Sorocaba e Região

Metade das prisões do Botão do Pânico são em 2019, informa Secom

No primeiro ano de funcionamento, 264 mulheres vítimas de violência doméstica foram cadastradas com 61 acionamentos
Metade das prisões do Botão do Pânico são em 2019
Em 1 ano, dispositivo tem 264 mulheres cadastradas. Crédito da foto: Felipe Pinheiro / Secom Sorocaba

O aplicativo de celular denominado Botão do Pânico completou um ano ontem e no período cadastrou 264 mulheres vítimas de violência doméstica, foi acionado 61 vezes resultando em 14 prisões e 11 conduções para a delegacia.

Metade dessas prisões foram feitas somente nestes primeiros dias de 2019, resultado de 20 acionamentos de mulheres com medidas protetivas da Justiça, segundo nota da Secretaria de Comunicação e Eventos (Secom) da Prefeitura de Sorocaba.

Leia mais  Doria inaugura atendimento 24h da Delegacia da Mulher de Sorocaba

 

O último acionamento foi dia 30 de janeiro, por volta das 23h30, quando a Guarda Civil Municipal (GCM) deteve um homem, de 35 anos, por descumprimento da medida protetiva judicial. O ex-marido da assistida foi levado à Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), no Campolim. Na ocasião, os guardas conseguiram detê-lo em frente ao prédio que a mulher reside.

Outra ocorrência foi dia 21 de janeiro dentro do terminal Santo Antônio. A vítima relatou estar na fila do ônibus (19h49) para ir embora para sua casa, quando o ex-marido, de 41 anos, chegou ao local e a ameaçou de morte caso ela não reatasse o relacionamento. Nesse momento, ela acionou o Botão do Pânico e correu para o Posto da Guarda Civil que fica dentro do Terminal. A vítima ainda contou aos agentes públicos que, “todos os dias, após sair do trabalho, seu ex-marido a persegue””.

Em menos de dois minutos, os guardas do GTAM conseguiram localizar o indivíduo num ponto de ônibus ainda dentro do Terminal. Ele foi detido, autuado em flagrante delito por descumprimento da medida protetiva judicial, ficando à disposição da Justiça.

Sorocaba é uma das poucas cidades no Brasil que possui ampla rede de proteção às mulheres vítimas desse tipo de violência e o aplicativo hoje serve de modelo para outras cidades do País. Para o prefeito José Crespo, o Botão do Pânico é reflexo de uma política pública de segurança séria e comprometida com o bem-estar das mulheres que se encontram sob proteção do Estado.

De acordo com o secretário de Segurança e Defesa Civil (Sesdec), coronel Antonio Valdir Gonçalves Filho “esse dispositivo visa proteger as vítimas de violência doméstica trazendo tranquilidade para elas, podendo reduzir os índices de violência doméstica”. (Da Redação, com informações de Secom Sorocaba)

Comentários