Buscar no Cruzeiro

Buscar

Moradores de Brigadeiro Tobias reclamam do fechamento do banco postal

19 de Outubro de 2018 às 08:15
Marcel Scinocca [email protected]

Banco Postal deixa de atender em Brigadeiro Serviço dos Correios permite operações bancárias como pagamento de contas, benefícios do INSS e empréstimos. Crédito da foto: Erick Pinheiro

Usuários do Banco Postal e moradores de Brigadeiro Tobias se mostraram inconformados com o anúncio do término do serviço oferecido na Casa do Cidadão do bairro. O serviço funcionará no local somente até o dia 12 de novembro, conforme a Secretaria de Cidadania e Participação Popular (Secid). O mesmo ocorrerá na Casa do Cidadão da avenida Itavuvu. O Banco Postal é uma parceria entre o Banco do Brasil e os Correios e faz serviços de correspondente bancário. No local são realizados, por exemplo, empréstimos, pagamento de benefício do INSS, recebimentos de contas, títulos, tributos, taxas e contribuições da Previdência (GPS).

Banco Postal deixa de atender em Brigadeiro Eric diz que vai fazer muita falta. Crédito da foto: Erick Pinheiro

“Vai fazer muita falta, porque muita gente depende do serviço. Se fechar, terei que deslocar para o bairro Árvore Grande”, reclama o motorista Eric Lopes Fogaça, que quando abordado pela reportagem havia acabado de realizar transações no local. Segundo ele, se o Banco Postal do bairro for fechado, de fato, o tempo para se resolver um problema deverá aumentar de 15 minutos para mais de duas horas. “Ônibus aqui já é difícil, então pode demorar até duas horas e meia para ir lá [no bairro Árvore Grande] e voltar”, argumenta.

Carlos Eduardo Thomé, que trabalha na área bancária, também lamenta. “Facilita muito para as pessoas. Evita até filas no bancos, já que o atendimento fica mais distribuído”, diz. A cozinheira Maria da Graça da Silva, também moradora de Brigadeiro Tobias, não costuma usar os serviços, mas mesmo assim lamentou o fato. “Não sabia que ia fechar. É horrível. Está tudo fechando. Precisava continuar esse serviço”, diz.

Banco Postal deixa de atender em Brigadeiro Maria da Graça não sabia que ia fechar. Crédito da foto: Erick Pinheiro

Conforme os Correios, o serviço de Banco Postal continuará sendo oferecido nos bairros Ipiranga -- na Casa do Cidadão -- e na agência dos Correios do Centro da cidade “podendo ocorrer alterações futuras”. Os Correios salientaram ainda que as agências da Casa do Cidadão de Brigadeiro e da avenida Itavuvu continuarão a operar os produtos e serviços postais normalmente.

Segurança

A questão da segurança é o principal motivo para o fim do serviço em Brigadeiro Tobias e na Itavuvu, segundo a Prefeitura de Sorocaba. “Desde o começo desta gestão (ou seja, desde janeiro de 2017), ocorreram diversas tentativas de furto, roubo e assaltos, e muitos atos de vandalismo contra os equipamentos, 14 vezes, sendo que a grande maioria delas foi motivada pela existência do atendimento dos Bancos Postais, pois os Correios são os únicos parceiros que fazem operação com dinheiro”, diz citando várias reportagens do Cruzeiro do Sul com relação a ocorrências de invasões e furtos nas unidades. A Prefeitura de Sorocaba argumenta ainda que o serviço do Banco Postal oferecido na Casa do Cidadão do Ipiranga continuará, “por enquanto”.

A Secid lembrou ainda que outros serviços dos Correios serão mantidos nas Casas do Cidadão dos seguintes locais: Itavuvu, Brigadeiro Tobias e Ipiranga. Já a Secretaria da Segurança e Defesa Civil alegou que os locais não contam com o sistema de videomonitoramento, o que inibiria ações criminosas e facilitaria eventuais investigações.

Contradição

Ao anunciar que o serviço será desativado nas duas unidades da Cada do Cidadão, a Secretaria de Cidadania divulgou que a decisão era fruto de estudos realizados pela empresa -- Correios -- com o Banco do Brasil, a pedido da Prefeitura de Sorocaba. Correios e Banco do Brasil alegaram desconhecer esses estudos.

O Banco do Brasil informou outro motivo para o fechamento. Conforme o banco público, o fato ocorreu devido a um redimensionamento da Rede Banco Postal. “A decisão partiu de uma decisão conjunta entre BB e Correios, para garantir maior eficiência operacional, já que a procura para atendimento era baixa, muito aquém do esperado”, diz.