente, é o espaço para tirar a cadeira de rodas. Isso impede o deficiente de usar a vaga naquele momento porque não tem como descer no local. “Essa parte zebrada não é enfeite”, ressalta.

Dificuldades de locomoção

De acordo com o cadeirante Maicon Adriano Prado, a pessoa com deficiência enfrenta dificuldades em todos os aspectos. “Sorocaba é uma cidade geograficamente desnivelada, e ainda por cima têm calçadas sem guias rebaixadas, até mesmo em avenidas principais”, diz, acrescentando: “Algumas têm, mas é impossível passar até com carrinho de mão”, reclama.

‘Multa moral’ alerta sobre vagas preferenciais
Maicon: falta de respeito. Crédito da foto: Fábio Rogério (23/9/2019)

 

Ele cita que outro lugar que está intransitável é a Praça Frei Baraúna, em que os pisos estão soltos. “Se andar por ali, corre o risco de quebrar sua cadeira”. Maicon comenta que diariamente se arrisca, andando pela rua, junto dos veículos mesmo. Para isso providenciou lâmpadas para sinalizar sua cadeira. “É um desrespeito o que fazem com a gente”, disse.

Apesar de ter cedido o espaço para a ação educativa, o shopping Pátio Cianê não possui, no estacionamento descoberto, vagas para deficientes. Somente as reservadas para idosos e gestantes. O shopping foi ouvido a respeito e disse que respeita a Lei 13.146/15, que estabelece que 2% das vagas de estacionamento são destinadas a portadores de deficiência.

“Para proporcionar maior conforto, priorizamos essas vagas nos estacionamentos cobertos. Porém, depois da visita de hoje, e do pedido, iremos providenciar vagas no estacionamento descoberto também. Seguimos com o propósito não apenas de seguir a lei como também de oferecer o melhor conforto para todos nossos frequentadores”, afirmou em nota.

Programação no Paço

A programação desta terça-feira (24) começa às 10h30, no Salão de Vidro do Paço Municipal, onde o Instituto Magnus abordará, até às 13h, a importância do cão-guia no processo de inclusão social dos deficientes visuais.

A partir das 14h, também no Salão de Vidro, o Conselho Regional de Psicologia (CRP) desenvolve o workshop “Modelo Social”, com assuntos relacionados ao mercado de trabalho, saúde, educação, esporte e lazer.

No mesmo horário, na Biblioteca Municipal, os frequentadores do Centro de Convivência da Pessoa com Deficiência (CCPcD), da Vila Gabriel, participam de uma oficina de Contação de Histórias. Confira a programação no site da Secretaria da Cidadania e Participação Popular. (Daniela Jacinto)

Leia mais  BOS testa tecnologia inclusiva para pessoas com deficiência visual
Comentários